“Hoje nos não temos nossa terra

“Hoje nos não temos nossa terra, nem nosso mar. Hoje nos estamos cheios de limites: proibido caçar, pescar, proibido entrar… No nosso mangue se nos proíbe pegar caranguejo, aratu, peixe. O Ibama proíbe coisas para nos que para o branco que paga uma gorjeta libera, libera pra eles destruir nossa mata, já denunciamos na procuradoria, já vieram tomaram a moto serra e eles sempre voltam com novas, se fosse um índio estava preso, ainda que o índio só faz as coisas pra sobreviver, ainda ele que faz tudo o que pode pra preservar. Cada planta que nasce, cada árvore, é nossos antepassados dando força pra que a terra não fique nua. Os brancos só querem deixar a terra nua. Cada vez que vejo as maquinas destruindo a mata, aquilo dói, eles tirando as vidas, e nos sabe quanto tempo demora uma mata para nascer. O cemitério indígena, na praia dos coqueiros, já esta fechada de muro, essa terra sagrada foi comprada. A cada dia que passa os brancos vão tomando e nos sem direito a nada, nem a respirar, eles estão tirando as matas, poluindo os rios e eles também vão sofrer com isso”

(Valdelici – Cacique Tupinambá / Olivença)

“O branco vem aqui, desmata, corta, joga tudo embaixo. E nós nem direito de pegar uma árvore seca temos, porque tem que ir lá pedir uma autorização ao Ibama, enquanto isso aqui se escuta a moto-serra”

(Evanildo – Índio Tupinambá / Acuipe de cima)

“Com o desmatamento e a poluição, principalmente, tudo vai acabar. A água vai sumindo e nós não podemos viver sem a água. Nós temos que preservar e não é o que estamos vendo por aí. Hoje esta tudo ao contrário e tudo se acabando. Estão tendo muitas queimadas.

Eu acredito que se a gente preservar a natureza a gente esta preservando a nossa vida. A NATUREZA É A VIDA. A gente tem que fazer de tudo pra preservar”

(Pitta – Agente de Saúde Tupinambá / Santana (Município de Buararema))

“A gente chama a moto-serra de dragão. Quem esta usando o dragão é os fazendeiros. Eles falam que vão derrubar toda a mata para que quando a gente retomar nossa terra não tenha mais nada e só o campo limpo. Eles dizem que só eles podem desfrutar da terra, a gente não”
(Leila – Estudante Tupinambá / Sapucaeira)

Tupinambá, Nação indígena reconhecida em Abril de 2002. Sul da Bahia. Com seu centro em Olivença, a 14 Km de Ilhéus. 100.000 hectares ainda não demarcados. Depoimentos colhidos por Leila e Leo (índios que estão na última foto)e Sebastian Gerlic em agosto de 2002.

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

10 COMENTÁRIOS

  1. isso é um horror!
    o q nossos povos estão fazendo?
    esles estão destruindo tudo apenas por dinheiro!se isso prosseguir, não vai passar mais de 110 anos pra todo mundo morrer de calor ou de frio!
    estamos com um “rombo” na atmosfera, e cada vez cresce mais !
    isso tb se trata das leis priorizadas do governo de cad estado!
    se parassem de cortar e muito contrário q é plantar, estariamos com mais esperanças!
    esses infelizes cortam sem nescessidade mesmo, por causa da grana cada vez mais quente, cada vez mais árvores são cortadas pra fazerem baús, caixas, e armários.
    isso tem q ser tratado como caso de “vida ou morte” sabemos disso!
    depende de cada governo!

  2. eu tambem acho un horror o desmatamento.oque os homens ganham destruindo o meio ambiente?destruir arvores pra que isso?eu acho também um absurdo e uma idiotice e uma falta de respeito com meio ambiente !!!!!!!!!!!!!!!

  3. “Hoje nos não temos nossa terra, nem nosso mar. Hoje nos estamos cheios de limites: proibido caçar, pescar, proibido entrar… No nosso mangue se nos proíbe pegar caranguejo, aratu, peixe. O Ibama proíbe coisas para nos que para o branco que paga uma gorjeta libera, libera pra eles destruir nossa mata, já denunciamos na procuradoria, já vieram tomaram a moto serra e eles sempre voltam com novas, se fosse um índio estava preso, ainda que o índio só faz as coisas pra sobreviver, ainda ele que faz tudo o que pode pra preservar. Cada planta que nasce, cada árvore, é nossos antepassados dando força pra que a terra não fique nua. Os brancos só querem deixar a terra nua. Cada vez que vejo as maquinas destruindo a mata, aquilo dói, eles tirando as vidas, e nos sabe quanto tempo demora uma mata para nascer. O cemitério indígena, na praia dos coqueiros, já esta fechada de muro, essa terra sagrada foi comprada. A cada dia que passa os brancos vão tomando e nos sem direito a nada, nem a respirar, eles estão tirando as matas, poluindo os rios e eles também vão sofrer com isso”

  4. Se a terra ficar nua, cheia de poluição nem branco , nem ptero, nem índio, terá alimentação.
    Que nossos bosques tenham mais flores como diz o hino do Brasil e Jamopoti que significa Florescer que recuperemos a terra para os descendentes de todo povo poder viver.

    Sou descendente de índio por isso vivo a sofrer com o coração a doer sem nada poder fazer.
    Mas temos palavras, palavras é força e voz, que cheguem as minhas palavras a esse corações atroz.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here