Depois de um passado; um presente explendido

0 49

Desde muito tempo vemos lutando por reconhecimento que existimos e por nossos direitos, um deles de sermos donos de nossas terras, o qual é uma das nossas maiores preocupações,pois é da terra que tiramos nosso sustento e sem ela não somos nada.
Desde a chegada dos portugueses, que perdemos esse direito de ser donos da terra, estamos numa batalha por sobrevivência. Sobrevivência essa de sermos indígenas de sermos donos de nossas terras. Muitas mudanças ocorreram a partir desse chegada: perda da terra, da língua mãe indígena, das características fisícas de fisionomia, alguns
costumes e tradições, entre outras coisas. Primeiro que sem vê de nada nos tiram a vida só pelo ato de estarmos ali e de ser índio, e ao mesmo tempo a terra, depois nos tornaram em escravos, nos obrigaram a deixar de ser índio a negar nossa existência e adorar outra maneira de vida, deixando nossos costumes e tradições de lado, aquele que não seguisse essa conduta era morto ou então massacrado no bom dos casos,para que servisse de exemplo. Muitos perderam a vida pois nessa escolha a morte é a melhor, pois com ela viveríamos para sempre, por que índio não morre se encanta. Então se sobrevivemos a essa perseguição até hoje, foi graças a Deus e a guerreiros valentes que
fizeram de tudo para viver sem deixar de ser índio mesmo sendo escondido a vista dos olhos dos colonizadores, coroniés, e demais conquistadores.
O bom é que sobrevivemos até hoje sem deixar de ser índio, temos uma quantidade de terra que podemos dizer é nossa, pois é registrada, não é muito para a quantidade de índios que somos, o que nos obriga a sair da tribo e ir para grandes centros urbanos a busca de melhoria de vida, por que com a pouca quantidade de terra que temos não da para
todo mundo tirar um sustento sem passar fome. Hoje em busca de melhorias para nossa tribo, formamos vários professores indígenas no ensino superior, enfermeiro, advogados, além de termos estudantes indígenas em outras areas,administração , sistemas de informação,medicina, entre outras.
Nossas escolas em Pankararu hoje são de professores indígenas que dão as aulas, não mais os brancos, temos nelas o ensino de junção de tradição e ensino dado pelo MEC, o que nos ajuda a entender outras culturas, e de buscar de forma legal nossos direitos.
O ruim é que ainda somos perseguidos de modo de não mais como antes mas de forma diferente,que nós indígenas do nordeste não somos índios, um fato de nem todos nós temos características fisícas semelhante aos indígenas da regiao amazonica.
Hoje temos um site na rede mundial de computadores o
www.indiosonline.org.br o qual para quem querer saber um pouquinho mais sobre nós indígenas onde estamos o que fazemos entre outras coisas alé m de podermos trocar ideias no chat de forma de um intercabio cultural.

Artigos similares

0 138

0 113

SEM COMENTÁRIOS

Partilhe um comentário