Declaração Universal dos
Direitos dos Povos Indígenas

Parágrafos preambulares

1 – Afirmando que todos os povos indígenas são livres e iguais em dignidade e direitos, de acordo com as normas internacionais, e reconhecendo o direito de todos os indivíduos e povos de serem distintos e de considerarem-se distintos, e serem respeitados como tais;

2 – Considerando que todos os povos contribuem para a diversidade e a riqueza das civilizações e culturas, as quais constituem patrimônio comum da humanidade;

3 – Convencidos de que todas as doutrinas, políticas e práticas de superioridade racial, religiosa, étnica ou cultural são cientificamente falsas, legalmente inválidas, moralmente condenáveis e socialmente injustas;

4 – Preocupados com o fato de os povos indígenas terem sido freqüentemente privados de seus direitos humanos e liberdades fundamentais, tendo como resultado a perda de suas terras, territórios e recursos, assim como a pobreza e a marginalização;

5 – Celebrando o fato de que os povos indígenas estão se organizando para pôr fim a todas as formas de discriminação e opressão onde quer que ocorram;

6 – Reconhecendo a urgente necessidade de promover e respeitar os direitos e características dos povos indígenas, que se originam em sua história, filosofia, culturas, tradições espirituais e outras, assim como em suas estruturas políticas, econômicas e sociais, especialmente seus direitos a terras, territórios e recursos;

7 – Reafirmando que os povos indígenas, no exercício de seus direitos, deveriam ver-se livres de discriminação adversa de todo tipo;

8 – Respaldando os esforços para consolidar e fortalecer as sociedades, culturas e tradições dos povos indígenas, através de seu controle sobre os processos de desenvolvimento que afetem a eles ou às suas terras, territórios e recursos;

9 – Enfatizando a necessidade da desmilitarização das terras e territórios dos povos indígenas, o que contribuirá para a paz, a compreensão e as relações amistosas entre os povos do mundo;

l0 – Enfatizando a importância de dar especial atenção aos direitos e necessidades das mulheres, jovens e crianças indígenas;

11 – Convencidos de que os povos indígenas têm o direito de determinar livremente suas relações com os Estados nos quais vivem, num espírito de coexistência com outros cidadãos;

12 – Ressaltando que os Convênios Internacionais sobre os Direitos Humanos afirmam a fundamental importância do direito à autodeterminação, assim como o direito de to. dos os seres humanos de procurar seu desenvolvimento material, cultural e espiritual em condições de igualdade e dignidade;

13 – Tendo em conta que nada nesta Declaração pode ser usado como justificativa para negar a qualquer povo seu direito à autodeterminação;

14 – Conclamando os Estados a cumprir e implementar efetivamente todos os instrumentos internacionais aplicáveis aos povos indígenas;

15 – Solenemente proclamamos a seguinte Declaração dos Direitos dos Povos Indígenas:

Parágrafos operativos

Parte 1

1 – Os povos indígenas têm o direito à autodeterminação, de acordo com a lei internacional. Em virtude deste direito, eles determinam livremente sua relação com os Estados nos quais vivem, num espírito de coexistência com outros cidadãos, e livremente procuram seu desenvolvimento econômico, social, cultural e espiritual em condições de liberdade e dignidade.

2 – Os povos indígenas têm o direito ao pleno e efetivo desfrute de todos os direitos humanos e liberdades fundamentais reconhecidos na Carta das Nações Unidas e outros instrumentos internacionais de direitos humanos.

3 – O povos indígenas têm o direito de serem livres e iguais a todos os outros seres humanos em dignidade e direitos, e de serem livres de distinção ou discriminação adversa de qualquer tipo baseada em sua identidade indígena.

Parte II

4 – Os povos indígenas têm o direito coletivo de existir em paz e segurança como povos distintos e de serem protegidos contra o genocídio, assim como os direitos individuais à vida, integridade física e mental, liberdade e segurança da pessoa.

5 – Os povos indígenas têm o direito coletivo e individual de manter e desenvolver suas características e identidades étnicas e culturais distintas, incluindo o direito à auto -identificação.

6 – Os povos indígenas têm o direito coletivo e individual de serem protegidos do genocídio cultural, incluindo a prevenção e a indenização por:

a) qualquer ato que tenha o objetivo ou o efeito de privá-los de sua integridade como sociedades distintas, ou de suas características ou identidades culturais ou étnicas;

b) qualquer forma de assimilação ou integração forçadas;

c) perda de suas terras, territórios ou recursos;

d) imposição de outras culturas ou formas de vida;

e) qualquer propaganda dirigida contra eles.

7) Os povos indígenas têm o direito de reviver e praticar sua identidade e tradições culturais, incluindo o direito de manter, desenvolver e proteger as manifestações de suas culturas, passadas, presentes e futuras, tais como os sítios e estruturas arqueológicas e históricas, objetos, desenhos, cerimônias, tecnologia e obras de arte, assim com o direito à restituição da propriedade cultural, religiosa e espiritual retiradas deles sem seu livre e informado consentimento ou em violação às suas próprias leis.

8) Os povos indígenas têm o direito de manifestar, praticar e ensinar suas próprias tradições espirituais e religiosas, costumes e cerimônias; o direito de manter, proteger e ter acesso em privacidade aos sítios religiosos e culturais; o direito ao uso e controle de objetos cerimoniais; e o direito à repartição de restos humanos.

9) Os povos indígenas têm o direito de reviver, usar, desenvolver, promover e transmitir às futuras gerações suas próprias línguas, sistemas de escrita e literatura, e designar e manter os nomes originais de comunidades, lugares e pessoas. Os Estados tomarão medidas para assegurar que os povos indígenas possam atender e serem entendidos nos procedimentos políticos, legais e administrativos, quando seja necessário, através da provisão de intérpretes ou outros meios efetivos.

10) Os povos indígenas têm o direito a todas as formas de educação, incluindo o acesso à educação em suas próprias línguas, e o direito de estabelecer e controlar seus próprios sistemas educacionais e institucionais. Os recursos serão proporcionados pelo Estado para estes propósitos.

11) Os povos indígenas têm o direito à dignidade e à diversidade de suas culturas, histórias, tradições e aspirações refletidas em todas as formas de educação e informação públicas. Os Estados tomarão medidas efetivas para eliminar os preconceitos e fomentar a tolerância, entendimento e boas relações.

12 Os povos indígenas têm o direito ao uso e acesso a todas as formas de meios massivos de comunicação em suas próprias línguas. Os Estados tomarão medidas efetivas para alcançar este fim.

13 – Os povos indígenas têm o direito a uma adequada assistência financeira e técnica, por parte dos Estados e, através da cooperação internacional, de procurar livremente seu próprio desenvolvimento econômico, social e cultural, e para o gozo dos direitos contidos nesta Declaração.

(Parágrafo operativo a ser numerado)

Nada nesta Declaração pode ser interpretado no sentido de implicar para qualquer Estado, grupo ou indivíduo o direito de empreender quaisquer atividades ou realizar quais. quer atos contrários à Carta das Nações Unidas ou à Declaração Internacional de Princípios de Direitos 50bre Relações Amistosas e Cooperação entre os Estados de acordo com a Carta das Nações Unidas.

Parte III

14 – Os povos indígenas têm o direito de manter sua distintiva e profunda relação com suas terras, territórios e recursos, os quais incluem o total ambiente da terra, água, ar e mar, que eles tradicionalmente ocupam ou usam de outra maneira.

15 – Os povos indígenas têm o direito coletivo e individual de possuir, controlar e usar as terras e territórios que eles têm ocupado tradicionalmente ou usado de outra maneira. Isto inclui o direito ao pleno reconhecimento de suas próprias leis e costumes, sistemas de posse da terra e instituições para o manejo de recursos, e o direito a medidas estatais efetivas para prevenir qualquer interferência ou abuso destes direitos.

16 – Os povos indígenas têm o direito à restituição, e na medida em que isto não seja possível, a uma justa ou equitativa compensação pelas terras e territórios que hajam sido confiscados, ocupados, usados ou sofrido danos sem seu livre e informado consentimento. A menos que se acorde livremente outra coisa pelos povos envolvidos, a compensação tomará preferivelmente a forma de terras e territórios de qualidade, quantidade e status legal pelo menos iguais àqueles que foram perdidos.

17 – Os povos indígenas têm o direito à proteção de seu ambiente e à produtividade de suas terra e territórios, e o direito à assistência adequada, incluindo a cooperação internacional para este fim. A menos que outra coisa seja acordada livremente pelos envolvidos, as atividades militares e o armazenamento ou depósito e de materiais perigosos não poderão ser feitos em suas terras e territórios.

18 – Os povos indígenas têm o direito a medidas especiais de proteção, como propriedade intelectual, de suas manifestações culturais tradicionais, como a literatura, desenhou, artes visuais e representativas, cultos, conhecimentos médicos e conhecimento das propriedades úteis da fauna e da flora.

(Parágrafo operativo a ser numerado)

Nenhum dos povos indígenas poderá, em nenhum caso, ser privado de seus meios de subsistência.

Parágrafos operativos revisados pelo Presidente/ informante:

Parte IV

18 – “O direito de manter e desenvolver, dentro de suas áreas de terras e outros territórios, suas estruturas econômicas, instituições e modos de vida tradicionais, de ter asseguradas suas estruturas econômicas e modos de vida tradicionais, de ter assegurado o desfrute de seus próprios meios de subsistência tradicionais, e de dedicar-se livremente às suas atividades econômicas tradicionais e outras, incluindo a caça, pesca de água doce e salgada, pastoreiro, coleta, corte de árvores e cultivos, sem discriminação adversa. Em nenhum caso pode um povo indígena ser privado de seus meios de subsistência. Eles têm o direito a uma justa e equitativa compensação pelos bens de que foram privados”.

19 – “O direito a medidas estatais especiais para a melhoria imediata, efetiva e continua de suas condições sociais e econômicas, com seu consentimento, que reflitam suas próprias prioridades”.

20 – “O direito de determinar, planejar e implementar todos os programas de saúde, moradia e outros programas sociais e econômicos que os afetem e, na medida do possível, desenvolver, planejar e implementar tais programas através de suas próprias instituições”.

Parte V

21 – “O direito de participar em pé de igualdade com todos os outros cidadãos e, sem discriminação adversa, na vida política, econômica, social e cultural do Estado, e de ter seu caráter específico devidamente refletido no sistema legal e nas instituições políticas, sócio – econômicas e culturais, incluindo, em particular, uma adequada consideração e reconhecimento das leis e costumes indígenas”.

22 – “O direito de participar plenamente nas instituições do Estado, através de representantes eleitos por eles mesmos, na tomada de decisões e na implementação de todos os assuntos nacionais e internacionais que possam afetar seus direitos, vida e destino”.

“(b) O direito dos povos indígenas de participar, através de procedimentos apropriados, determinados em conjunto com eles, na concepção de leis ou medidas administrativas que possam afetá-los diretamente, e de obter seu livre consentimento através da implementação de tais medidas. Os Estados têm o dever de garantir, o pleno exercício desses direitos”.

23 – “O direito coletivo à autonomia em questões relativas a seus próprios assuntos internos e locais, incluindo a educação, informação, meios de divulgação, cultura, religião, saúde, moradia, bem-estar social, atividades econômicas e administrativas de terras e recursos e o meio ambiente, assim como gravames impositivos internos para financiar estas funções autônomas”.

24 – “O direito de decidir sobre as estruturas de suas instituições autônomas, seleção dos membros de tais instituições de acordo com seus próprios procedimentos, e determinar os membros dos povos envolvidos para estes propósitos; os Estados têm o dever, onde assim o queiram os povos envolvidos, de reconhecer tais instituições e seus membros, através dos sistemas legais e instituições políticas do Estado”.

25 – “O direito de determinar as responsabilidades dos indivíduos com suas próprias comunidades, coerentes com os direitos humanos e liberdades fundamentais universalmente reconhecidos”.

26 – “O direito de manter e desenvolver contatos, relações e cooperações tradicionais, incluindo intercâmbio cultural, social e comercial, com seus próprios parentes e amigos, através das fronteiras estatais e a obrigação de o Estado adotar medidas para facilitar tais contatos”.

27 “O direito de exigir que os Estados cumpram os tratados e outros acordos concluídos com os povos indígenas, e de submeter qualquer disputa que possa surgir nesta matéria a instâncias competentes, nacionais ou internacionais”.

Parte VI

28 – “O direito coletivo e individual de acesso e pronta decisão a procedimentos justos e mutuamente aceitáveis para resolver conflitos ou disputas e qualquer infração, pública ou privada, entre os Estados e os povos, grupos ou indivíduos indígenas. Estes procedimentos deveriam incluir, como for apropriado, negociações, mediação, arbitragem, cortes nacionais e revisão e mecanismos de apelação sobre direitos humanos, regionais e internacionais”.

Parte VII

29 – “Estes direitos constituem as normas mínimas para a sobrevivência e o bem-estar dos povos indígenas do mundo”.

30 – “Nada desta Declaração pode ser interpretado no sentido de implicar para qualquer Estado, grupo ou indivíduos, o direito de empreender qualquer atividade ou realizar qualquer ato destinado à destruição de qualquer dos direitos e liberdades aqui estabelecidos”.

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Muito bem!!!! o ARco nao para…

    ‹tewaxurejavae› eu sou cleyton javaé sou indio da etnia javaé Ilha do Bananal Tocanaitns e acadêmico de ciências econômicas UFT
    14/08/2007 14:03:45 * IXAT saiu ou está ausente do chat
    14/08/2007 14:04:15 ‹curupaty› tewaxurejavae, JÁ ACABOU?????
    14/08/2007 14:05:11 * taukane entrou na sala SALA PRINCIPAL
    14/08/2007 14:05:24 * marcelo gaucho entrou na sala SALA PRINCIPAL
    14/08/2007 14:05:40 ‹taukane› ola boa tarde a todos
    14/08/2007 14:05:54 ‹Sebas› boa tarde
    14/08/2007 14:06:03 * ednapank saiu ou está ausente do chat
    14/08/2007 14:06:02 ‹tewaxurejavae› olá no decorrer do debate vão me conhecendo melhor sou um militante do movimento indígena
    14/08/2007 14:06:50 ‹taukane› sou Israel Taukane da etnia bakairi do MT mais sou estudante de pedagogia no tocantins
    14/08/2007 14:07:22 ‹curupaty› marcelo gaucho, BOM AGORA É SUA VEZ DE SE APRESENTAR
    14/08/2007 14:07:28 ‹marcelo gaucho› sou marcelo sou do sul do brasil nao sou indio
    14/08/2007 14:07:45 ‹curupaty› GENTE VAMOS PELA ORDEN
    14/08/2007 14:08:45 ‹curupaty› Sebas, É A SUA VEZ
    14/08/2007 14:08:47 ‹Sebas› Sou um ciberativista da internet..preocupado com o PLANETA….ciente de que as sabedorias indigenas podem ser o grande portal de desenvolvimento para todos nós
    14/08/2007 14:10:13 ‹curupaty› giraldin, AGORA É SUA VEZ
    14/08/2007 14:10:35 * Anita entrou na sala SALA PRINCIPAL
    14/08/2007 14:10:46 ‹Anita› Boa tarde a todos!
    14/08/2007 14:11:14 ‹curupaty› Anita, BOA DAQUI A POUCO VC SE APRESENTA OK?????
    14/08/2007 14:11:32 ‹Anita› ok, espero minha vez…
    14/08/2007 14:12:15 ‹giraldin› Sou antropólogo. Coordenador do Núcleo de Estudos e Assuntos Indígenas da UFT. Sou também diretor da REDE de Educação da Universidade e tenho trabalhado na questão do acesso e permanência dos estudantes indígenas na UFT pelo sistema de cotas. Sou também membro do conselho estadual de educação escolar indígena do Tocantins e participo do curso de licenciatura intercultural para formação de professo
    14/08/2007 14:12:58 ‹curupaty› giraldin, OK
    14/08/2007 14:13:12 ‹curupaty› Anita, A HONRRA É SUA AGORA
    14/08/2007 14:13:50 ‹Anita› eu sou nordestina, morando em Brasilia, sou professora da Unb e colaboro com a Thydewas
    14/08/2007 14:14:13 ‹Anita› leciono na faculdade de educação
    14/08/2007 14:15:06 ‹curupaty› BOM AGORA Q TODOS SE APRESENTARAM EU GOSTARIA Q O PROFESSOR GIRAL DIN NOS EXPLICASSE COMO FUNCIONA O SISTEMA DE COTAS
    14/08/2007 14:15:24 ‹giraldin› tdo bem.
    14/08/2007 14:16:27 ‹giraldin› TEmos um sistema de reserva de 5% das vagas de todos os cursos para estudantes indígenas de qualquer povo do Brasil.
    14/08/2007 14:17:07 ‹giraldin› Este sistema foi criado após uma reivindicação do movimento indígena do Estado
    14/08/2007 14:17:31 ‹giraldin› encabeçao pela Associação dos Professores Indígenas do Tocantins.
    14/08/2007 14:17:41 ‹giraldin› encabeçado, desculpem
    14/08/2007 14:18:09 ‹giraldin› O sistema de avaliação para o acesso é através do mesmo vestibular universal
    14/08/2007 14:18:34 ‹giraldin› a mesma prova aplicada aos não indígenas é feita também pelos can didatos indígenas
    14/08/2007 14:19:28 ‹giraldin› As mesmas exigências de nota mínima de corte, não zerar em nenhuma disciplina e também ter nota mínima em redação, também se aplicam aos candidatos indígenas
    14/08/2007 14:19:57 ‹giraldin› A diferença está em que os estudantes indígenas concorrem entre si na disputa pelas vagas.
    14/08/2007 14:19:59 ‹Anita› a Universidade de Brasília (UnB) criou um vestibular especial para índios, com vagas em medicina, enfermagem, odontologia e farmácia. Atualmente temos 15 indígenas cursando..
    14/08/2007 14:20:09 * were entrou na sala SALA PRINCIPAL
    14/08/2007 14:20:21 ‹giraldin› Na UFT todos os cursos estão abertos
    14/08/2007 14:21:25 ‹giraldin› temos o acesso pelo sistema de cotas desde 2004
    14/08/2007 14:21:35 ‹curupaty› giraldin, PROFESSOR O SENHO TERMINOU?
    14/08/2007 14:21:37 ‹Sebas› giraldin, Anita, como uma pessoa prova que é indigena? ha distinçaõ entre indigena aldeado ou não aldeado? entre indigena e descendente?
    14/08/2007 14:21:39 ‹giraldin› desculpe, desde 2005
    14/08/2007 14:22:05 ‹giraldin› em 2004 houve a tramitação do processo de aprovação da medida nos conselhos da universidade
    14/08/2007 14:22:55 ‹giraldin› Anita, Até agora temos tomado a declração da Funai como confirmadora do pertencimento do candidato a um determinado povo
    14/08/2007 14:22:58 ‹marcelo gaucho› giraldin, se indigena for um aluno nota dez ele entra no 5% ou fica restrito a cota
    14/08/2007 14:23:25 ‹giraldin› Marcelo, se ele se inscrever pelo sistema de cotas, entra nos 5%.
    14/08/2007 14:23:42 ‹marcelo gaucho› giraldin, ok
    14/08/2007 14:23:52 ‹giraldin› Mas se ele não se declarar indígena no ato da inscrição, concorre no sistema universal
    14/08/2007 14:23:57 ‹Anita› Plano de Metas para Integração Social, Étnica e Racial da UnB, que tem como objetivo incluir o estudante indígena no ensino superior.
    14/08/2007 14:24:51 ‹Anita› a transferencia dos 15 indios que cursavam outras faculdades privadas foi o primeiro passo. A UnB ainda está engatinhando na inclusão indígena
    14/08/2007 14:25:55 ‹giraldin› Vejam, a UFT foi ousada em abrir todos os seus cursos para o sistema de vagas
    14/08/2007 14:26:16 ‹giraldin› TEmos 58 estudantes indígenas
    14/08/2007 14:26:35 ‹curupaty› PESSOAL QUE TIVER ALGUMA DUVIDA PODE PERGUNTAR PARA O PROFESSOR
    14/08/2007 14:26:38 ‹giraldin› e temos cerca de 100 vagas anuais oferecidas
    14/08/2007 14:27:00 ‹Anita› então, aqui é diferente da UFT, sim deu mais oportunidades. na UnB os cursoso abertos foram os que os indígenas solicitaram. Mas é dificil, a bolsa da FUnai é insuficiente, o custo de vida aqui é muito alto.
    14/08/2007 14:27:25 ‹Sebas› giraldin, as vagas que ficaram livres foipor falta de postulantes ou existem postulantes que não chegaram a um mínimo desejado??
    14/08/2007 14:28:11 ‹giraldin› Sebas, ainda no quesito acesso, temos tido aumento na concorrência.
    14/08/2007 14:28:47 ‹giraldin› No último vestibular tivemos 112 candidatos, mas nem todos os cursos tiveram candidatos pois o de medicina monopolizou a procura
    14/08/2007 14:29:17 ‹giraldin› Mas tivemos muitos candidatos que conseguiram ser aprovados nas provas de conhecimentos gerais
    14/08/2007 14:29:28 ‹giraldin› mas foram reprovados na prova de redação
    14/08/2007 14:30:10 ‹giraldin› Então a questão linguistica ainda é uma barreira muito forte, sobretudo para os chamados “aldeados”
    14/08/2007 14:31:01 ‹curupaty› giraldin, ENTÃO O SENHOR CHEGOU NO PONTO Q EU QUERIA
    14/08/2007 14:31:12 ‹Anita› aqui em Brasilia, a competição foi muito grande…
    14/08/2007 14:31:28 ‹tewaxurejavae› Anita segundo Fátima Makiuchi, da UnB, afirmou que a universidade têm vagas para 10 mil cotistas mas que não sabe se tudo está preenchido. Ela declarou que a UnB conta com 25 alunos de origem indígena.
    14/08/2007 14:31:56 ‹giraldin› Curupaty, qual é o ponto?
    14/08/2007 14:31:58 ‹Sebas› acho que a questão nao é primeiro linguistica e sem de formação…. porque nas aldeias do nordeste..ondeha muito tempo as linguas nativas “foram assasinadas” ainda tem SERIOS PROBLEMAS DE REDAÇÃO!
    14/08/2007 14:32:17 ‹Anita› sim, 10 passaram no vestibular deste ano, entre 1,100 que se canditaram, mais os 15 que foram transferidos, são 25 hoje
    14/08/2007 14:32:49 ‹curupaty› giraldin, BOM EU ACHO Q O GOVERNO PODERIA INCENTIVAR CURSOS PRA VESTIBULAR NAS ALDEIAS MAS DENTRO DAS ALDEIAS MESMO POR Q HOJE O INDIO CONCLUI O SEGUNDO GRAU E Ñ TEM NENHUN CURSO PARA SE CAPACITAR ENTÃO VAI FAZER VESTIBULAR E LEVA BOMBA
    14/08/2007 14:33:43 ‹Anita› curupaty, viu a materia dos potyguara, lá o povo se organizou e fez…
    14/08/2007 14:33:51 ‹curupaty› giraldin, COMO O SENHO FALOU AI Q NA PROVA DE REDAÇÃO ELES Ñ PASSARAM POR Q Ñ TEM UMA CAPACITAÇÃO PARA FAZER A PROVA
    14/08/2007 14:34:09 ‹giraldin› Eu concordo contigo de que é preciso fazer alguma coisa para melhorar a possibilidade de acesso
    14/08/2007 14:34:42 ‹giraldin› Mas as ações demandam muita gente para trabalhar e ainda não é possivel fazer isso
    14/08/2007 14:34:44 ‹Sebas› concordo..de acesso e de permanencia!
    14/08/2007 14:35:07 ‹Anita› tewaxurejavae, foram 1.180 indios concorrendo a 10 vagas extras, que não estão no sistema de cotas e sim num convenio unb funai.
    14/08/2007 14:35:20 ‹curupaty› É ISSO POR Q Ñ ADIANTA DEIXAR UM DETERMINADO TANTO DE VAGAS NAS UNIVERSIDADES SE O INDIO ALDEIADO Ñ ESTA CAPACITADO PARA FAZER
    14/08/2007 14:35:23 ‹giraldin› No caso do Tocantins, temos os Apinajé no Bico do Papagaio e os Karajá na Ilha do Bananal
    14/08/2007 14:35:36 ‹giraldin› com distancias de mais de 800 km entre as aldeias
    14/08/2007 14:35:57 ‹giraldin› é muito dificil dar esse cursinho de apoio para o vestibular
    14/08/2007 14:36:07 ‹tewaxurejavae› Anita um ta bllzzz
    14/08/2007 14:36:43 ‹Sebas› giraldin, existe algum curso GRATUITO de vestibular via INTERNET?
    14/08/2007 14:36:50 ‹giraldin› Anita, como acontecu este vestubular com os Potiguar?
    14/08/2007 14:36:53 ‹Anita› tewaxurejavae, o vestibular indígena foi diferenciado, mas pelo sistema de cotas, eles concorrem igual a qualquer pessoa.
    14/08/2007 14:37:29 ‹giraldin› Não conheço nenhum curso pre vestibular pela internet
    14/08/2007 14:38:28 ‹giraldin› Anita, fale sobre a experiência Potiguar. Talvez possa inspirar outras medidas
    14/08/2007 14:38:41 ‹Sebas› anita, a proporçaõ de indigenas que conseguiram sua vaga é muito baixa…fora as cotas…..essa proporção ainda piora?
    14/08/2007 14:38:41 ‹tewaxurejavae› Anitahum parece ser bem semelhante aqui porém aqui como o professor giraldin expos são em todos os cursos já tem certa de 58 estudantes indígenas só na uft
    14/08/2007 14:38:42 ‹Anita› giraldin, com o apoio da UfPb e mobilização das lideranças jovens das aldeias potyguara, tem uma materia no site indios on line
    14/08/2007 14:39:36 ‹Anita› Sebas, , o reitor está tentando conseguir 20 vagas, atualmente são 10 por ano, convenio com a funai, só para esses cursos.
    14/08/2007 14:40:09 ‹Anita› tewaxurejavae, vcs estão na nossa frente, parabéns…meu sonho é ver a unb formando professores indígenas
    14/08/2007 14:40:55 ‹Anita› mas Brasilia tem custo alto e é longe das aldeias, eles teriam que ter bolsas e moradia e alimentação garantida e não t~em
    14/08/2007 14:41:25 * mariabeatriz entrou na sala SALA PRINCIPAL
    14/08/2007 14:41:41 ‹giraldin› A UFT é parceira da UFG num curso de licenciatura intercultural para formar professores indígenas
    14/08/2007 14:42:05 ‹curupaty› Anita, VERDADE E AFUNAI Q DIZ Q TEM OBRIGAÇÃO DE ARCA COM ESSE CUSTOS Ñ DÁ NADA
    14/08/2007 14:42:43 ‹Sebas› giraldin, UFG é de onde..de MINAS?
    14/08/2007 14:42:46 ‹Anita› giraldin, sonho com o dia em que estarei num curso desses, aprendendo mais do que ensinando…
    14/08/2007 14:42:52 ‹Sebas› Goias?
    14/08/2007 14:43:06 ‹giraldin› Temos 59 estudantes que são garantidos pelo apoio financeiro das SEDUCS do TO, MT e GO, além da Funai para transporte, hospedagem e alimentação
    14/08/2007 14:43:10 ‹giraldin› Sim Sebas, Goiás
    14/08/2007 14:43:41 ‹giraldin› Sim, Anita. A cada etapa torno-me um antropologo que sabe que conhece muito pouco ainda
    14/08/2007 14:43:57 ‹giraldin› apesar de aprender muito neste curso
    14/08/2007 14:43:58 ‹tewaxurejavae› Anita este tambem é um sonho de todos indios por que a unb é referencia no brasil eu tive oportunidade de conhecer em 2006 num evento de lançamento da .:. Rede Brasileira de Instituições de Ensino Superior Indígena e gostei da UNB
    14/08/2007 14:44:06 ‹Anita› maria beatriz seja bem vinda!
    14/08/2007 14:44:55 ‹mariabeatriz› Boa tarde
    14/08/2007 14:45:15 ‹Anita› tewaxurejavae, é uma boa universidade sim…e a luta é grande para a inclusão indígena…
    14/08/2007 14:45:47 ‹mariabeatriz› Vcs sabem que na UNEB vai ter cotas pra índios no próximo vestibular?
    14/08/2007 14:45:54 ‹giraldin› Maria Beatriz poderia se apresentar?
    14/08/2007 14:46:00 ‹Anita› were, marcelo, entrem na roda…vcs estão muito calados!
    14/08/2007 14:46:20 ‹Sebas› desculpem..terei que sair…..deixo aqui me e-mail…se antes de se despedir cada um pudesse deixar seu e-mail….posso pegar despois com CURUPATY… PARABENS a todos por este CHAT!!! Agradeço!! sebastian.thydewas@gmail.com
    14/08/2007 14:46:49 ‹Anita› Sebas, forte abraço, estamos por aqui!
    14/08/2007 14:47:27 * were saiu
    14/08/2007 14:47:30 ‹giraldin› Abraços Sebas: giraldin@uft.edu.br

  2. Isso é o primeiro passo para os EUA tomarem a Amazônia ao doutrinar os povos indígenas e os instigarem à independência do país.
    WARNING

  3. eu queria muito fazer escrição do vestibular da uft do meu estdo a onde eu mora pestinho.eu nome é lucas wakuke de brito xerente e-mai:l.wb.123@hotmail.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here