Amigos, paentes e irmãos, vai abaixo um poeminha lírico, é para aqueles que dizem que aqui nunca falamos de flores, beijos e aurora.

BEIJOS E VIOLA

Juvenal Teodoro

O coração tinhoso bate por Flora

Lábios frios colados aos dela

E pisca o sol para o olhar de Aurora

Que de tanta inveja olha da janela;

O trovão estala na casa de Aurora,

Na casa de Flora beijos e viola,

Á noite o corpo rola na cama à mola

É Aurora tesca não se consola.

É tarde morna que violeiro adora

Bolina o dedo, a língua embola,

No frescor da noite vai-se embora

Na hora que Flora chora e sorri Aurora

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here