Local: Auditório Governador Paulo Souto – UESC

Seminário de Pesquisa no Campo

Realização: UESC/PARFOR; Grupo de Pesquisa Movimentos Sociais, Diversidade Cultural e Educação/UESC

 

Por Casé Angatu

 

Resumidamente: a ideia do Seminário é a discussão crítica das políticas públicas educacionais efetivadas ou não pelo estado em relação à educação no campo, especialmente no Sul da Bahia.

 

No evento, através da nossa participação (Prof. Dr. Carlos José F. Santos – Casé Angatu) numa das mesas (“Qual o Campo da Educação do Campo?”), incluiremos o debate sobre “Educação Indígena, Educação Escolar Indígena e Educação da História e Cultura Indígena em Escolas Não Indígenas”.

 

A proposta do evento vale como um todo e encontra-se descrita com mais clareza na sequência após a programação.

 

Carga Horária: 20h

Inscrições gratuitas e poderão ser realizadas na hora, sendo preciso participar dos dois dias do Seminário para obtenção dos certificados. As inscrições também podem ser feitas pelo endereço: http://www.uesc.br/noticias/?acao=exibir&cod_noticia=2846

 

 

PROGRAMAÇÃO

05/05 (segunda)

– 8:00: ABERTURA

– 8:30: Conferência de Abertura: Políticas Públicas do Campo na Atualidade

Conferencista: Profª Drª Sonia Fatima Schwendler (UFPB)

 

– 9:30: Mesa Redonda: Qual o Campo da Educação do Campo?

Profª Drª Maria Antonia de Souza (UEPG)

Profª Drª Sonia Fatima Schwendler (UFPB)

Prof. Dr. Carlos José F. Santos (DFCH-UESC) – Casé Angatu: Educação Indígena

 

– 13:30: Palestra: As práticas educativas em escolas do campo

Profª Drª Maria Antonia de Souza (UEPG)

 

– 15:00: O PARFOR e as pesquisas em Educação do Campo

Apresentação dos resultados das pesquisas realizadas nos municípios pelos alunos do PARFOR

 

06/05 (terça)

– 8:00: Palestra: A formação de Professores sob o olhar de Paulo Freire

Palestrante: Profª M.e Adelson Ferreira (UNEB)

 

– 10:30: Mesa Redonda: Desafios para a Educação do Campo na Regional Sul da Bahia

O Movimento Sem Terra – MST

REGIONAL SUL DO FÓRUM ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DO CAMPO – José Carlos Sena Evangelista

Movimento Jupará – Mera Costa

Escola Família Agrícola – Janira Sousa

 

– 10:00: Apresentação de Pôster no espaço do CEU

 

– 13:30: Visita às escolas do campo: Assentamento Terra Vista/ Margarida Alves/Tupinambá-Olivença

 

APRESENTAÇÃO DO EVENTO

As políticas de Educação do Campo não têm se efetivado em grande parte dos municípios brasileiros. O cenário hoje é desanimador, pois os dados do IBGE mostram que já são mais de 37 mil escolas fechadas no campo, com a proporção de uma escola construída para cada 100 escolas fechadas, e é no campo onde está concentrada a maior taxa de analfabetos do país. Nos últimos anos avançamos em relação aos marcos regulatórios, como o decreto 7.352, de novembro de 2010, que dispõe sobre a política de Educação do Campo e o Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária – PRONERA.

 

Da forma em que está estruturado o sistema educacional do nosso país, os estados e municípios são os responsáveis, principalmente, pelas políticas educacionais da educação básica. Mas, de acordo com as pesquisas realizadas, a maioria destas não estão sendo implementadas a contento, no campo. Um dos principais motivos é porque o governo brasileiro está mais preocupado em atender às solicitações do agronegócio, cujo principal objetivo é a produção em grande escala, para exportação, e não, a produção de alimentos para o consumo interno do País. Já a agricultura camponesa, ao contrário, garante mais gente no campo e mais produção de alimentos para o povo brasileiro.

 

E para que o povo camponês permaneça no campo, faz-se necessário pensar em políticas educacionais voltadas para a valorização da sua cultura e das relações de trabalho, contribuindo, assim, para que eles tenham qualidade de vida onde moram.

 

Assim, no intuito de debatermos sobre esse cenário de negação do direito à educação de qualidade aos camponeses brasileiros, e em especial da regional Sul da Bahia, por meio da implementação das políticas públicas educacionais, é que estamos propondo a realização, por meio do PARFOR/UESC, desse Seminário de Educação do Campo, nos dias 05 e 06 de maio de 2014, na UESC.

 

Os/As alunos/as do curso de licenciatura em Pedagogia do PARFOR/UESC, foram à campo, nos municípios onde residem, para pesquisar com estão sendo implementadas as políticas educacionais nas escolas do campo. E um dos principais objetivos deste seminário, é a socialização dos resultados destas pesquisas. Nesse sentido, convidamos a todos/as os/as interessados/as pela temática da Educação do Campo, para conhecer os dados evidenciados nas pesquisas, participando desse seminário conosco.

 

Objetivos: – Conhecer a conjuntura atual da Educação do Campo no Brasil, bem como a sua importância para efetivação de uma educação pública de qualidade para os povos do campo;

 

– Identificar as políticas públicas educacionais do PAR que são implementadas nas escolas do campo dos municípios da área de abrangência da UESC;

 

– Socializar os resultados de pesquisas realizadas pelos/as alunos/as do PARFOR- UESC, sobre os impactos positivos ou negativos das políticas educacionais do PAR, nas escolas do campo, com base nos dados coletados junto às secretarias municipais de educação dos municípios da área de abrangência da UESC.

 

Público alvo:

Pesquisadores, estudantes de graduação e pós-graduação, militantes de movimentos sociais e educadores dos seguintes segmentos:

• Educação do Campo

• Movimento Social e Sindical

• Educação Quilombola

• Educação Indígena

• Secretários de Educação, Coordenação e professores de Educação do Campo, quilombola e indígena (municipais e estaduais)

• Instituições de Educação Superior

 

Informações/Inscrições: http://www.uesc.br/noticias/?acao=exibir&cod_noticia=2846

 

Visitem:

https://www.facebook.com/pages/Campanha-Tupinamb%C3%A1/1416390165293755

 

#DemarcaçãoJá

#FimdaCriminalizaçãodeIndígenas

#FimdoAssassinatodeIndígenas

#CampanhaTupinambá

#Tupinambá

Comentários via Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here