No dia 15 de fevereiro de 2015 a Comunidade Indígena Pataxó Hã hã hãe da Aldeia Bahetá reuniram se em assembléia geral na região da Serra das Alegrias, (endereço onde a Assembléia foi realizada), desta cidade de Itaju do Colônia com o pleno objetivo de formar uma nova composição no quadro de lideranças indígenas da citada aldeia,  aberta a sessão plenária o indígena Jean Pataxó Borges convidou a todos para fazer uma roda de oração e foi feito um Tohé.

20150302_113120

Jean Borges deu continuidade na reunião dizendo da importância da união de todos para o avanço e conquista da luta indígena para a comunidade, o mesmo salientou que devemos fortalecer a nossa cultura para continuarmos forte em todas as caminhadas. Que todos ali presentes são parentes, e que juntamente mais Aritanan, Jorge de Jesus dos Santos e Juraci Santana Santos decidiram convocar a todos para a seguinte reunião por entenderem que era momento de propor a formação de um quadro atualizado de lideranças e até eleger um novo cacique, mas antes queria ouvir do cacique Reginaldo se o mesmo iria aceitar trabalhar para todos enquanto cacique e se assim fosse aceito pelo mesmo só bastava eleger o vice e as lideranças. O senhor Juraci Santana relatou que a sua grande preocupação é o total abandono pelos caciques, ao qual a região do Mandacaru está sem representação de nenhum cacique ou liderança e que é o momento ideal para criar a comissão de lideranças e se necessário fosse criar outro cacique, mas antes de tudo queria ouvir o cacique Reginaldo, pois,  nunca teve assistência pelo cacique, mas salienta a todos que também nunca o procurou. Jorge de Jesus lembrou que a reunião tem como objetivo a organização da comunidade, pois ao entender de todos não se pode organizar sem um cacique e um quadro de lideranças. Aritanã Muniz falou que esse momento de organização é para unir a todos num só objetivo, e que se caso o cacique Reginaldo não aceitasse trabalhar com os mesmos, ai sim, seria eleito um novo cacique. O cacique Reginaldo Ramos agradeceu a todos por esta ali e pediu permissão para começar a sua fala com uma citação Bíblica, em seguida o mesmo lembrou que temos que somar as lutas para que todos ganhem e que dividir só mostra sinal de fraqueza e todos saem perdendo. Que Conforme a escolha da comunidade presente na reunião. José Antonio Filho citou que o mesmo não aceita a criação de mais um cacique, pois por experiência própria já viu que nas outras aldeias pequena que tem outros caciques não tem tanta organização. Jaqueline Ferreira argumentou que é hora de todos pensarem numa organização que envolva toda comunidade, pois do jeito que está mal organizado e sem lideranças todos saem perdendo, que a mesma está pronta para lutar em defesa do povo, que a mesma está satisfeita com a decisão de escolha do novo quadro de lideranças e com a escolha do cacique Reginaldo Ramos para atuar junto com toda a comunidade das regiões adjacentes da Aldeia Bahetá. Wagner Ramos disse que é hora de todos concentrarem forças para atuar na função de lideranças, pois a situação não está nada bem na área da saúde, educação, social, cultura e econômico. Que é preciso muita união para conquistar projetos em benefícios para a comunidade. Sendo assim, foi que todos ali presentes avaliaram a real situação e de imediato decidiram escolher as lideranças dentre os indígenas que ali faziam se presentes, portanto depois que o cacique Reginaldo Ramos deixou em público a sua satisfação em dar continuidade aos trabalhos à frente do cargo de cacique, só que dessa vez com uma responsabilidade bem maior que antes, pois antes o mesmo era cacique de uma comunidade que apesar de pequena em tamanho, mas grande em tradição sempre manteve o foco em busca de melhorias e avanços nas áreas da educação, saúde, cultura e a auto sustentabilidade para as famílias indígenas dentro da autonomia e respeito sempre seguiram lado a lado em sua jornada. Hoje a luta continua, porém a aldeia Bahetá não é a mesma que era antes, uma pequena gleba de terra herdada pela história de seu povo e dos ancestrais que irrigaram o solo sagrado com o próprio sangue e que deixaram esse território como herança para todos os Pataxó Hã hã hãe que tem como sagrado o total cuidado com os rios, as matas, os animais e o solo dessa terra Mãe. Que a escolha do vice e lideranças deixaria a critério da comunidade, assim foi feito, imediatamente foram escolhidos e aclamados como lideranças escolhidos pela comunidade para prestar seus serviços de forma voluntária e responsável para a comunidade. Não tendo havido votação e sim escolha dos mesmos por capacidade, dedicação, conhecimento cultural e habilidades de lutar em pró do povo, sendo aclamados “Lideranças Indígenas do Povo Pataxó Hã hã hãe da Aldeia Bahetá  e empossados pela Assembléia Geral  ali presentes e sendo assim constituídos legalmente Cacique, Vice – Cacique e Lideranças Indígenas  pela comunidade ficou assim a nova estrutura tribal de lideranças da aldeia Bahetá. Cacique: Reginaldo Ramos dos Santos  ( Akanawã  Baênã  Hã hã hãe Txitxiáh), indígena reconhecido pela comunidade Pataxó Hã hã hãe, residência fixa na aldeia Bahetá, município de Itaju do Colônia, Vice Cacique: Jaqueline Ferreira Borges, indígena reconhecida pela comunidade Pataxó Hã hã hãe, residência fixa na região da Serra das Alegrias, município de Itaju do Colônia. Quadro de Lideranças Indígenas formado pelos indígenas: Aritanã Muniz Vieira, indígena reconhecido pela comunidade Pataxó Hã hã hãe, residência fixa na região da Serrana, município de Itaju do Colônia, Edgar Vieira de Souza, indígena reconhecido pela comunidade Pataxó Hã hã hãe, residência fixa na região da Serrana, município de Itaju do Colônia, Edenilson de Jesus Filho, indígena reconhecido pela comunidade Pataxó Hã hã hãe, residência fixa na aldeia Bahetá, município de Itaju do Colônia, Jean Pataxó Borges, indígena reconhecido pela comunidade Pataxó Hã hã hãe, residência fixa na aldeia Bahetá, município de Itaju do Colônia, José Antonio Filho (Tibiriçá), indígena reconhecido pela comunidade Pataxó Hã hã hãe, com residência fixa na aldeia Bahetá, município de Itaju do Colônia, Lucidalva de Jesus Machado Pataxó, indígena reconhecida pela comunidade Pataxó Hã hã hãe, com residência fixa na região dos Vinte e Cinco, município de Itaju do Colônia, Miguel Bispo de Jesus, indígena reconhecido pela comunidade Pataxó Hã hã hãe, com residência fixa na região do Pau Ferro, município de Itaju do Colônia, Jorge de Jesus dos Santos, indígena reconhecido pela comunidade Pataxó Hã hã hãe, residência fixa na região da Serrana, município de Itaju do Colônia, Josilene de Jesus Filha, indígena reconhecida pela comunidade Pataxó Hã hã hãe, residência fixa na aldeia Bahetá, município de Itaju do Colônia, Wagner Ramos dos Santos (Txawã), indígena reconhecido pela comunidade Pataxó Hã hã hãe, residência fixa na aldeia Bahetá, município de Itaju do Colônia, Encerrados os trabalhos e sendo empossados todos os lideres escolhidos pela comunidade em Assembléia Geral Indigena Pataxó Hã hã hãe da Aldeia Bahetá, o Secretário que redigiu a Ata deixou livre a palavra para que dela fizesse uso quem o desejasse. E como mais nada havia para ser deliberado, o Senhor Secretário determinou a lavratura da presente ata depois de reaberta a reunião, foi unânime aprovada, sendo assinada pelo Cacique, Vice – Cacique, lideranças e demais indígenas presentes na reunião.

20150302_113113 20150215_110024 20150215_105932 20150215_105848 20150215_105904 20150215_105925 20150215_105927 20150215_105932 20150215_110018 20150215_110302 20150215_110314 20150215_110322 20150215_110331 20150302_113113

 

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here