A Comunidade Indígena da Aldeia Itapuã, do Povo Tupinambá de Olivença, em especial mães e alunos, reuniu hoje, com os profissionais da Educação: Professores, Merendeira, e Serviços Gerais, com a presença da Cacique Tupinambá de Olivença, Maria Valdelice Amaral de Jesus – Cacique Jamopoty, para apresentação dos professores, e discutir a Educação Indígena.

Iniciou-se com a Oração ao Sol, puxada pelo Professor de Música, que depois entoou cantos a Jaci e Tupã, e logo depois a Professora Luíza, abriu espaço para a Comunidade se pronunciar. Foram vários temas discutidos, o mais focado foi Cultura e Educação, mas precisamente a Educação Diferenciada, que de fato nunca aconteceu.

A Comunidade reclama da vacância, que é deixada pelos professores que estão sendo capacitados e precisam se ausentar por várias vezes ao ano, os alunos chegam a ficar um mês inteiro sem aulas e ausentar-se durante período de uma semana é mais frequente, se faz necessário a capacitação dos professores, mas é inadimíssivel sacrificar o corpo discente. As Lideranças tem levado essa deficiência, ao conhecimento da Secretaria de Educação do Estado, a Direc, e nenhuma providência foi tomada para que esse período seja ocupado por professores substitutos.

Inicia-se amanhã, às aulas no Núcleo Escolar Aldeia Itapuã, sem merenda, e com carteiras em péssimo estado de conservação, muitas faltam o apoio do braço, sem filtro, ou bebedouro, sem tanque de reservatório de água, sem descarga para banheiros, e sem nenhuma estrutura para a Educação Infantil, pois nem assentos com mesa para os curumins existem. Na Escola Sede, sabe-se lá quando começará o ano letivo, pois os  transportes da empresa vencedora da licitação, ainda não chegaram na Aldeia Indígena Tupinambá de Olivença, comprometendo o ano letivo, para os professores e alunos.

Os Docentes chamaram atenção das mães, para que a ação educação seja coletiva, a fim de tornar a Educação Indígena Diferenciada de qualidade.

 

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Que absurdo!
    isso é revoltante, uma escola desse jeito nao é escola.
    Biblioteca, Merendas Escolares Saudáveis com Alimentação Saudável e naturais( organico), aulas de reciclagem e Laboratório para ciencias e pesquisa, artesantos e culinária.Aréa de lazer com oficina de Teatro e Cultura, Sport e brinquedos.
    Estimular e fortalecer a criatividade dos alunos e a inteligência humana para que haja na Terra um mundo melhor e mais justo, contribuir para a aprendizagem, a auto-realização individual e social e gerar maior produtividade de forma sustentável as dinâmicas populacionais em nível mundial. “O que se fizer agora, o resultado será visto no futuro, que futuro daremos aos nossos futerraqueos?”, aumentar a qualidade de vida e a sustentabilidade do povo(vida digna, com moradia e assitencia social, saúde e trabalho,) e diante de novos requisitos sociais, culturais e políticos, entre outros, faz parte da história da arquitetura escolar. E assim caprichar nas “habilidades” como saber pensar, pesquisar, elaborar, questionar, perguntar, duvidar.
    Educação è um direito para todos brasileiros.

  2. Parabéns Yakuy pela matéria sobre educação diferenciada e de qualidade na aldeia Itapoã , muito boa. Fico contente com o retorno de suas matérias tão expressivas e que fazem muita diferença na luta indígena . Um grande abraço.

  3. Gente, esse é justamente o ponto: NÃO HÁ UMA EDUCAÇÃO DIFERENCIADA acontecendo junto ao povo Tupinambá de Olivença! E faço essa crítica da perspectiva construtiva, ou seja, para que a secretaria de educação do estado da Bahia possibilite oportunidades reais e dignas aos indígenas que são potenciais transformadores da realidade planetária. Estou a disposição para contribuir (ainda que a certa distância) com a luta de vocês! Um abraço com saudades do povo Tupinambá que me acolheu com tanto carinho. Cinthia, antropóloga.

  4. Moro em Sao Paulo e estudei na Escola do governo, lembro q quando eu era criança, a merenda escolar era pessima, acho que os pais devem saber e controlar o que as crianças comem
    exigir mais do governo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here