Cada vez mais, me surpreendo com as atitudes de selvageria praticada contra toda humanidade, e ameaças constante de destruição da vida terrena.

O “homem branco” terá sido ele mesmo, humano alguma vez? Resposta, que só ele poderá dar, se ainda houver condição de responder. Talvez, ainda possam, são eles os detentores da cientificidade, que os ajudou a torná-los superiores, capacitando-os de tal maneira, que hoje, são capazes de destruir toda espécie de ser vivo existente, inclusive ele mesmo. Deixou de ser humano para se tornar “coisa”, e como tal, detém todas às respostas.

Criam Conselho de Segurança e Paz, e têm como conselheiros países armamentistas, que fomentam guerras, para venderem suas armas letais.

Criam religiões, que têm como escudo um Deus vingativo, que os ajudam a sustentar a escravidão, a espoliar a Terra, a usurpar, a punir, a coagir, separar, e ceifar vidas.

Reverenciam “heróis” sanguinários, e covardes. Criam uma visão de mundo, que nunca existiu.

Invadem territórios, matam milhares de pessoas, e dizem que descobriram, conquistaram. Passados 508, anos, e ainda falam: “Descobrimento do Brasil”.

Enriqueceram ilicitamente, às nossas custas, às potências mundiais chamadas por eles, são manchadas de sangue dos nossos antepassados, e ainda continuam fomentando a espoliação, desde quando, continuam retirando nossas riquezas naturais.

Transformaram um modelo econômico, em estilo de vida, que pôs fim toda essência humana, que havia dentro deles, hoje, são meramente robôs, perdidos no tempo, teleguiados ao consumismo irracional.

Suas atitudes são de isolamento, tudo faz para separarem uns aos outros, que se distanciam do SER.

Suas fantasias mirabolantes fazem estremecer o mais “selvagem” dos “selvagens”.

Às Regras, ou Normas, criadas, segundo eles, para manterem a ordem, servem de escudo para proteger os mais poderosos, valem somente, para quem pode pagar o maior preço.

Ainda perguntam para que, o “ÍNDIO”, quer TERRA. Roubaram tudo que é nosso, e ainda continua nos tirando, o pouco que ainda nos resta. E, dizem que o DEUS deles é brasileiro, e estão todos certos por sustentarem há 508 uma mentira.

Trouxeram para nosso território, micróbios letais, culturas inacessíveis, impuseram à religião, à prostituição, e a corrupção.

Delimitaram todo nosso território. Cada vez mais estão nos impedindo de viver, não respeitam a nossa cultura e tradição nômade, colocando-nos em confinamentos, que eles chamam de reservas indígenas.

Chamam-nos de preguiçosos, falam que a nossa vida é em Brasília, querendo, que o governo resolva nossos problemas. Agora vos pergunto quem são eles, para questionarem, ou fazerem qualquer juízo de valor em relação ao nosso Povo, sendo eles herdeiros de bens constituídos com o sangue dos nossos antepassados, e ainda hoje, nos matam, e nos roubam o pouco, que ainda nos restam. Povo sem cultura, pseudos europeus, que rejeitam sua própria história, preferem copiar a ser originário, não sabem de onde vem, quem são e para onde vão.

Nossa esperança, é que ainda existem seres humanos, além de nós Povos Indígenas possuidores da essência, que não se rendeu as futilidades, que conseguem nos enxergar como verdadeiramente somos, e acreditam que juntos podemos melhorar alguma coisa.

Esses arrozeiros, ou rizicultores como são chamados, devem estar de olho na segunda maior reserva de diamante do mundo, que pertence ao Povo Cinta Larga, querem transformar em uma segunda África, que eles matam os povos originários daquele continente, para usurparem suas riquezas.

As justificativas dadas pelos interessados em continuar usufruindo o que não lhes pertence, é vazio, haja vista, que se hoje, às fronteiras estão delimitadas, foi porque o Exército pegou pronto de nós indígenas, esse mesmo, que um dia permitiu às ONGs, internacionais adentrarem ao território, hoje, dizem que nós indígenas nas fronteiras somos uma ameaça a soberania nacional. Que soberania nacional é essa, que a maioria do povo, desconhece seus próprios direitos, a democracia, tanto falada, não existe, pois não há participação de todos, são poucos que decidem, e conhecem os seus direitos.

Interessante, como funciona o 4º Poder, a mídia, ou comunicação de massa, chame-o da melhor forma que lhe convir. Na verdade só tem uma função, a de delegada do Poder, seu papel na maioria é sensacionalismo, uma forma de enganar o povo, ocultar a verdadeira face. Suas informações têm sempre um objetivo escuso, impressionar o povo, deixá-los de tal forma extasiados, sem condição de raciocinar, dentro de uma lógica, mais próxima da verdade. O mesmo processo da propaganda é o da mídia, enganar, ludibriar. São poucos os veículos de comunicação de massa, que trabalham com seriedade, e independência.

Brasileiros, acordem, ainda não perceberam que estão sendo teleguiados, que um pequeno grupo, sente-se dono do mundo, e de todos nós, que assim como nós indígenas, e originários desse território, portanto os verdadeiros donos somos vítimas, do capitalismo selvagem, tanto quanto vocês. Já perceberam que vocês não têm direito de escolha, nem a cor da próxima estação, vocês podem escolher, alguém já escolheu por vocês, e tantas outras coisas, que sendo enumeradas, não haveria quantidade de papel suficiente.

Em nome desse estado avançado de desenvolvimento, ameaçam o fim. E, somos nós os indígenas, os “primitivos”, a raça vista como “inferior”, aliás, para a maioria deles, nem humanos somos, os primeiros da lista para desaparecer, sempre fomos objetos de caça, quando não nos matam com armas de fogo, matam-nos com os micróbios, ou confinando-nos, praticando o etnocídio.

Irmãos precisam acordar, e juntos, independente, de qual grupo pertença, lutar para termos uma vida digna, ter nossas próprias escolhas, e não às que são ditadas, direcionadas, que já estão prontas. Não precisamos de líderes falsos, juntos conseguiremos ser fortes!

Yakuy Tupinambá
yakuy@indiosonline.org.br

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Yakuy, valorosa guerreira Tupinambá, seu texto é um grito forte, ao qual se juntam todas as vozes emitidas pelo coração partido de tanta dor pelas atrocidades, históricas e atuais, cometidas em nome de um “Progresso” que patrocina a estrutura de poder doente desta Ilha da Fantasia chamada civilização ocidental.

    Não é preciso ser indígena para entender a tua visão crítica. É preciso ser humano de verdade, desejar um mundo melhor, mais justo, mais feliz, mais colorido, mais gregário e livre. E para tanto, é preciso fazer o que você fez com o teu texto: dizer CHEGA para as mentiras acobertadas por mantos de legitimidade.

    O mundo, felizmente, não é o que a TV mostra. Muito ainda pode ser salvo no planeta e na essência dos seres. Vamos acordar e nos unir, pois o trabalho a ser feito é grande.

    Parabéns, Yakuy. (Espero te encontrar logo no chat novamente pra saber como vc vai.)

    Um beijão!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here