Desde quando nos deparamos com assuntos sobre religião ligados a igreja e tratados pela mídia, a historia do menino Jesus é contada de varias maneiras, no entanto eu tenho minha versão.
Maria segurava um menino filho de Deus, criança essa, que ninguém saberia o certo de cor, raça ou etnia, mas mesmo assim a igreja fala que essa criança era branca, cabelos pretos e olhos azuis.
Mas eu vejo e tenho claro, que Maria está com um Índio guerreiro em seus braços, pois passamos por todos os sofrimentos que foram nos imposto desde o achamento do Brasil, onde até hoje mais de 500 anos continuamos as nossas lutas pelos nossos direitos e resistindo cada vez mais as represálias por parte do governo e dos genocídas e etnocídas.
Mais tendo isso como introdução, não podemos deixar de falar do Dia de hoje, dia esse de várias Maria.
A mais antiga comemoração dos Dia das Mães é mitológica. Na Grécia antiga, foi festejada a primeira comemoração em honra de Rhea, a Mãe dos Deuses.
O próximo registro foi no início do século XVII, quando a Inglaterra começou a dedicar o quarto domingo da quaresma às Mães das operárias inglesas que eram escravizadas nas grandes fabricas. Nesse dia, as trabalhadoras tinham folga para ficar em casa com suas mães. Era chamado de “Mothering Day”, fato que deu origem ao “Mothering Cake”, um bolo para as mães que tornaria o dia ainda mais festivo.
Nos Estados Unidos, as primeiras sugestões em prol da criação de uma data para a celebração das mães, foi dada em 1872 pela escritora Júlia Ward Howe.
Mas foi outra americana, Ana Jarvis, no Estado da Virgínia Ocidental, que iniciou a campanha para instituir o Dia das Mães. Em 1905 Ana, filha de pastores, perdeu sua mãe e entrou em grande depressão. Preocupadas com aquele sofrimento, algumas amigas tiveram a idéia de homenagear a memória de sua Mãe com uma festa. Ana quis que a festa fosse estendida a todas as Mães, vivas ou mortas (presentes e ausentes),com um dia em que todas as crianças se lembrassem e homenageassem suas Mães. A idéia era fortalecer os laços familiares e o respeito pelos pais. Durante três anos seguidos, Anna lutou para que fosse criado o Dia das Mães. A primeira celebração oficial aconteceu somente em 26 de abril de 1910, quando o governador de Virgínia Ocidental, William E. Glasscock, incorporou o Dia das Mães ao calendário de datas comemorativas daquele estado. Rapidamente, outros estados norte-americanos aderiram à comemoração.
No Brasil, o primeiro Dia das Mães brasileiro foi promovido pela Associação Cristã de Moços de Porto Alegre, no dia 12 de maio de 1918. Em 1932, o então presidente Getúlio Vargas oficializou a data no segundo domingo de maio. Em 1947, Dom Jaime de Barros Câmara, Cardeal-Arcebispo do Rio de Janeiro, determinou que essa data fizesse parte também no calendário oficial da Igreja Católica.
Embora que ainda fica a indagação, como era o menino Jesus? Varias pessoas tem seu ponto de vista, a igreja diz que o menino Jesus era branco, cabelos preto e olhos azuis. Será mesmo? Porque não negro ou indígena? Eis a questão.
No entanto, foi um grande lutador, como nós indígenas somos. Ele foi traído por ganância, egoísmo e inveja. Situação essa que ainda vivemos, pois os políticos do nosso país são gananciosos, egoístas, invejosos da sabedoria indígena e traidores, pois não honra a Constituição Brasileira nem mesmo seus códigos de ética, o qual estuda tanto pra nada, usam o mesmo de fachadas para enganar a sociedade. A partir do momento em que eles se elegem através do povo falando que vão dá melhores condições humanas de vida.
Eles estão muito enganados, pensando que vão nos enganar com suas palavras bonitas e difíceis. A justiça do homem pode não funcionar, mais a justiça Divina já mais se omitira ou falhará.
Nossas Mães indígenas foram as primeiras vítimas desses colonos usurpadores de direito, dignidade física e moral das nossas mulheres quando as violentavam. Já sofreram muito e ainda vem sofrendo com preconceito, discriminação em suas diversas áreas dos “tais homens civilizados”. Cabe destacar que, se não fosse a Mãe independente de cor, raça, credo, etnia ou questões econômicas. Nós não estávamos aqui para contar história. É muito fácil ter um relacionamento, e desse vir uma criança, o difícil e manter as responsabilidades das conseqüências. Onde geralmente o papel mais difícil fica para a mulher, desde acordar no meio da noite, para alimentar e medicar a criança, vai até a educação no meio social perante a sociedade.
Então nada mais justo, ter ciente que o Dia das Mães não é apenas mais um dia no calendário, mais todos os dias, porque a luta é constante.

Feliz Dia das Mães do Brasil e do Mundo!

Edcarlos (Carlinhos)Pankararu

edpankararu@yahoo.com.br
www.acaopankararu.blogspot.com

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Gostei muito desta matéria, Carlinhos. Tanto pelas informações históricas interessantes quanto pela sua maneira de ver Maria e o Menino Jesus.
    Como mãe, fiquei feliz de ler em especial a última frase, a que fecha a matéria.Pois é um pensamento universal, que serve em qualquer lugar do planeta.
    Abençoadas sejam as mães indígenas que têm filhos como você.
    Parabéns pela tua sensibilidade.

  2. Maravilha seu texto Edcarlos! O Espaço ganhou um toque diferente e informação não faz mal a ninguém.
    Forte abraço.

  3. Oi, Carlinhos Pankararu

    Sou católica e digo a vc que Jesus era judeu e por isso, jamais seia louro e de olhos azuis…isso é coisa da máfia que rege o Vaticano. Jesus não nasceu em berço de ouro mas em um estábulo,mostrando que veio para os oprimidos e humilhados e, assim sendo ELe passou a ter a cor de todas as raças, de todas as culturas e todos os povos, sofridos, oprimidos, humilhados. Maria, é a face feminina desse Deus que está dentro de cada um de nós e nos faz crer em um mundo melhor.
    Jesus não morreu em uma cruz por ficar rezando mas por ter organizado o povo para lutar contra as injustiças sociais e tbm neste sentido ELE tem o rosto dos povos nativos, dos povos de rua, do povo sem terra e sem teto, do povo sem comida e sem remédio!
    Me envergonha ver minha religião com uma liderança nazista e por essa e outras coisas eu continuo católica, porem, fora de Vaticano.
    Eu creio no Cristo presente no rosto sofrido de vossas crianças e quem me conhece e tem meu Orkut ou MSN, sabe que uso a foto de uma criança indígena coroada com a coroa de Cristo pq entendo que ELE é cruscificado a cada minuto que se oprime um povo, que se esmaga uma cultura, que se mata uma criança!
    A face de Deus é a nossa face pq ELE está dentro de nós e temos que entender e saber difirenciar o deus que o poder usa para impor sua hegemonia do Deus verdadeiro que nos criou por AMOR e nos faz AMAR!

    Um grande abraço,

    Juliani

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here