A mesa foi composta pelos jovens Maricá Kuikuro, Tauã Terena e Marciano Guarani.
Um dos pontos discutidos pela mesa foi à questão da formação educacional da juventude indígena como maneira de ocupar espaços de trabalho em nossas áreas que hoje são dos não-índios buscando melhorar a situação de nossos povos.

O uso que fazemos da tecnologia foi novamente levantado e defendido por Maricá, pois ele trabalha como cinegrafista e acha isso interessante para ser expandido entre os jovens e o povo indígena em geral. A juventude vê isso como um mecanismo para fortalecimento da nossa luta. Sentimos nas falas dos jovens a preocupação com o futuro de seus povos, pois muitos parentes segundo eles quando tem acesso a uma formação de qualidade não tem compromisso com suas etnias. Nossos parentes falaram da necessidade de aprendermos o que a sociedade envolvente tem para nos oferecer, usando tudo sempre a nosso favor, sem esquecermos e deixarmos de ser quem somos.

Foi uma discussão interessante, mas que poderia ter sido ampliada visto que são inúmeros os desafios e dificuldades dos jovens indígenas. Outro ponto que deveria ter sido mais enfatizado é como podemos superar esses desafios e unir a juventude para trabalhar pelo nosso povo já que não somos apenas futuro como também presente constante e devemos ser atuantes no dia-a-dia de nossas aldeias.

28/11/07…Dos indigenas da equipe Índios On-Line estao passando mal por causa da agua ruim do evento…)
———————-

Mais apresentações nos Jogos Indígenas em Olinda-PE

Nesta terça-feira, dando continuidade aos jogos, aconteceram durante à tarde na Arena montada na praia de Olinda, a apresentação de mais uma etapa da modalidade de arco e flecha. Esta foi uma das modalidades que chamou mais atenção do público com os guerreiros tendo como alvo o desenho de um peixe onde a pontuação era distribuída de acordo com o grau de dificuldade de acerto. O público presente torceu muito incentivando os guerreiros deixando a festa mais bonita. Apresentaram-se no Arco e Flecha 23 Etnias tendo 46 participantes e indo para final 21 dos quais os Rikbatsa e Gavião Kyikatejê foram os vencedores. Durante à tarde a etnia Xerente realizou demonstração de corrida de toras, onde dois grupos apostavam quem dava a volta primeiro na arena. Outra modalidade foi o cabo de força onde várias etnias participaram sendo a final feminina feita entre Manoki e Tapirapé com as Tapirapé ganhando e no masculino disputa acirrada entre Xavante e os Povos de Pernambuco (Pankararu, Kambiwá, Kapinawá, Pankará e Atikum) onde os Povos de Pernambuco ganharam. Durante os jogos, fora da arena, com um público consideravelmente maior do que no ginásio Geraldo Magalhães(Geraldão),os parentes de várias etnias estavam vendendo seus artesanatos.
Foi uma tarde muito alegre com participação ativa do público. Todos os parentes participaram, independentes de estar nas apresentações, pois estavam na torcida por suas etnias.

a equipe indiosonline nos Jogos recebe reforços..Luana Pankararu e Irembé Potiguara se somam aos trabalhos!!!!

————

27/11/07
Colocando a tocha no lugar certo…

Buscando soluçoes para os Jogos Indigenas e colocando tudo no eixo

Quarto dia caros parentes e não indígenas agora sim o evento esta indo de vento e poupa o dia começa no acampamento do ginásio do Geraldão em Recife as 04 e 30 da manha a pois aqui o sol nasce mais cedo, e todos nós levantamos para iniciar mais um dia de labuta no IX Jogos Indígena em Recife – PE, o dia começa com uma reunião as 08:00 com os coordenadores e idealizadores os irmãos Terena Marcos e Carlos para comentar sobre pequenos problemas ocorridos no últimos dias, assunto estes, segurança do parentes na região do Recife e Olinda, também pelo estarmos em uma localizada a qual a prostituição ocorre e para os parentes não caírem na sedução das profissionais do sexo pois elas tem esta habilidade e não ocorro a possibilidade dos parente levarem para dentro de sua aldeias possíveis doenças infectocontagiosas DST, outro tema foi a questão das águas para os parente não beberem água dos chuveiros e torneira pois temos em nossa enfermaria os pequenos índios com cólicas fato que esta sendo providenciado uma solução para o problema junto a coordenação e Funasa.

Outro problema foi com a policia do estado de Pernambuco e estava fazendo a segurança do evento a qual por falta de informação cultural em relação aos indígenas do Brasil e de sua própria região demonstraram de forma arbitraria e discriminatória na sua forma de abordar o cidadão, ocorreu que os policias enquadraram e revistaram índios que estavam na parte de trás da Arena de Olinda no dia 26/11, a busca de drogas a qual ele se referia a maconha, sua investida aos indígenas foi feita a partir de uma denuncia não informada ate o momento, outro policial teve que usar a intimidação usando um revolver contra a cabeça do indígena Pankarara filho da Cacique Dorinha

Compartilhando Culturas Indígenas

Esta noite do terceiro dia dos jogos indígenas guerreiros entraram na Arena em Olinda para demonstrar todas sua habilidades com a lança uma das modalidade esportiva do IX Jogos Indígenas, todos os guerreiros utilizaram diversas técnica para sobre por o demais guerreiros, alguns parentes por não ter o sistema de lança em suas etnias não constam e por isso tiveram dificuldade de alcar longas distancia dentro da area de lançamento mas o que e mais importante e que eles entraram demosntraram que mesmo sem ter dentro de sua cultura eles estão disposto a aprender e praticar o esporte

Equipe INDIOS ON-LINE:
Anápuáka Muniz Pataxó-Hã-hã-hãe
Jaborandy Aydê Tupinambá
Alex Pankararu
—–

Conheça também:

http://webradiobrasilindigena.wordpress.com
Contato:21 3313.9424 / 8803.5550
Anápuáka Muniz Pataxó-Hã-hã-hãe
(Erick Muniz)

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. MINHA NOSSA!!!!! QUE ZONA ESSE EVENTO,É POLÍCIA ABORDANDO OS ÍNDIOS,ATRÁS DE MACONHA,CHEGANDO AO PONTO DE BOTAR UMA ARMA NA CABEÇA DE UM ÍNDIO,ISSO É UM EVENTO OU PALHAÇADA,POIS OS ÍNDIOS ESTÃO SENDO POSTOS EM PERIGO,E SOBRE AS DOENÇAS,SÓ MOLHA O BISCOITO OU AFOGA O GANSO,QUEM QUISER,TODO MUNDO AÍ É DE MAIOR E SABE MUITO BEM AONDE AMARRA SEU BURRINHO,SOBRE A FUNASA,A FUNASA NADA FAZ,NADA FEZ,COMO SEMPRE IGNORA TUDO,PRINCIPALMENTE OS ÍNDIOS,NÃO FAZ UMA PREVENÇÃO SÉRIA,NÃO ABORDA O ASSUNTO COM CLAREZA,A FUNASA EXISTE PARA SERVIR DE IMAGEM,APENAS ISSO,FICA PARADA…ESPERANDO O BARCO AFUNDAR….É VERDADE QUE O MARCOS TERENA TAÍ???? ESSE É UM MALANDRÃO DOS MEUS TEMPOS,AÍ EM MARCOS TERENA,TÁ GANHANDO ALGUMA COISA,SE NÃO ELE NÃO TAVA AÍ PERDENDO O TEMPO DELE,FALAR NISSO,AONDE O MARCOS TERENA ESTAVA,QUE NÃO VIU,O OCCORIDO COM ESSE INDIO,QUANDO O PM COLOCOU A ARMA NA CABEÇA DELE,AONDE ESTÃO OS FUCIONÁRIOS DA FUNAI,QUE NADA FIZERAM,E NEM VÃO FAZER….ATÉ O FIM DESSE EVENTO,SERÁ QUE SOBRA ALGUM ÍNDIO AÍ VIVO…KKKKKKKKKKKKKKKKK….ESPERO

  2. Poxa, os nossos parentes tem que ficar de olhos bem abertos para resistir as tenatões que estão pelas esquinas do Recife. TB 4 dias sem ver nada.
    Tem que ter cuidado que a coisa é séria.

  3. recebi mensagem de sebastian gerlic, pedindo que nós aqui da cidade dessemos um apoio a vcs…Então, como posso ajuda-los?

    Anapuaka, Jaborandy há algum telefone que eu possa me comunicar com vcs?

    Aguardo

    Éthel

  4. Os Jogos representaram a força e a luta com que os povos indígenas do Brasil vêm resistindo. O mais lindo é poder ver a união, a alegria e a empolgação que envolveram a todos que estavam presentes. A recepção do povo olindense tbm foi mt importante, mas nem tudo sõ flores, houveram situções q ficaram a desejar para tornar o momento perfeito, porque inesquecível já é.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here