As Mortalidades das crianças indígenas de MS, os Homicídios, os Suicídios, a Prostituição e o Alcoolismo nas aldeias indígenas têm ganhado repercussão no Brasil e até mesmo nas mídias internacionais.O número de assassinatos de índios Guarani e Caiuá neste ano em MS, registrados até agosto de 2007, chegou a 27, ou seja, quase o dobro do ano de 2006, quando ocorreram 14 homicídios nas aldeias. Além dos casos de assassinatos, há suicídios por enforcamento entre os Guarani e os Caiuá, sendo 21 neste ano até o mês de agosto de 2007. De 2001 a 2006, 285 índios se enforcaram, sendo que 60 deles tinham entre 10 e 14 anos de idade, 103 tinham de 15 a 19 anos e dois eram crianças de nove anos. Os dados da Funasa (Fundação Nacional de Saúde), que dá assistência médica aos índios, mostram ainda que neste ano a desnutrição esteve entre as causas da morte de 12 crianças Guarani e Caiuá menores de cinco anos.
Na região sul do Estado vivem, segundo a Funasa, 36.843 Guarani e Caiuá. O alcoolismo está diretamente relacionado com os assassinatos, de acordo com a Funasa, facões geralmente são usados nos crimes. Na maioria dos casos, os índios que matam ou são mortos estão bêbados. A Funasa contratou quatro psicólogos, sendo dois deles indígenas, para atender os Guarani e Caiuá em programas de combate ao alcoolismo. Uma outra preocupação do órgão é o uso de drogas e o alcoolismo que são apontados por antropólogos como causas dos suicídios. A bebida, segundo relato da Funasa, também leva pais indígenas a abandonar o cuidado com crianças desnutridas, levando à morte as crianças indígenas. Lideranças indígenas atribuem a desnutrição ao atraso na entrega de cestas básicas do Governo Federal.
Esses fatores, ou seja, esses problemas sociais nas comunidades indígenas têm um agente causador…Mas quem é????? Hoje o índio é visto como um bêbado ou como uma pessoa suja, que não tem valor por causa do alcoolismo…Mas quero deixar bem claro que o ALCOOL, o TABACO e as DROGAS não são produtos INDIGENAS, mas sim produtos feitos pelos NÃO-INDIOS, ou seja OS BRANCOS que ingerem, usam e até tiram vidas.
Diante dessa situação os INDIOS se tornam ociosos não porque eles querem, mas hoje o confinamento das terras indígenas tem causado esses problemas. A Funai (Fundação Nacional do Índio) mantém apenas quatro seguranças nas aldeias de Dourados, que abrigam 11.198 índios e onde ocorreram pelo menos 12 homicídios neste ano. A FALTA DE TERRA nas aldeias de Dourados é uma das causas desses problemas porque 11.198 índios vivem em apenas 3.500 hectares. Mesmo com essa situação, temos feito diferença para a Sociedade Brasileira, da qual somos também membros, e tido muitas vitórias.
Abrindo a cortina!!!!!! Alguns avanços e vitórias em nossas comunidades indígenas ficam obscuras, aparecendo só esse lado negativo do nosso Povo Indígena. Além disso, casos isolados de algumas etnias são generalizados para todos os povos indígenas. Não se pode esquecer que no Brasil existem cerca de 200 povos indígenas, com línguas, culturas e realidades totalmente diferentes entre si.
Atualmente aqui em MS, temos Índios PHD´S, Mestres, Graduados, Vereadores, Advogados, Psicólogos, Enfermeiros, Fisioterapeutas, Administradores da Funai, que antes só estava na mão dos brancos. Também, hoje cerca de 500 índios estão nas Universidades (Publicas e Particulares), que brevemente serão capazes de ocupar espaços sociais com o não-indio, onde de forma justa exercerão sua cidadania junto à sociedade brasileira.
Em minha Comunidade, Aldeia Aldeinha de Anastácio/MS, temos 32 indígenas nas academias, temos 1 Escola Estadual Indígena com quase 500 alunos, onde 90% do Corpo Docente é Indígena. O mesmo acontece também nas aldeias de Dourados, Aquidauana, Dois Irmãos do Buriti, Miranda, Nioaque, Sidrolândia, e outras onde estamos fazendo diferença através da Educação. Portanto, resta para nós jovens indígenas universitários, conscientizar nossa comunidade sobre a importância do estudo para o encaminhamento de soluções para nossos problemas, abrindo novas perspectivas para os jovens das comunidades indígenas através da Educação.

* André Luiz Ortiz(Tuka Terena)
Índio Terena, Acadêmico de Direito UCDB/CG,
morador da Aldeinha de Anastácio/MS.
e-mail:andre.ortiz-jus2008@hotmail.com

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

12 COMENTÁRIOS

  1. Parabénsss amigo Tuka, você está mostrando a realidade da sua região.
    Agora você é o reporter do seu povo e dos povos do Mato Grosso do Sul.
    Abraçooooo
    E continue assim!!!!!!!!!!!!!!!

  2. Não sei se primeiro PARABENIZAR voces pelas importantes conquistas ou mais uma vez manifestar minha dor e repugnancia pelo quadro terrivel que voces atravessam.

    Concordo plenamente, que atraves do estudo, da ocupação, da luta politica, da uniao social, voces podem reverter o quadro. Acredito em programas como o AJI e mesmo este portal para, fortalecer os indigenas e estes assumirem as redias de suas vidas, encorajandose para lutar contra as injustiças, a corrupção, a ignorancia….e deixando o suicidio e o alcool de lado!

    Por favor continue sempre partilhando suas informações e opinião!

  3. Olá, André Luiz Ortiz(Tuka Terena)

    Seu texto, lavou minha alma!
    Alma de índio, em corpo de branco!
    Alma de gente q não se satisfaz com poucas explicações!

    Moro no RJ, distante de qualquer aldeia indígena mas sei que o alcoolismo, as drogas, a prostituição e a despolitização nascidas no mundo dos invasores deste território, tomam conta dos povos nativos ha 508 anos e, ninguém faz absolutamente nada para mudar este quadro!

    Não gosto de ver índio se fazendo de coitadinho, infeliz e incapaz, pq não são!
    São homens e mulheres, seres humanos com direito a liberdade de viver em sua cultura e capazes de mudar este quadro!

    Divulguei os textos que falam sobre os suicídios e recebi respostas como:
    “Índios sempre se mataram…isso não é novidade…o que vc quer q eu faça?”
    ” Os índios irão para o inferno pq deixaram de amar a vida!”

    Sabe, André, eu não aguento mais isso!
    Vc é um dos que pode continuar sua luta, divulgando os acontecimentos positivos, trazendo para os jovens indígenas, vida, esperança, vontade de lutar, vontade de viver!
    Então faça!!! Por favor, não deixe de nos trazer notícias!
    O mundo generaliza o mundo e ninguém respeita as diferenças!
    Este espaço virtual foi pensado por um “não índio” e eu tbm “não sou indígena”…precisamos unir forças…mais e mais!
    Este planeta geme de sofrimento e miséria e enquanto entendermos q a nossa dor é maior do q a dor de nosso visinho, não caminharemos!
    Aqui, na cidade grande, o número de suicídios não é revelado, pq o sistema estaria tbm comentendo suicídio ao faze-lo. Mas saiba que não é menor do que nas aldeias! Revelar esta verdade é assumir que faliu, é assumir sua maldade!

    Existem pessoas boas e más em todas as culturas!
    Pessoas de boa vontade, pessoas de luta …devem se unir!
    Me revolta ouvir frases como eu ouvi e, não se preocupe, pq eu respondi a altura!
    Quero saber quem assume a culpa de assassinar jovens, crianças, adultos, pais de família, nações inteiras?!
    Quero saber quando iniciaremos um movimento sério e urgente de união de todos os povos nativos e de todos os movimentos populares a favor da VIDA!?
    Depende de nós!

    Muito obrigada pelo texto e pela esperança que vc trouxe!

    Um grande abraço,
    Laura Juliani (lj.juliani@gmail.com)

  4. Tuka Terena está de parabens sim, por divulgar essa notícia tão triste, mas esse índice altíssimo de suicidios cometidos pelos indios jovens, não é só alarmente como é um tema que vem sendo abordado de loonga data!
    Estive na Missão Caiuá, em 1972 (no hospital de indios) e o problema do alcoolismo e da prostituiçao já estava começando a se instalar.
    O que eu queria dizer, é que URGETEMENTE é necessário que se faça aqui no Sudeste uma reserva indígena como o Xingu, não necessáriamente tão grande , mas adequada aos usos, costumes e sobrevivência desses indios, que não tem perspectivas de futuro! Não têm nem o direito de sonhar!
    Uma vergonha para nosso país, crianças indias morrendo subnutridas!
    Gente, vamos por favor tomar uma atitude!!

  5. Olá!!! Tuka Terena eu gostei muito dessa matéria que envolvi a prostituiçáo, o alcoolismo e fala dos homicídios e as drogas aqui na minha Aldeia estamos com alguns desses problémas tenho com exemplo uma parente que usava drogas e bebia muito e na hora da loucura enforcou-se, o ano passado tiveram muitas mortes envolvendo outros indios da Aldeia. Bem,como a nossa aldeia é em uma cidade praiana a prostituição e as drogas estão presente na vida dos nossos adolescentes e pais de familias que quando começam ir para esse caminho vc sabe acaba entrando em roubos, almentando assim a violência, outro problema serio é o acoolismo principalmente envolvendo os índio idosos que por causa do vicio acaba gastando o unico dinherinho que tem para comprar comida com corote e fumo, deixando muitas fezes a propria familia passar fome. Precisamos é de programas de recumperação para ajudar o nosso povo e acima de tudo das nossas terras demarcadas para poder dar condição de vida melhor para o nosso povo.

  6. Parabéns! pela matéria Tuka Terena
    Tudo isso é triste que na maioria das aldeias vem acontecendo isso quando não assassinato vem alcoolismos muito tem vergonha de demonstrar esta realidade, pois acham que a que a justiça pode tirar seus direito e às vezes passam esta situação dentro da aldeia e que não são divulgado, alguns diz que a bebida faz parte da cultura e quando acontece algo de morte não procuram providencia ou um tratamento para aquele índio que esta no fico, também acontece muito caso de doença gerada pela bebida que os índios morrem, mas não sabe do motivo…Também existe alguma aldeia que estão desprezada e que não tem atendimento para este problema os órgãos responsáveis pelos índios não esta se importado com estes casos e as aldeias estão se acabando pelos maltrato do próprio povo isso porque não tem recebido atenção para um tratamento adequado.
    Acredito que estas coisas ruins poderem ser resolvidas com estas gerações novas, ou seja, os jovens podem mudar este quadro investindo nos estudos porque com os estudo ele pode resolver tais problema com sua formação de estudo.

    Grata:

    Yonana

  7. E trisre ver os povos indigenas sendo destruido pelos vicios,e abandonados por nossos governantes.

  8. Tuka Terena, sou descedente dos krenak e completamente boquiaberta com a situação dos indios caiuá,ms onde tive contato com a assistente social deDourados e Caarapó para adotar uma adolescente indígena. Sei que o caminho não é por aí. Moro uma área de 14 mil m2, próximo de Petropolis e gostaria de fazer algo para ajudar essas crianças e adolescentes. Aqui vai uma proposta de se criar aqui no sudeste um ponto de apoio para ajudar essas crianças que estão morrendo por fome, uso de alcool e crack. O que voce acha da ideia. Um ponto de contato para ações efetivas em prol desses povos completamente abandonados pelos orgãos oficiais que não cumprem oseu papel. gostaria muito de poder colaborar sem violentar a cultura deles. Aguardo resposta, assim que possível. Sou professora de história aposentada com pos em Educação Ambiental para os povos indígenas. Lourdes Maria

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here