Já estamos desgastados de tanto cobrar e esperar por promessas inválidas, relacionadas às bolsas do projeto índios on-line, cujo presidente da ONG THYDEWA Sebastian Gerlic nos pediu dados pessoais para que fosse repassado ao setor do ministério responsável por o nosso respectivo benefício. Bom, desde novembro de 2005 que aguardamos resultados, absurdamente ficamos 6 meses sem nenhuma satisfação ou mesmo uma explicação convincente que no mínimo recompensasse essa espera.
Frustravelmente, ao dia 12 abril de 2006, chegou-nos uma correspondência afirmando que o nosso capital já estava disponível, com nº. do benefício e convênio de cada bolsista.
Fomos até a agencia do Banco do Brasil mais próximo, como não tínhamos dinheiro para a passagem e alimentação, tomamos emprestados 100,00 R$ confiantes de que ao chegar ao Banco teríamos uma resposta positiva e assim poderíamos pagar o que devíamos. Nossa esperança transformou-se em revolta ao consultarmos o benefício.
O gerente do BB nos informou que o benefício existe, o convênio também, então a pergunta que não quer calar: por que o Ministério fica tentando ganhar tempo ou anular um direito que nos foi concedido? Se já lá qual for sua verdadeira intenção que fique bem claro que nós Tumbalalá não desistiremos jamais de cobrar o que é nosso por direito.

Intertumba (grupo de trabalho tumbalalá)
Cristiane,Robson,Elenilson,Juciara, Emanuela,Edilene, Edmar.
Coordenadora: Elaine

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here