CANOINHAS DA LAGOA

Aqui em Kariri-Xocó o tempo é coisa muito importante, como em todo lugar, mas o que faz a diferença, é como os indígenas relacionam com este marcador das épocas e eras do mundo. Cada fenômeno cultural, social ou natural vem numa determinada época ou tempo. Época da maturação do fruto da ubáia no mês de janeiro, época da Piracema subida dos peixes para desova em fevereiro, março época da preparação da terra. Mas na Época dos Ventos, era muito aguardado pelas crianças em setembro a outubro, porque neste perído os meninos mandavam os pais construírem pequeninas canoas com velas de retalhos de pano, para brincar na Lagoa do Cordeiro. Este ambiente lacrustre circulava o fundo dos quintais da Rua dos Índios, Rua Santa Cruz e Rua Dr.Clementino Dumont. Nas margens da Lagoa do Cordeiro tem uma grande árvore de marizeiro, mata-cabra, calumbí e junco. As canoinhas de velas eram feitas de raiz de timbaúba, madeira leve e branca. Os meninos faziam competições de velas, para ver qual o barquinho que chegava primeiro na outra margem da lagoa. Aqueles vencedores ficavam na competição até sair ocampeão. Enquanto durar-se o tempo dos ventos fortes num período de uma lua, era para se brincar de canoinhas na lagoa. As canoinhas recebiam os nomes das grandes canoas do São Francisco, pelo tamanho e fama, Canindé, Goiana, Marialve e assim por diante. As vezes aves aquáticas atrapalhavam as canoinhas, correndo atrás como os patos domésticos, que ficavamnadando na lagoa. Muitas vezes os rapazes com canoinhas maiores brincavam no próprio Rio São Francisco, alguns perdiam seus brinquedos estimados, o vento levava para outra margem do rio numa largura de aproximadamente 1500 metros, quase impossível acompanhar nadando. Atualmente são muitos poucas as canoinhas de brinquedos, se ver aqui e ali alguma perdida por admirador da arte. Nhenety Kariri-Xocó.

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here