Acredito que muitos de vocês já utilizaram um CADERNO para estudar. Dentro de nossa COMUNIDADE COOLABORATIVA de APRENDIZAGEM cada um de nós tem o seu caderno.

No caderno digital as coisas são bem parecidas com aquelas do caderno comum, porem também são muito melhores. No caderno digital você tem dois jeitos de trabalhar:

1) Você pode escrever e tudo mundo ver [PUBLICADO]
2) Você pode escrever e só você ver [PARTICULAR]

É o mais divertido é que você pode re-escrever infinitas vezes sem gastar a pagina.

As seis perguntas básicas:

1) Por que escrever?
2) Onde escrever?
3) Como escrever?
4) Quando escrever?
5) Para quem escrever?
6) Que escrever?

1) Por que escrever?

Porque para se relacionar com o mundo GLOBALIZADO de hoje é preciso escrever.
Quase todas as leis que regem o mundo “civilizado” estão escritas… Como “nesse” mundo os homens não souberam dar valor a palavra (ORAL) passou se a fazer tudo por escrito.
Por isso saber ler e escrever com consciência é importante.

Cada comunidade escolhe e faz suas leis, mas para interagir com o mundo GLOBALIZADO há que conhecer a forma certa de fazer isso. Ate que para mudar essa forma é preciso primeiro conhece-a.

Para um governo, uma agencia apoiar vocês, será preciso uma carta e ou um projeto. Será preciso mandar muitas coisas escritas, ler muitas coisas… Na maioria das vezes, ate se escrever um contrato. Contrato onde estará escrito os compromissos de cada uma das partes.

Alem de ser necessários vocês escreverem para se relacionar com o mundo GLOBALIZADO, escrever também pode ser muito útil para vocês mesmo.

Escrever pode ser útil para preservar sua historia e sua cultura… E para isso a REDE INDIOS ON-LINE é aberta para vocês.

Escrever vai ser a forma de cada um de vocês estudarem, vai ser a forma de vocês se relacionarem com os outros arqueiros, seja parente ou facilitador. É através da escrita que agente funda esta COMUNIDADE.

2) Onde escrever?

Escreva no seu caderno.
Primeiro faça seu login… (nome e senha)
Depois clique em Meu caderno
E depois em Escrever matéria

Sempre que uma matéria do portal lhe provocar uma reflexão; lhe incentivar a pensar alguma coisa, lhe trazer alguma idéia… Rabisque ela no seu caderno… Aponte. Anote.
Se a idéia vai tomando uma forma, um corpo, pode botar PUBLICA para outras pessoas interagir e se ainda estiver só fermentando dentro de você, você amadurece ela no estado PARTICULAR.
Para cada página de seu caderno você pode anexar fotografias, vídeos, áudios, links… Informações [TRANSFERIR ARQUIVOS]…

Mas, para falar a verdade seu caderno é também uma mochila gigante, nela você pode guardar fotografias, vídeos, áudios, links… Informações [ARQUIVOS]… Que você poderá vir utilizar num outro momento.
Só lembre que se o que você for escrever é privado [PARTICULAR], você deverá marcar isso no sistema de seu caderno na hora de salvar [SALVAR].

3) Como escrever?

Com liberdade e com consciência. Escreva com naturalidade, sem medo.
Você poderá melhorar seus textos infinitas vezes, você terá ajuda para isso de seus colegas arqueiros que lhe partilharão suas opiniões. Segundo a finalidade do texto, precisara cuidar mais da linguagem, segundo a finalidade poderá ser emotivo ou terá que ser mais “objetivo – racional”. Agente vai aprender todos juntos. A única dica é praticar, é escrever!

Você pode escrever tudo o que você quiser porque este caderno que a COMUNIDADE esta lhe disponibilizando tem infinito numero de páginas.

1 ) [LOGIN] Primeiro faça seu login… (nome e senha)
2) [MEU CADERNO] Depois clique em Meu caderno
3) [ESCREVER MATERIA] E depois em Escrever matéria
4) [SALVAR] Assim que você tenha escrito umas frases, um parágrafo… Uma idéia clique em Salvar

4) Quando escrever?

Sempre que sentir vontades escreva.
Muitas das matérias que você irá lendo no portal de nossa COMUNIDADE lhe incentivarão a escrever. Escrever sobre você, sobre sua comunidade, sobre como ela é, sobre o que ela necessita. Agente vai escrevendo para refletir sobre quem somos e que queremos. Que desenvolvimento queremos. Escrevemos para nos partilhar, para crescermos, para evoluir, para buscar transformações para uma vida melhor, seja da minha comunidade ou do Planeta.

5) Para quem escrever?

Aqui agente escreve para nossa COMUNIDADE COLABORATIVA DE APRENDIZAGEM; para dialogarmos juntos, para enriquecer nos juntos.
Poderá ter momentos onde você escreva para você mesmo, para sua comunidade, para outras comunidades, para o mundo. Outras vezes poderá ser especificamente para alguém… Para um parceiro, um técnico, um especialista, um financiador, uma secretaria, um órgão… Mas, o importante é saber que estamos todos juntos nos ajudando.

6) Que escrever?

Escrever é a nossa forma de conhecer-nos, escrever é nossa forma de planejar as mudanças que queremos. Tudo é valido de se escrever. Não se censure não se subestime, não tenha medo…
Muitos temas serão apontados pelo portal de nossa comunidade. E haverá um momento onde agente começara a escrever em formato PROJETO… Mas, não se assuste isso acontecerá de forma gradativa e suave.
Então, escrevamos para nós conhecer.
Como é sua aldeia? Tem mata? Tem desmatamento Tem rios? Estão poluídos? Como vocês se organizam? Que comem? Quais são seus problemas? O que vocês querem para o dia de amanhã?

Estamos juntos aprendendo a escrever.
Estamos juntos escrevendo para aprender.

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

8 COMENTÁRIOS

  1. COMO SEMPRE TUDO BEM PLANEJADO,PENSANDO EM TUDO TODOS VCS QUE ELABORARAM O ARCO PENSANDO EM FACILITAR NOSSO APRENDIZADO UM MUITO OBRIGADA EM NOME DE TODOS NÓS PANKARARU E DEMAS POVOS INDIGENAS.
    AGORA É COM NOSCO VAMOS GENTE MOSTRAR QUE CADA ESFORÇO FEITO POR CADA UM NÃO VAI SER EM VÃO, VAMOS RETRIBUIR COMENTANDO, ESTUDANDO E PULBLICANDO SOLUÇÕES E PROJETOS QUE VENHAM SER FEITOS EM PROL A TODOS POVOS INDIGENAS DO BRASIL.
    “TODOS NÓS SOMOS CAPAZES BASTA UM POUCO DE ESFORÇO,AMOR AO PROXIMO E UMA GRENDE VONTADE DE MUDAR ,ESSA HISTÓRIA DE HUMILHAÇÕES E DESCASSOS COM O NOSSO POVO”.

    UM ABRAÇO A TODOS DO ARCO!!!
    LIAN!!!!

  2. ESTE PROJETO DO ARCO DIGITAL CONSIDERA AS DIVERSIDADES DOS POVOS, RESPEITANDO SUAS PARTICULARIDADES,DESPERTANDO EM CADA TRIBO A FORÇA DE SEU POTENCIAL,SUA VERDADEIRA VOCAÇÃO. SEM DÚVIDA DEIXAREMOS UM LEGADO PARA A HUMANIDADE, EM CONHECIMENTOS AMBIENTAIS, CULTURAIS,ARTÍSTICOS,SOCIAIS E PRINCIPALMENTE NAS RELAÇÕES HUMANAS.CONSIDERANDO TODOS ESSES CONHECIMENTOS É HORA DE TRANSFORMA-LOS EM PROJETOS DE SUPORTE, PARA PROTEÇÃO DOS POVOS INDÍGENAS,CONSTRUINDO,RECONSTITUINDO O ÍNDIO GIGANTE SÍMBOLO SOCIAL E COLETIVO DO POVO.CADA TRIBO TEM SEU ÍNDIO EM PARTICULAR, COM SUAS PRÓPRIAS CONFIGURAÇÕES,ORGANISMOS, ÓRGÃOS,PINTURA,LÍNGUA,ESTRUTURA E CULTURA NESTE GRANDE SER ‘GIGANTE SOCIAL E COLETIVO’.AS TRIBOS EVOLUIRÃO SE FOR COM A PARTICIPAÇÃO DE TODOS, PORQUE NINGUÊM É ÍNDIO SOZINHO, TUDO É EM GRUPO.PARA QUE ESTE ÍNDIO ANDE É NECESSÁRIO ARTICULAR AS INSTITUIÇÕES SOCIAIS INTERNAS DA TRIBO,ORGANIZAÇÃO SOCIAL,POLÍTICA,E RELIGIOSA INDÍGENA,CADA INDIVÍDUO COM SUA FUNÇÃO NO CORPO COLETIVO,COMO SE FOSSE AS ‘CÉLULAS SOCIAL’.UM ABRAÇO A TODOS NHENETY.

  3. O arco digital cada vez mais procurando a facilitar como sempre acesso dos índios aos cursos isto de mostra o respeito de todas as pessoas envolvida neste trabalho que só tem a trazer melhorias as comunidades indígenas,este é espaço abertos para os indios os mostrar os problemas que afetão suas comunidade e esperar primeiramente por tupã e homens de boa vondade da terra que ajudem os indios resolver nossos problemas,mais uma vez agradeço pela iniciativa da thydewa e o arco e para todos um abraço!!!!!!!!!!
    inucenciokaririxoco!!!!!!!!

  4. Como sempre tudo bem todos planejado,pensando em todos vcs que elaboraram o arco pensandoem fortalecer é faciltar nosso aprendizado um muito obregado em nome de todos tupinambá e demas para nós indigena.
    SOMOS CAPAZER BASTA UM POUCO DE AMOR COMO O PROSINO !
    QUE TUPÃ ILUNIMA A TODOS ABRAÇOS PARA VCS?

  5. O arco com suas novas configurações visou uma forma de facilitar o intercambio das nações e assim dessa forma podemos nos conhecer melhor basta todos nos se unirmos e trabalhar, assim poderemos nos ajudar comentando nossas qualidades e defeitos e com a troca de experiência podemos encontrar soluções para alguns problemas.A TODOS PARTICIPANTES DO ARCO DIGITAL PEÇO QUE SE EMPENHE CADA VEZ MAIS NOS SEUS TRABALHOS PORQUE AS VEZES A SOLUÇÃO ESTA TÃO PRÓXIMA E NOS AS VEZES NÃO QUEREMOS ENXERGA.

  6. o arco ele permite que nós indigenas possa conhecer mais sobre esse mundo que nós vivemos um mundo globalizado é uma troca de experiencias vamos todos juntos lutar em pró de nossos entereces para que um dia nós posamos ter um futuro promissor.

  7. em toda minha vida nunca ouvir falar em algo par3ecido com o arco digital e graças a tupã que colocou pessoas iluminadas para nos guia por um mundo virtual tao aproveitoso e que com isso possamos nos preparar para lutar por um mundo melhor para nos indigenas.
    o arco permite o contato entre indios de diferentes etnias mas todos com um mesmo pensamento de mudar a vida nacomunidade com mauis respeito , aprendendo sobre nossos direitos e deveres ,incliusive eu acredito sobre cada missao que temos a cumperir .Porque acredito que o arco tem uma explicaçao para exixtir e ele estáaki hoje nao é por a caso.
    eu acredito que isso é divin oessa troca de conhecimentos,experiencias e outros.
    entaop deixo a minha mensagem a todos parentes vamos abraçar essa causa com amor mas muito amor mesmo porque o arco digital irá fazer historia.

  8. Oi!
    Queremos estimular ainda mais o debate (dentro da perspectiva do Ciberativismo). Deixe a sua opinião sobre o artigo abaixo! Existem alternativas políticas diferentes que o autor não mencionou? Seria possível combinar a idéia dele com outras formas de atuar em grupo ou individualmente? Aguardo sugestões para novos temas!
    Abraços,

    sérgio

    07/07/2008

    Autonomia ou hegemonia?

    A resistência ao neoliberalismo, especialmente ao longo da década de 90, foi protagonizada particularmente pelos movimentos sociais, seja pela renúncia de muitas forças partidárias a desempenhar esse papel, seja porque os efeitos mais cruéis do neoliberalismo se dão exatamente no plano social. Formulou-se nesse momento a expressão “autonomia dos movimentos sociais”, com o sentido de lutar contra a subordinação a forças políticas e lutar pelo predomínio das forças que mais diretamente expressavam os interesses populares.

    Mas que significado pode ter a autonomia do social? Autonomia diante do quê? O “outro mundo possível” pode ser construído a partir da “autonomia do social”?

    Essa autonomia aponta para a centralidade da “sociedade civil”, para a contraposição ao Estado, à política, aos partidos, ao poder – conforme ficou consagrado na Carta do Forum Social Mundial. No limite, se identifica com duas versões teóricas: a de Toni Negri, por um lado, a de John Holloway, por outro, ambas tendo em comum a contraposição ao Estado, promovendo, em contraposição, a esfera social.

    Essa concepção primou durante a década de 90 quando, colocadas na defensiva, as forças anti-neoliberais se concentraram no plano social, desde onde desataram suas principais mobilizações. A partir do momento que se evidenciou o desgaste precoce do modelo neoliberal – particularmente depois das crises nas três maiores economias do continente, México, Brasil e Argentina -, a luta passou a outra fase: a de construção de alternativas e a de disputa por uma nova direção política.

    Foram se sucedendo assim as eleições de presidentes, como rejeição dos governos neoliberais, em 8 países do continente – já com três reeleições -, marcando a fase de transferência da esfera predominante para a política.

    Quem não entendeu essa nova fase, deixou de captar o andamento da luta anti-neoliberal. Quem persistiu na “autonomia dos movimentos sociais”, ficou relegado ao corporativismo, opondo autonomia a hegemonia e renunciando à luta pela construção do “outro mundo possível”, que passa pela conquista de governos, para afirmar direitos – dado que o neoliberalismo é uma máquina de expropriação de direitos. Além de que outros elementos essenciais do anti-neoliberalismo, como a regulação da circulação do capital financeiro, a recuperação da capacidade reguladora do Estado, o freio aos processos de privatização, o avanço nos processos de integração regional, entre outros, supõe ações governamentais.

    Transformar a autonomia numa categoria absoluta – em qualquer esfera: social, política, econômica ou ideológica – significa não captar o peso das outras instâncias e entender a política como uma esfera entre outros e não como a síntese delas todas. A avaliação dos governos tem que ser feita em função da natureza do seu programa e da sua capacidade de realização, no caso do nosso continente, no período atual, pela ação contra o modelo neoliberal e a favor dos processos de integração regional e contra os TLCs.

    Os movimentos sociais são um componente, muito importante, mas não o único, do campo popular ou campo da esquerda, como se queira chamar, ao qual pertencem também forças políticas, governos, locais, estaduais ou nacionais. Nunca os movimentos sociais, autonomamente, dirigiram ou dirigem um processo de transformações na sociedade. Para fazê-lo, tiveram que, como na Bolívia, construir um partido – nesse caso, o MAS – isto é, restabelecer, de uma nova forma, as relações com a esfera política, para poder construir uma hegemonia alternativa.

    A autonomia que faz sentido na luta emancipatória é aquela que se opõe à subordinação dos interesses populares e não a que se opõe à hegemonia, que articula obrigatoriamente as esferas econômica, social e ideológica, no plano político. A passagem da defensiva – concentrada na resistência social – à luta por uma nova hegemonia, caracteriza a década atual no continente, que se transformou, de laboratório de experiências neoliberais, no elo mais frágil da cadeia neoliberal no mundo.

    Postado por Emir Sader (Carta Maior): http://www.cartamaior.com.br/templates/postMostrar.cfm?blog_id=1&post_id=192

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here