crianças

O Povo Tupinambá de Olivença é um Povo Guerreiro e irá lutar o quanto for preciso por seus Direitos.

Recentemente mais uma vez fomos apunhalados por uma decisão truculenta do Judiciário Federal de Ilhéus. Foi dado reintegração de posse aos invasores de nosso Território e com isso várias famílias serão desabrigadas, incluindo inclusive uma Escola e um Posto de Saúde que está sob ameaça de ser demolido.

Estamos falando de mais de 150 estudantes que ficarão sem aula, uma Comunidade inteira sem atendimento à saude e várias famílias sem suas casas.

Tudo isso está acontecendo na Comunidade do Acuipe. Esta mesma Comunidade em fevereiro do ano passado teve várias casas demolidas em uma ação feita com o apoio da Polícia Federal. Eu estive no local na época e fizemos uma matéria a respeito (vejam => http://www.indiosonline.net/mais-uma-acao-violenta-no-povo-tupinamba-de-olivenca/).

É um grande absurdo, estrangeiros chegarem ao Brasil, abrirem empresas (Primaver Empreendimentos), comprarem Terras em áreas reivindicadas por indígenas, conseguirem titular estas terras e terem todos os seus direitos mais do que garantidos, enquanto nós verdadeiros donos deste Território não sermos respeitados e muito menos termos nossos Direitos garantidos.

Queremos dizer à todos que estamos cientes de nossos Direitos Ancestrias e Constitucionais, e vamos lutar por nosso Território. Este empreendimento trará graves consequências tanto humanas e socias quanto ambientais. A área em questão é uma área de manguezal, importantíssimo para a biodiversidade e não vamos permitir que se destrua nem nossas casas. nem nossa Escola, nem nosso Posto de Saúde e muito menos o berçário de milhares de animais.

Há aqui um evidente conflito de direitos, onde a balança tem sido dura e pesada para nós indígenas.

São 513 anos de massacres.

Q u i n h e n t o s  e  T r e z e  a n o s  de  i n v a s õ e s em nossos Territórios Tradicionais.

Ainda hoje estrangeiros chegam ao Brasil para tolher nossos direitos, para nos matar e massacrar. Tudo isso com a conivência do Judiciário Federal de Ilhéus, do Estado da Bahia e da Prefeitura de Ilhéus. Um Judiciário que nos persegue, um Estado que nos nega Direitos e um Município que nos discrimina.

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR
Advogada Indígena, militante social pelos Direitos Humanos Indígenas. Potyratupinamba@indiosonline.org.br

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here