belomontee

Hidrelétrica da discórdia e monstro da morte; não existe nada de belo em um monstro grande que sufoca vida e entrega os povos a própria sorte.

Lamentos sufocados e lágrimas de dor – até para os filhos da terra negam respeito e amor.

O desejo do poder cega o ser; Forças destruidoras estão dando alimento para o Belo Monstro crescer; Os filhos do Xingu vão lutar contra o monstro mesmo que para isso seja preciso morrer.

Querem colocar uma barragem na veia do coração do rio – não se importam se coberta de sangue vai ficar a água e a terra; A fome da ganância ignora a tragédia da guerra.

Aracy Tupinambá, Niterói (RJ)

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here