Por Kaluanã Tupinambá

A comunidade Tupinambá de Olivença nos reunimos para retomar nosso território ancestral e exigir nosso direito. O governo faz questão de não olhar para o povo Tupinambá de Olivença, que 512 anos se passaram e ainda não tem terra demarcada para o povo Tupinambá. Um povo que todos os dias vem sofrendo ameaça, discriminação e preconceito por exigir a demarcação do território ancestral.

O povo Tupinambá de Olivença saiu para fazer as retomadas no dia 14 julho 2012. As comunidades fomos a Santana para retomar nosso território ancestral, uma área que ainda é dominada pelos restos dos coronéis do cacau junto com a agropecuária e grandes plantadores de palmito só para exportação. Monocultivos que estão destruindo toda flora e fauna. Terras indígenas que são só exploradas pela ambição dos fazendeiros, sem nem um respeito com a natureza e os povos originários que sempre permanecemos nessa terra.

Até agora só temos aproximadamente 20 fazendas retomadas pacificamente e nosso propósito para começar nossa auto demarcação é pelo menos ocupar 50% de nosso território. Nos Tupinambá estamos obrigado a fazer nossa própria demarcação, porque se ficarmos esperando o governo, vai se passar mais 512 anos sem demarcação.

Uma das recentes retomadas é aldeia Potyur que já foi ocupada a 2 anos atrás, mas teve reintegração de posse a favor do fazendeiro. Como sempre os índios foram obrigados a sair do seu território. Agora nos organizamos e voltamos a retomar nossa aldeia. Mesmo tendo reintegração de posse a favor do fazendeiro, ele não voltou a morar na fazenda, só voltou para tirar todos os pertences que estavam dentro da área e deixou a casa abandonada.

A vontade dos índios é que levem de nosso território até as casas deles. Que se encontram cobertas de matos e lotados de morcegos e insetos peçonhentos por todos os cantos das casas.

Nesta imagem estamos com os parentes reunidos para ocupar o nosso território junto com os guerreiros Pataxó de Coroa Vermelha.

Ao redor desta fogueira, estamos fazendo nosso ritual Porançi Tupinambá agradecendo ao grande espírito Tupã e pedindo toda a força, proteção e sabedoria dos guerreiros que não estão em carne, mas sim em espírito. Aweré!!!

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. Já que o Estado Brasileiro não cumpre com seu dever constitucional, somos obrigados a por nossa conta e risco a fazer a nossa auto-demarcação!!!
    Somos sabedores dos nossos direitos ancestrais e não vamos desistir nunca de lutar por nosso Território Tradicional, para que possamos viver em paz e livres em nossa casa e assim plantar, colher e viver em harmonia com a nossa Mãe Terra.

  2. Já pensou se os agricultores também pensarem que se o Estado não cumpre a sua obrigação de garantir o estado de direito a que tem e se a polícia não os defende da ação violenta que estão fazendo com estatal de retomada e aí pensam que também devem se defenderem da mesma maneira que vcs atacam as fazendas e as pessoas o que será que vai acontecer, e pelo que me consta estes agricultores compraram a fazenda e nunca a abandonaram pelo motivo de que nunca moraram definitivamente nela e sim e m Itabuna o que significa que não a abandonaram, acho que se a terra é de vcs quem é o culpado é o governo que vendeu, vcs vão para Brasilia acampem na porta da esplanada e só saiam de lá com o dinheiro para indenizar os agricultores, a não ser assim o resto é roubo

  3. Salve, Tupinambás!

    Salve, guerreiras e guerreiros de todo o Brasil, que lutam contra a invasão, o roubo e todos os crimes cometidos e que ainda se cometem em nome dessa invenção: a propriedade privada.

    Chegaram ao Brasil e impuseram uma lei sem perguntar pra quem morava aqui. Trouxeram africanos sem perguntar se queriam vir, para produzirem a partir do desmatamento e da destruição de uma natureza rica para uma sociedade que até hoje se incomoda de viver nos trópicos.

    Impuseram uma lei que, ainda hoje, só vale para alguns poucos, independente de sermos índios ou não.

    O ser humano ocidental, capitalista e cristão é um câncer que destrói tudo por onde passa, se multiplica descontroladamente e se julga superior, dono das coisas, como se o mundo estive aí para seu usufruto. Não percebe que ele (e todos os seres) somos PARTE das coisas.

    Viva as retomadas! Viva a nossa memória! Vivamos a natureza!

  4. caro Antonio Vasconcelos, ja estivemos muitas e muitas vezes em Brasilia pedindo a regulamentação das terras Tupinamba, eles só fazem prometerem e depois esquece. o unico jeito de pressionar é fazendo retomadas, olha só, retomada não é invasão, tudo isso aqui é nosso, nós Tupinamba nunca sairmos daqui e nunca vendemos nada, o governo sim deu titulo de terra a fazendeiro com indio morando na terra, como é que nós hoje somos chamado de ladrão e bandidos? dê uma olhada no artigo 231 e 232 e ver que eles criam as leis e eles mesmo não cumprem. antes dos portugueses chegarem, não existia esse negocio de demarcação não, e não é hoje que vamos precisar disso. a terra é nossa e sempre será nossa. retomada sim.

  5. Vasconcelos:
    Os indigenas não fazem nada contra os nenhuma pessoa..eles só vao atras de seus direitos…a Justiça só atende a quem tem dinheiro!

    É melhor o senhor pensar em “mandar” os pequenos agricultores para Brasilia que fazer apologia da violencia.

    Quem for em Brasilia vai se encontrar com OS GRANDE LATIFUNDIARIOS… não vai se encontrar com indigenas e enm com pequenos agricultores que nao tem dinheiro para estar em Brasilia (podendo ser queimados vivos em qualquer esquina)… Vai se encontrar com os GRANDES, aqueles que FAZEM LEIS…aqueles QUE MANDAM NAS FORÇAS ARMADAS…AQULES que tem filhos que botam fogo em “mendigos” e saem com em empregos gordos!!!!

    Indigenas e pequenos é para estar juntos!!! E tirar os GORDOS LATIFUNDIARIOS aproveitarores que escravizaram indios e pequenos…que engordam massacrando indios e pequenos!!!!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here