A violência imposta ao povo Pataxó hãhãhãe é o quadro mais real da situação atual vivenciada pelos povos indigenas no Brasil, ao longo desses quinhentos anos.
A morosidade da justiça e a impunidade recebem um cronologia de terror que, nos últimos anos, tomou proporção alarmantes, custando a vida de 16 lideranças indigenas e deixando sequelas irreparaveis na vida dos Pataxó Hãhãhãe.
Nesse cenário dandesco, dificil é destacar os casos mais cruéis.
Entrentanto,nesta tentativa, citamos:
Em 1983, o indio Antônio Julio da Silva foi atingido com um tiro na cabeça,por pistoleiro mandado pelo fazendeiro Marcos wandereley, o indio tendo ficado paralitico para sempre.
Em julho de 1986,um emboscada deixa gravimente feridos os indigenas Antônio Xavier(10 tiros),Anivaldo Calixto(01 tiro no peito),Enedito Vitor(02 tiros)e Leonel MUNIZ(01 tiro).
Em novembro de 1986, a aldeia São Lucas é invadida por pistoleiros e soldados da policia militar, fortimente armados.São assinados os indigenas Jacinto Rodrigues e José Pereira.
Uma criança recen-nascida também morre no conflito quando sua mãe fugia pela mata para se esconder dos tiros.
No dia 29 de março 1998, é encontrado morto o indigena Djalma Souza Lima, depois de ter sido sequestrado na Aldeia.Seu corpo apresentava vários sinais de tortura: unhas, dentes e couro cabeludo arrancados,caslvado e com queimadura em várias partes.
No final de 1888, no dia 16 de dezembro, é brutalmente assinado o cacique Joaõ Cravim Pataxó, aos 29 anos de idade, casado e pai de três filhos, numa emboscada que liga a cidade de Pau-Brasil- BA.
Nove anos depois, no dia 20 de abril de 1997, o rimão de Joaõ Cravim, Galdino Jesus dos Santos, é queimado vivo em Brasilia por cinco jovens de clase média/alta/ enquanto dormia numa marquise de õnibus.Galdino estava com um grupo de lideranças, cobrando da justiça providência para regularização das suas terras. O crime que chocou o país que até hoje clama por justiça.Antes de entrar em coma.”Galdino preguntou repetidas vezes:Por que fizeram isso comigo?”
No entanto, a luta dos Pataxó hãhãhãe pela recuperção das suas terras e proteção do que restou da suas riquezas naturais ainda continua, num movimento que só deverá cessar quando lhes forem devolvida as terras da área Caramuru Catarina Paraguaçu e, com elas, a sua dignidade enquanto seres humanos.
Como todo esses maltratos que nosso povo vem passando não aguentamos mais de tanto sofrer pois a cada dia que passa estamos predendo o nosso direito por que a justça esta concedendo para os fazenderios,pelo que nós observamos a anos atraz a justiça davam valor aos indios, hoje é o oposto esta dando o direito aos fazendeiros que não são donos destas terras, estes um individos que já tiraram muitas vidas dos indios inocentes, que hoje têm todo o apoio da justiça. Aqui ficamos refetindo que país é este? que se diz ser justo, é contra corupição pelo que nós estamos vendo esta praticando o mesmo, não entendemos esta justiça que só dá valor quem têm muitos dinheiros, e aqueles que não tem são oprimitos,frajelados, maltrados.
Em relação ao meu povo isto não é justo que a justiça está fazendo como nós será que eles não compreende que muito dos nosssos nação morreram na luta desta terra onde muitos grileiros tiraram as suas vidas,enquanto a justiça não tomou nen uma provodencia; com este fatos que vem acontece com nós isto nos deixa bastante revoltados, a cada dia que passa o meu povos esta se acabando muito estão passando dificuldade por falta da assistencia da saúde.A Fumai não esta se importando com a nósssa questão da terra.Será é impossivel que a justiça acham que o nossos sofrimetos indigenas é uma brincadeira.A Funai que diz que é um orgão tutor do indio, mas não esta dando assistencia ao indio em termo da luta pela terra.O Direitos Humanos que diz também em ajudar a causa do indio,mas que nunca gritou por justiça pelas mortes das 16 lideranças.IBama diz que preseva o meio ambiente mas infelizmente não se importou como o desmatamento florestal que o fazendeiro Jailme do Amor fez, na terra do indio.
Nós pedimos: chega de tanta demora estamos bastante cansados sofrer, nossos ainciões clama para que a justiça julgue a a nossa terra para podermos descança em paz, chega de tantas mortes na nossa aldeia,não queremos mais que derrame o sanguem do nosso povo feito por muitos grileios, chega de preder tantos parente,nós indio precisa vivver como todas as pessoas deste mundo,o que queremos é liberdade para podermos ter automonia na nossa aldeia organizando o nosso casa que esta uma bagunça.Eu yonana não aguento mais em ver tantas tristezas na minha aldeia preço que a justiça julgue a nossa terra, a nossa questão da terra estas há 24 anos de tramitação do processo no Supremo Tribunal Federal, a ação ordinaria encontra- se de julgamento,aguardando um parecer final dos ministro de Brasilia. Somente uma decisão favorável aos indios na parte do Supremo Tribunal Federal, poderar colocar fim a esse conflito, restabelecendo os direitos e a dignidade desta nação.

Yonana Pataxó

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Yonana, seu texto é exelente!
    Gostei muito que tenha colocado datas, pois muitos ainda pensam que não ha guerra no Brasil, que não ha conflitos e que somos diferentes do resto do mundo que vive em guerra! Não somos melhores e nem piores. Nossa luta é grande e precisa ser divulgada!
    Parabéns pela matéria!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here