O índio é um artísta nato, baseando-se em sua cultura, segue a linha tradicional. Na música tocam trombetas de taquara, faz um som carvenoso, que explica a origem do cosmo. As danças são expreções dos fenômenos naturais e culturais, os movimentos do vento tem coreografias, a chegada das chuvas, anunciadas nos cantos, traz as brisas do outono. A Pintura Corporal, mostra uma beleza espiritual, símbolos do universo mítico. As listas onduladas da emoção, círculos dos astros, figuras de setas do trovão, energizando a terra sagrada. A escultura em madeira mostra a realidade cultural, faces dos heróis do passado, ou imagens do inexplicável sentida pelo artezão. Na cerâmica utilitária, tem desenhos florais, das plantas da floresta atlântica, que hoje não existe mais, ramos, galhos dos vegetais. Os desenhos do artezanato, descreve pontos, traços lineares, horizontais, mostram aprofundamento, visão da paisagem local, rios, serras e a terra tradicional. Maracá instrumento musical, como chocalho indígena, são desenhados figuras, das constelações celeste, luas e suas fases, estrelas cadentes incandecentes. Colar das potencialidades, dentes de predadores, feras indomáveis, dar força ao guerreiro, as sementes incorporadas dar os dons procurados das plantas. Os brincos de penas de aves dar audição apurada, almenta os sentidos internos, dependendo da espécie do pássaro. O Cocar tradicional, hierarquia social, cada pena é uma conquísta, uma graduação temporal, ao longo dos anos vai se construindo, até complementar o círculo frontal.Nhenety Kariri-Xocó.

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here