A Pobreza e a falta de políticas públicas entre eles chagam a ser lamentável no ponto de vista humano.

Por: Edmundo Santos

De uma População no total: 19.715 índios Baianos mais da metade vivem em estado avançado de pobreza. Os povos: Arikosé, Pankararú, Atikum, Pataxó, Botocudo, Kaimbé, Tupinambá, Kantaruré, Xucuru-Karirí, vivem em total abandono, isso é o que mostra alguns levantamentos, feito por alguns parceiros da causa indígena. Não são números oficiais do Governo mesmo porque o sistema não se preocupa em fazer nem uma pesquisa com esses povos. Uma vez que eles significam pouco ou quase nada. Se a vida é difícil na comunhão nacional imagine viver dentro de uma aldeia indígena onde a cidadania é uma palavra que só se ouve quando se liga o Rádio ou de quatro em quatro anos quando aparecem alguns aproveitadores políticos dizendo que se eleitos forem irão lutar para que os índios tenham cidadania.
Dentro das aldeias pessoas estão morrendo de doenças primitivas como um caso
de uma criança que veio a óbito por excesso de verminose. Esse é o nosso país onde quem era dono de tudo hoje vivem a beira da marginalidade sem ter onde morar, trabalhar e nem estudar e ainda vive discriminado pelos setores da sociedade nacional.

Todos nós somos sabedores que Há mais de 506 anos os povos indígenas convivem com o descaso, o preconceito, a violação de seus direitos, as chacinas, as discriminações étnicas, culturais e a ausência de políticas públicas por parte dos governos. Os problemas são inúmeros: na educação, saúde, demarcações territoriais, transportes, moradia, alimentação, saneamento básico e as multinacionais da celulose que se tornou um problema sério para os indígenas. Hoje as terras indígenas estão sendo invadidas
para se plantar eucalipto. Principalmente aqui no Ex. Sul da Bahia.
As faltas de políticas públicas, a favor dos índios levaram os mesmos a um estado de empobrecimento crônico. Sem a política correta do governo mais da metade dos povos indígenas passam por privação alimentar. A FUNAI que foi criada em 1967 para trabalhar a sustentabilidade dos índios nada faz pelos os mesmos. Em parceria com IBAMA e a Flora Brasil montaram uma quadrilha para roubar e lesar os povos indígenas no Extremo Sul da Bahia. Movimentam quantia exorbitante em recursos para aplicar nas aldeias dinheiro esse que nunca aparece para melhorar a vida das comunidades. Enquanto isso os povos indígenas continuam cada vez mais pobres e miseráveis.
Vamos da uma olhada nos números nacionais numa pesquisa feita pelo UNICEFE e
o IBGE. Segunda a pesquisa : Os mais afetados com esses descasos são as crianças e adolescentes.
Segundo dados do UNICEF e o IBGE, vivem no Brasil 286,686 crianças e adolescentes indígenas, cerca de 45% desses meninos e meninas estão em situação de pobreza e metade deles não tem acesso à água potável.
Cerca de 21% dos meninos e meninas indígenas entre 7 e 14 anos não tem garantia de educação.
71,4% das crianças indígenas vivem em família que tem uma renda perca pita
de até meio salário mínimo por mês. Isso que dizer que esses indivíduos
passam o dia com menos de um real diário. Lamentável. Veja os números da
situação indígenas.
• 71% DAS CRIANÇAS E ADOLESCENTES INDÍGENAS VIVEM EM SITUAÇÃO DE POBREZA.
• 50% DELES NÃO TÊM ACESSO À ÁGUA TRATADA.
• 21% DOS MENINOS E MENINAS INDÍGENAS ENTRE 7 E 14 ANOS ESTÃO FORA DA ESCOLA.
• 15% DAQUELAS COM IDADE ENTRE 10 E 15 ANOS SÃO
ANALFABETOS.
• 13% DAS CRIANÇAS INDÍGENAS TRABALHAM.

É, a situação é vergonhosa e cruel. Cabe a cada índio lutar dia e noite, para reverter essa Situação cruel e escabrosa. Para mudar esses números perversos vai exigir de cada um indígena muita aplicabilidade e luta. Precisamos dar as nossas vidas se necessário for para mudar esse quadro de humilhação e perversidade contra os povos indígenas. Estude e muito, caros irmãos para darmos as nossas comunidades uma educação de qualidade, e quem sabe em um curtos períodos de tempo, possam bater no peito e dizemos: somos livres, verdadeiramente.

Edmundo Santos é membro da COEDIN (Comissão de Educadores Indígenas e
militante da Frente de Resistência e Luta Pataxó). Conaferd@hotmail.com

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

47 COMENTÁRIOS

  1. Eu pude conhecer de perto os problemas enfrentados pelos indíos pataxós no extremo sul da Bahia. Os índios que vieram de barra velha (Caraiva) e se espalharam pelo s. da Bahia vivem em condiçoes sub humanas nao tendo acesso a agua tratada ou esgoto podemos notar que a grande maioria das criança pataxós estão mal nutridas e possuem vermes . Só espero que Lula preste mais atenção a esse povo que afinal são os verdadeiros brasileiros

  2. Ruimmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm

  3. quero saber aonde os indios sobriver ” os indos baianos”
    como sobrivive, costumes, o que fazem para sobreviver i os problemas dela!

    tenha um bom dia.

  4. Bom dia!Gostaria de parabenizar o site pelo espaço e relembrar a todos que as questõews indígenas são do interesse de toda a sociedade,por mais que muitos não se deêm conta disto,pois “não é o índio que é brasileiro simplesmente, mas todo brasileiro tem raízes indígenas”.É lamentávem que alguns por falta de conscìência e reflexão,usem este espaço para expressarem palavrões e não comentários progressivos;com certeza,devem ter esquecido ou nem sequer sabem que todo brasileiro assim como miscigenado também tem sangue índio.

  5. VAI TOMA NO CU TODO MUNDO BANDO DE FILHADAPUTA AHAHAHHA SEUS FILHADAPUTA VAI DA A BUNDAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA

  6. Gostaria de parabenizar a comissão do COEDIN e principalmente o texto rico em verdades e números que se adequam a todas as aldeias do Nordeste e do Brasil.A verdade é que em muitas aldeias há ainda pessoas que mesmo sendo indígenas não lutam pelo coletivo muito aproveitadores e ambiciosos se apossam das nossas escolas, e mesmo tendo noção dos danos causados a comunidade, são considerados bons.
    Gostaria de parabenizar a ROSILENE TUXÁ e JERRY pela iniciativa de vir a nossa comunidade a fim de ouvir os problemas e tentar resolve-los, um passo de grande importância para que possamos resolver de vez a questão das políticas públicas e da educação.
    Questões essas que só serão resolvidas se consequirmos paralisar os oportunistas, e colocar na luta apenas aqueles que realmente desejam a cidadania do seu povo.E aos PATAXÓS até setembro no magistério indígena fuiiiiiiii!!!!!!!!!!!

  7. Os povos xucurus kariri nação indigena localizada em Palmeira dos Indios estado de Alagoas, desenvolve um trabalho de educação de jovens e adultos, ou seja foi implantado com o intuito de atender aos alunos que tiveram oportunidade de concluir seus estudos em tempo normal de escolaridade.
    A direção da escola que atualmente conta com ensino fundamental e EJA 1º e 2º segmento luta, por uma educação diferenciada de qualidade, com isto conta com o apoio da comunidade, onde o corpo docente trabalha em parceria tendoa em seu quadro professores não indigenas, mas que busca inserir na comunidade um ensino voltado para a reflexão, conhecimento e consciência.

  8. oi, pessoal

    foi bom ler para me informar mais. Fico triste com essa situação de descaso e abandono dos indígernas e a ausência de políticas públicas para os diferentes povos na Bahia e no restante do Brasil.

    Fico feliz ao ver que estão se formando educadores indígenas para trabalhar entre seu povo.

    Sou professora e fui aluna de uma pesquisadora que é comprometida com a preservação da cultura indígena.

    Sucesso para todos os comprometidos com a causa.

    AOS IMATUROS NAVEGANTES QUE SÓ QUEREM XINGAR E MOSTRAR A FALTA DE EDUCAÇÃO , VALORES E RESPEITO PELO PRÓXIMO, TENHAM VERGONHA E NÃO ACESSEM GASTANDO O DINHEIRO DE SEUS PAIS OU O DINHEIRO PÚBLICO (POIS TALVEZ TENHAM A CARA DE PAU DE USAR INFOCENTROS PÚBLICOS PARA ESTA ATITUDE ANIMAL)- SEM OFENDER OS ANIMAIS.

  9. Me interesso por tudo que diz respeito ao índio.Sou apaixonada pela cultura deles e tive o privilégio de visitar a aldeia indígena de Corôa Vermelha em Porto Seguro Bahia em Janeiro de 2008. Fui muito bem recepcinada, conheci a reserva deles, comi peixe assado na folha da patioba e até me ensinaram a lancar flexa. Amei! Foi inesquecível! Conhecí um pouco da cultura do nosso povo. Devemos amá-los e respeitá-los. Irmãos, um grande abraço!!! Amo vocês!

  10. É lamentável a situação dos indigenas, na Bahia, Em pleno século XXI, ainda vemos os nossos irmãos a beira da marginaliade, uma vez que se ouve a pregação dos membros da elite governamental, sobre a inclusãos social indigena, e ainda está acontecendo com eses indios essa situação desumana. Gente isso precisa acabar pois, nossos irmão merecem como todo cidadão uma vida em condição de dignidade humana. Vamos torcer para que esse quadro se reverta e os indios da Bahia sejam assistidos pelos setores estaduais e federal para terem uma vida digna e sejam incluidos na sociedade, que tenham acesso a saúde, moradia, educação de qualidade, e suas terras demarcadas.
    Isso é que é inclusão social, não da forma que atualmente estão vivendo.

  11. GOSTARIA DE PARABENIZAR A TODOS,PELA MATÉRIA, MUITO BEM ESCRITA E NOS FORNECE INFORMAÇÕES VALIOSAS. PENA QUE PRECISAMOS NOS DEPARARMOS COM COMENTÁRIOS TÃO IDIOTAS DE PESSOAS SEM COMPROMISSO E SEM MORAL. DE QUALQUER FORMA PARABÉNS PELO SITE.

  12. Muito boa a sua colocação,
    parabéns pela crítica!

    ps: desconsidere certos comentários totalmente
    incovenientes.

    abraço.

  13. acho bom que alguém neste mundo possa colocar a verdade em tão simples palavras, de um modo onde todos podem entender e conhecer as dificuldades dos povos indigenas na atualidade.adorei o texto e gostaria de agradecer por me ajudar no meu trabalho escolar. que as pessoas que escrevem besteiras se toquem pois ninguem aqui merece ser tratado assim principalmente alguem que se importa com suas origens.

    grata!xau!

  14. Moro em camaçari desde 2000 e gostaria de ter contatos com os outros indios da bahia de outras nações.

    Aguardo resposta.

  15. ainda não sei mais venho de uma família com traços muito forte indigena.Sei q pode ser da bahia. breve eu voltarei pra confirmar de qual nação indigena Sou.

  16. Não sou de nenhuma tribo mais acredito que nós podemos ajudar de alguma forma os indios, e o que eu posso fazer juntos com todos aqueles que quiserem ajudar é copiar o relato acima de Edmundo Santos e encaminhar via e-mail para todos os nossos conhecidos e com isso divulgar geral, para que todos inclusive as autoridades tenha conhecimento do fato.
    OBS. Da minha parte estarei fazendo isto agora. Faça vc tambem…..

  17. Sou apaixonada pela cultura Indígena quero conhecer qual quer uma. Se conseguir será meu Futuro tema da minha monografia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here