A luta de uma guerreira Pankararu, para preservar uma técnica tradicional de cura milenar
Ana Maria de Jesus 85 anos, aposentada, mora na aldeia Saco dos Barros. A historia dela e muito cheia de obstáculos, mais assim mesmo ela conseguiu supera todos eles, como uma forma de superação. Durante sua adolescência perdeu seus pais, casou-se com 14 anos, e seu marido na época tinha 34, passou um tempo, e começou a freqüentar a igreja católica, foi ai que passou a ser uma beata, mas não deixou suas tradições como curandeira (mulher que cura os doentes espirituais).

Ela também batizava os bebes recém nascido, em casa para que eles ficassem protegidos, de qualquer maldade espíritual. Teve uma época, que ela ficou muito doente, depois que perdeu seu filho, por causa de insuficiência respiratória, por isso ficou muito abatida, mais continuou lutando como sempre, para preservar a cura tradicional em Pankararu.
Ela gosta do que faz, porque e uma coisa que lhe dar prazer, e com sua sabedoria, tanto cura os irmãos, como há todos que a procuram, ela vive com a consciência limpa, e com o coração cheio de amor e bondade, com todos aqueles que precisam dela para qualquer cura ou concelho.

Maria Juliana Pankararu
E-mail: juli_pank@yahoo.com.br

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Muito bom! Graças a TUPA ainda existem muitas pessoas assim. Se algum PANKARARU leer este meu recado, por favor, abrace Dona Nedinha da minha parte, ela também é uma senhora cheia de amor e bondade.

  2. Pessoa madura:
    coração firme como uma pedra,
    coração tão forte como o tronco de uma árvore.
    Nobre face, sábia face;
    Senhor,Senhora dessa face,
    Senhor,Senhora de seu coração.
    Maturidade:
    Nobre face, firme coração.
    Este poema é de Angeles Arrien e eu dedico aos Curandeiros e Curandeiras de Pankararu, com amor no coração.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here