Os Griôs Pankararu, igualmente aos demais anciãos da Aldeia, já vem há muito tempo desempenhando uma importante participação na história e na vida cultural de toda a Comunidade Indígena.

Esses Mestres e Aprendizes de Tradição detêm os saberes culturais vindos de geração a geração, sempre se preocuparam com a educação das crianças, já pensando no fortalecimento da nossa identidade, taí a nossa existência hoje, com nossas tradições, apesar de várias tentativas de acabar com ela. Mesmo forçados a conhecer e vivenciar outras culturas contrárias a nossa, hoje o Povo Pankararu continua fortalecido na sua cultura.

Temos Escolas em todas as quatorze Aldeias que fazem parte do Povo Pankararu. Sentíamos a ausência das histórias, lutas e conquistas do nosso povo nas salas de aula. Nunca nos conformamos com os métodos de educação que recebíamos na Escola. O que os livros didáticos traziam sobre nós indígenas não retratavam a nossa realidade, um dos exemplos claros é que valorizavam e estampavam os nossos livros com os índios americanos. Hoje podemos dizer que através de muita luta, conseguimos um ensino diferenciado, a nosso caráter, específico com nossas histórias e realidades. Temos o privilégio de termos nossos professores todos índios e de fazermos o nosso próprio planejamento diferenciado de aula

Os Anciões ganham papel principal, podem contar e cantar as histórias de acordo com as nossas realidades. Contar para as nossas crianças na Escola sobre a importância dos nossos rituais, das nossas

ervas medicinais, dos curandeiros, das nossas parteiras tradicionais, do espaço físico e natural, lembrando sempre que precisamos da dignidade, do respeito à vida, do modo diferenciado se sermos.

A ação Griô Pankararu que já vinha se desenvolvendo com a comunidade, muito antes da existência da Ação Griô Nacional, desenvolve encontros com jovens em geral em duas Escolas do Povo Pankararu: Escola Dr. Carlos Estevão na Aldeia Brejo dos Padres e na Escola Logradouros na Aldeia Logradouros. Nossa primeira atividade foi realizada na Escola Dr. Carlos Estevão, com a participação de 50 pessoas entre crianças, jovens e adultos. Estavam presentes os alunos e professoras das 3º e 4º séries, e contou com a presença do Aprendizes de Tradição, os índios Pankararu, Atia e Yuran, as Mestres da Tradição Oral Maria Helena, Maria Gildete e Eurides.

Os trabalhos foram iniciados com um ritual próprio dos Pankararu, cantando um lindo toante (cântico indígena) em roda que é oferecido somente em momentos especial como este.

Foram contadas muitas histórias, sobre as danças e as práticas que eram usadas por nossos ancestrais e que conservamos até hoje, e a relação que a Natureza, os Animais e a Terra exerce sobre as nossas vidas.

Não só foi contada, como cantada e escrita no quadro a letra de cada Cântico, toante que cantava ou dançava.

Relembramos como ainda preservamos o Reizado, que é uma dança antiga que foi introduzida na nossa cultura e preservada até os dias atuais por nós Pankararu, da Dança do Passarin, que é uma parte do nosso ritual Pankararu.

Crianças pankararu pintadas para o início das atividades

Como o nossos Griôs costumavam participar dessa dança, teve facilidade de mostrar os personagens, seu nomes e funções na dança, sempre cantando em cordões os cânticos.

Depois de todos verem e ensaiarem passos das danças, o Aprendiz de Tradição teve maior orgulho ao ver que não foi difícil para as crianças aprenderem todos os passos ensinados.

As personagens do Reizado são:

* O Jaraguá
* A Margarida
* Os Doidos
* Os Mateus
* O Gentil
* A Rainha
* O Contra – Mestre
* Os Cordões Encarnado e Cordão Azul

Para fazer o som, o rítimo temos os Tocadores de pandeiro e cavaquinho.

* Letra do Reizado:

De madrugada
Quando o galo canta
A moça se alevanta
E pega a imaginar

Ai, ai meu Deus
que noite tão cruel
Meu Deus cadê o sol
E a lua kilarear.

* Toante Pankararu:

Passarin tá cantando

Passarin tá cantando

Passarin tá cantando

Passarin tá cantando

Mas ô passarin

Passarin do Bebedor

Passarin da Quixabeira

Mas ô passarin

Passarin do Juazeiro

Passarin do pé do milho

* Toante Pankararu

Tava na mata

Tava na mata

Tirando mel

Tirando mel

Mas ô quem cheguou

Os Pankararu

Mas ô quem chegou

Os Pankararu

Mas tá cantando

Os Pankararu

Quem fuma o Kampiô

Os Pankararu

Yuran Pankararu
Aprendiz de Griô
yuran@indiosonline.org.br

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

8 COMENTÁRIOS

  1. acho que nós indios estamos com nossa cultura quase naufragado, e se nos mostra o pouquinho que nós tem pras bracos, não adianta ter nossos segredos,não adianta ter cultura, temos e que preservar o resto que tem….
    ser indio e isso ter sergredo, ter diferença de outros atoa, que não tem niguem pro eles, nem deus, pois não sabe se comunicar com ele..
    e nos indigenas fazemos varios encomtros pra regatar a cultua, másse nos mesmo estragamos mostrando o reto pors brancos…
    meusparente, pense, quando mandar filmar os sergfredos da sua aldeia, fotos….
    nós não ganhamos nada com isso, o temos e pordireito, nosso segredo e nosso…
    e não de branco..
    será que osbracos comtam seus segredo pra gente.

  2. É isso aí parente!

    Esse projeto Griô, é execultado principalmente na nossa Aldeia. O que for repassado é pra nós, é para as nossas crianças, e é para o futuro da nosso povo. assim estamos fortalecendo a nossa cultura, segredos e outro conhecimento são reestritos. E o que está sendo enviado aqui para o site é o achamos que pode ser mostrado. Para mostrar que existimos, e porque não dizer fortalecidos com a cultura.
    Como disse, todos os nossos sábios indígenas, já vem a muito tempo e ainda continua
    ensinando seus conhecimentos para nós jovens, para o bem da nossa nação indígena. E levá-los as Escolas ajuda muito na construção de uma Escola diferenciada que tanto queremos, onde tudo está voltado a nossa própria realidade indígena.

  3. Meus amigos,
    Esse relatório mostrando o trabalho dos griôs pankararu é uma exigencia do Minc, para que os anciãos e anciãs que transmitem a cultura, recebam uma pequena ajuda de custo pelo repasse e registro das tradições, para que não se percam no tempo,e elas estão aqui na internet, num site que foi conquista de vocês, para que ganhem o ciberespaço.O relatório ficou lindo, parabéns! Não se preocupem, que a identidade indígena é muito mais forte e maior do que o pouquinho de tradição compartilhada aqui neste relatório pelos Griôs. Os ensinamentos mais importantes são de tradição oral, passados de pais para filhos, pelas lideranças, pelos pajés.Já vi o Atiã puxar esse toante e a força que vem dele, não pode ser mostrada nem pelo computador é dançar pra sentir! Isso não vai mudar, como não vai mudar a garra e a luta, a resistencia em manter suas culturas vivas, apesar de tudo e de todos esses anos em que a história deve reconhecimento e valorização aos povos indígenas.Concordo com Yuran, o que vai escrito e mostrado aqui nas fotografias, é só o que vocês decidirem compartilhar para o mundo. Agora, que eu acho importante os não índios conhecerem a riqueza cultural dos povos indígenas, acho sim, para combater o preconceito e a discriminação.A gente precisa conhecer algo, para aceitar e aprender a admirar.É minha humilde opinião.

  4. EU FAÇO PARTE DESSA TRIBO COM O MAIOR ORGULHO,VIVO EM OUTRA CIDADE MAIS SEMPRE LEMBRANDO DO MEU POVO SOU UMA INDIA PANKARARU,E ESSE SITE FOI O MAIOR PRESENTE P/ O POVO INDIGENA.

  5. sou uma fã, dos indios em geral, e o motivo do contato e pelo fato de estar proximo os jogos indigenas gostaria juntamente com uma outra amiga adimiradora a deise, poder ir com voces para o proximo jogo. fomos ataches nos jogos que teve aqui em recife-pe, e voces sao mais proximos de nos, se possivel gostariamos de ir com voces, o que devemos fazer para que isso aconteça? por favor nao demore a responder, preciso muito saber logo e adoraria ir com voces. obrigado pela atençao.

  6. SOU NAYARA UMA PANKARARÚ COM MUIIITO ORGULO
    DE SER UMA MINHA OUDEIA É TUDO DE BOM
    TENHO MUIITO ALEGRIA SOBRE ELES
    MEU PAI VEI UM ABRACO PARA TODOS ELE
    BEIJOSSS DA PANKARARÚ NAYARA

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here