Amigo, amante da natureza, nós índios

Buscamos justiça

Chamados selvagens, sofremos

Danos irreparáveis, como morte, selvageria,

Estragos, roubos, servidão e outras calamidades.

Fizeram-nos injustiça e

Grandes crueldades, mas

Hoje lutamos assim como nossos antepassados

Irmãos morreram lutando

Juntos pela preservação e identidade cultural. Éramos

Livres e senhores naturais de nossas terras,

Muitos são os que foram arrancados delas com suma violência

Nossas terras foram roubadas

Outra crença, muitas doenças apareceram.Ate

Presentes nos deram, tentando reparar tamanha injustiça.

Quando vivíamos livres não tínhamos divisão. Nossa

Riqueza era partilhada. Tudo era de todos, havia tudo

Só não desigualdade. A

Terra era de todos, tínhamos

Uma grande nação

Vivíamos em harmonia. Hoje

Tentamos preservar a cultura dos nossos ancestrais somos pataxó hahahãe e pedimos a Tupã por todos os povos indígenas:

Xucuru kiriri,truká, pankararu, tupinambá e outros

Zelando sempre por aquilo já nos pertence e buscando conseguir o que ainda não conseguimos.

A historia verdadeira os europeus não contaram. Para eles foram uma grande descoberta para nós foi uma enorme invasão.

Alessandra Gomes

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

  1. Quando reconhecemos os nossos potenciais, fica fácil conquistarmos nossos objetivos na vida, hoje nos fortalecemos ainda mais,pois é a união quem faz a força,e essa força nos temos somente em Santsé, que é essensial,por isso parente, tenha fé no que você tem de mais sagrado,e confie,lute, e siga seu destino.

    Jailton Pankararu

  2. Acreditem no potencial que vcs têm juntos. Com a união do seu povo, todos os sonhos de conquistas,certamente serão realizados.E uma coisa é certa, na vida as coisas boas e duradouras nao são faceis.Um forte abraço.
    Precisando, contem conosco.
    Soraia
    Porto Seguro

  3. linda e triste a sua poesia,pois retrata uma realidade que custaremos a corrigir.As vezes me sinto responsavel tb por tanto mal,pois so estou aqui por que em 1500 uns portugueses por aqui chegaram e começaram a destruir.Porem, saber que faço parte dessa naçao como descendente(afro-indigena-brasileira) me enche de orgulho.Continuemos a luta.
    val

  4. É difícil, se não impossível reparar o passado.Contudo, é o presente que nos revela o futuro, assim é contra a indiferença, a ignorância e a falta de respeito que deve-se lutar.Não posso admirar o que não conheço,mas como escreves ” zelando sempre por aquilo que já nos pertence e buscando conseguir o que ainda não coseguimos”.Esse é o caminho a percorrer, dar a conhecer com as próprias palavras, contar e sem deixar que sejam só os outros a fazé-lo. Voz aos que precisam falar!!!Ouvidos aos que devem ouvir!!!

  5. Caros Irmãos, sou indigena de mãe Terena e pai Guarani, sou nascido, criado e residente na Aldeia Jaguapirú.
    Sou Advogado, criminalista com pós graduação em direito Constitucional, sofremos muito neste que é um dos estados mais racista do sul do país, onde nossos povos foram covbardemente expropriados recentemente tivemos nosso povo despejados da TI Nhanderú Marangatú, território reconhecido,homologado e demarcado. Om Presidente Lula disse que a eleição de um indio para presidir a bolivia é um exemplo para o mundo, mas no brasil os orgãos responsáveis pelas políticas indigenistas estão nas mãos dos apadrinhados políticos, a exemplo da FUNAI que esta com o canalha do Mércio!

  6. O homem precisa tomar consciência do desmatamento que ele causa, enquanto destruir a natureza, tudo se torna mais difícil e mais complicado.

    O homem acaba sendo um irracional e os animais racionais.

    Sou estudante de “TURISMO” e ainda tenho muito o que aprender mas, o pouco que aprendi como pessoa e univesitário durante um ano, me abriu a mente e estou muito mais instruido para sempre estar ao lado do emio ambiente, da sauna e flora.

    Gosto do curso e me ajuda cada vez mais culturalmente e entender e lidar com o todo.

    Welmer Brito

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here