Por não haver um controle de pessoas estranhas na etnia, vem trazendo insegurança , o aumento de roubos de motos, carros e trafico de drogas!

Dizem que o progresso trás boas coisas,mas nesse caso para nós o progresso não está trazendo , pelo contrario, perdemos o sossego, somos prisioneiros na nossa própria etnia!

As drogas se alastram rapidamente, antes era a bebida, o tabaco, hoje a maconha é o maior problema!

As drogas são encontradas facilmente nas cidades vizinhas!

Nossos jovens estam se envolvendo cada vez mais cedo nesse tipo de coisa!

Estou assustada, só vínhamos esse tipo de coisa através da tv, hoje acontece por aqui!

O medo nos assombra, antes dormíamos nos terreiros, as portas não precisavam ser fechadas, tínhamos uma segurança, agora tudo mudou radicalmente!

Estamos presos em nossas próprias casas!

Não temos um controle, o acesso a nossa comunidade ! entra qualquer pessoa, ontem 22/10/2008 houve um roubo de um carro de um parente indígena,denomidade ( Pedro bola) carro este que transportava estudantes indígenas para a escola Pankararus e escola Indígena Ezequiel dos Santos!
E nada foi feito, além de motos dos indígenas que forão roubadas aqui mesmo dentro da etnia, isso esta causando revolta da comunidade indígena , o meu medo é que ja que as autoridades competentes não tem competencia para resolver esses casos , a população queira fazer justiça com suas próprias mãos!

Se não tomarem uma providência haverá uma guerra aqui, teremos que proibir a entrada de pessoas estranhas. Queremos que se tome uma providencia,nossas terras não seram, usanda para rota desse maus elementos e nem para o clime!

Tainá Pankararu!

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

13 COMENTÁRIOS

  1. Eu concordo que o progresso não está trazendo. Se vocês vivem suas vidas livres do roupa, não teriam este problema. Pessoas nuas não vendem drogas ou roubam motos.

  2. Não tem nada haver com o modo de se vestir.Como viver sem roupa em lugares urbanos? não tem como, não estamos mais em 1500 infelzimente.É um problema que está ocorrendo por todo Brasil não tem nada haver com roupa.
    É preciso trabalho de coscientização entre os jovens e tentam impedir o acesso de qualquer um nas aldeias.

  3. Concordo plenamente com vc , Guilherme Tabajara , o fato de usar roupas ou não , nada tem nada a haver .Qto a este problema de tráfico de drogas , roubos de motos e etc , com a infiltração de pessoas estranhas a comunidade , realmente é necessário fazer um controle entre vcs mesmos , de quem tem acesso a área indígena , quem usa de benefícios de conhecer alguém para se refugiar dentro da área e etc. Enfim , este é um problema que atinge acredito , não só os Pankararús , mas muitos outros povos indígenas , não só do nordeste brasileiro. Nosso amigo da nação Cheroqui (EUA) , com certeza deve desconhecer a realidade e diversidade de povos indigenas existentes no Brasil , e o gráu de aculturação de cada povo. Qdo fala em viver livre de roupas , como antigamente , revela desconhecer os povos indigenas do nordeste e ter aquela imagem de indios da Amazonia , sem contato , ou vivendo em parques como o do Xingú !!! Valeu a intenção dele , mas acredito ser equivocada !!!

  4. Caro parente sabemos que algumas aldeias esta ocorrendo este problema, e

    acredito quem pode mudar quem este quadro são os próprios índios, junto

    com toda sua comunidade.

    Não quero dizer que numa aldeia não se pode entrar ninguém, pode, mas

    acho que ela precisa ter ordem quem a entrassem precisa pedir autorização aos

    membros da comunidade e não fazendo o contrário chegando e tomando

    contata do pedaço, porque existe fatos quando aquele chegaste se instala na aldeia são

    privilegiado por alguns índios e eles acabam ganhando algum encargo… sinto que

    em alguns que alguns patente não esta tendo consideração pelo aquele índios

    que mora a muito tempo na aldeia, no entanto algumas pessoas pensa que

    estes fatos não acontece mais é verdade, e isto é preocupante porque se os

    índios não tomarem cuidado e não valorizar o seu próprio povo chegara um

    tempo que a sua própria aldeia será exterminada porque estas pessoas que

    se diz ser índios esta tomando conta do espaço do índios e tirando o seu

    direito na sua comunidade… sobretudo quem tem culpa são os membro da

    comunidade que não toma nem uma solução para o caso, ao meu ver os

    cacique e liderança tem um enorme papel para limpar este quadro sujo que

    esta ocorrendo na aldeia, e a Funai também precisa esta de frente para esta

    fiscalizando este caso porque se é um órgão responsável ajudar os índios é

    preciso que também auxilia para tomar tais posição com estes fatos.
    Grata:

    Yonana

  5. amogos

    sobre o comentario da parente CHEROAUI..eu entendi que foi uma IMAGEM.. ulma comparacao…. e acahei muito legal a sua proposta… sua provocacao.. reflexao… e concordo…que hoje se algum indio vende droga ou rouba motos… foi parte de um processo de mudanca cultural…que num momento fez com que muito indios deixam seus cosytumes de roupas para passar a usar as roupas do sistema… sistema que tem ladroes…. e outras coisas do genero….

  6. Não precisa de ir à Amazônia. Na aldeia de Conde, Paraíba perto da fronteira de Pernambuco, toda a roupa na praia (se chama ‘Tambaba’) é proibida por município lei. Quando as maneiras do brancos não funcionam, tente aquelas dos índios. Já viu um traficante de drogas quem está nu?

    Leia o texto aqui:
    http://www.tambaba.tur.br/normas.htm

  7. O Principal problema na nossa etnia é a frequente presença de pessoas estranhas, que usam as estradas que dam acesso a aldeia para praticar tais crimes, esses roubos que ocorrem por aqui são feitos por essas tais pessoas. Sabemos que as mesmas não fazem parte da etnia! Atualmente temos varias estradas que dam acesso as cidades vizinhas e eles a tem usado para sua fulga, usam como rota para o crime!

  8. Pois é, irmã enfelizmente essa é a realidade ,seria muito bom se as lideranças ,a funai sei la alguem nos ajudasse a resolver esta situação desagradável…

  9. Nossa!!!! verdade essa é uma realidade que cada vez mais esta se tornando fRequente nas aldeias
    do MS, aqui na minha aldeia, não podemos mais sair a noite pois a violencia é tanta!
    Pessoas não indias moram nas aldeia de Dourados. Pois na aldeia não se paga aguá..e taxas como IPTU e outros!
    Segundo dados “ocultos” cerca de 30% das drogas que entram no Brasil passam pelaS aldeiaS de Dourados BORORO E JAGUAPIRU…Porem o “pessoal” abafa o caso…ate quando isso! ja fui assaltada várias vezes dentro da minha propria aldeia..onde devia me sintir segura!…Creio que deve haver uma ação conjunta, jovens, e outros…e quando acontece algo de ruim é >>>sempre o JOVEM>>>!!! QUE É CULPADO>>>…TALVEZ ELES ESTEJAM USANDO DROGAS, E BEBIDAS ALCOOLICAS PORQUE NÃO HA OPORTUNIDADE POR EXEMPLO DE TABALHO, LAZER E OUTROS…

  10. O que é o progresso?
    A mídia e muitos autores nos dizem que progresso é a evolução cientìfica que nos tras recursos tecnológicos. O computador é um desses exemplos e podemos observer que esta máquina pode ser usada para coisas que valorizam o ser humano mas tbm pode ser usada para tudo que não presta.
    Por mais que eu admire a cultura dos povos nativos, entendo que não devo abandonar a minha…caso a abandonesse entraria em contradição pois vivo dizendo a vcs para cultivar e cultuar a vossa cultura que é para mim um dos maiores…senão o maior…tesouro deste planeta. Tudo isso tbm não significa que admiro tudo em minha cultura (não indígena, ocidental). Ha muitos erros, enormes contradições…mas tbm gostaria de deixar registrado que não devemos generalizar nada! Nem todo não indígena não presta…nem tudo que não é indígena não vale nada…e tbm não é todo indígena que é santo, puro e sem erros!
    Somos todos humanos e a miséria existente hoje em vossas aldeias é reflexo dos erros de minha cultura mas hoje tbm é reflexo da falta de união de vcs!
    Vcs precisam se unir mais e mais…!!!
    Precisam politizar-se… mas…o que é isso? Politizar-se?
    Politizar-se é tomar conhecimento dos valores das relações humanas existentes em todos os povos ou ao menos, de grande parte deles…só assim …com este entendimento, podemos analisar e escolher qual o caminho correto para seguir. A cultura de todos os povos vale tanto quanto a vossa, pq creio…somos iguais! Todos erramos muito! A droga, o alccol, a prostituição em suas diversas formas…estão presentes em TODAS as culturas deste planeta! Em todos os lugares existem grupos preocupados com a valorização humana e cabe a cada um de nós, compreender isso e nos unir…como um grande côro!!! O jovem não é culpado, culpados somos todos nós, pq não nos unimos, não buscamos alternativas, negamos as soluções que dão certo em outras culturas…só pq são de outras culturas. O problema do Alcool, por exemplo…é uma DOENÇA MUITO SÉRIA!!!! Doença esta que precisa de cuidados especiais. Não basta não ter acesso ao alcool para se curar…é necessário curar-se de dentro para fora. Em minha cultura existe um grupo chamado AA Alcólicos Anônimos e o trabalho deles é lindíssimo e dá resultado. Já conversei com Alex Panlararu sobre a possobilidade de levar este grupo para aldeia, mas infelizmente ha muita resistência…a resistência para as soluções é mais forte do que a resistência para o mal…que é a propria bebida. Pensem nisso!!! Politizem-se pq só assim terão a resistência necessária para impedir a entrada das coisas que não prestam, em vossas aldeias!
    Um enorme abraço a todos!
    Se precisarem de mim, é só chamar!
    Laura Juliani ( lj.juliani@gmail.com )

  11. Nenhum cidadão tem poder de polícia ou de juiz. Não deve fazer investigações por conta própria ou encarar criminosos. Se precisam de ajuda, se sabem quem é o criminoso, podem ligar para 2253-1177.O Disque-Denúncia é uma ONG que foi criada para que os cidadãos possam fazer sua denúncia responsavelmente contra algum ato que não é legal.O Disque-Denúncia encaminha sua denúncia para a autoridade competente, que fará a investigação necessária.Tem central no Recife.

  12. Realmente o problema com o tráfico é assustador. Muitos de nossos parentes se afundaram no álcool e, pelo que parece mais essa infiltração da cultura juruá está trazendo transtornos as comunidades indigena. Acredito que um bom programa de conscientização irá resolver parte desse problema aí na aldeia onde a Taina mora, mas a questão não é um fato isolado. Deve-se planejar uma ação conjunta, em outras aldeias, as que passam e as que ainda nao passaram por isso.

    A parente da naçao Cheroqui trouxe uma questão importante. Acredito que quando ela fala de tirarmos a roupa esta se referindo ao processo de aculturação que passamos. Eu mesmo vivo aqui em São Paulo, numa cidade toda de pedra sem contato direto com a minha cultura, o tempo todo sendo atacado pelos juruas na tentativa de me transformarem também em jurua pelo aculturamento, isso sim é uma droga perigosa.

    Também gostaria que fosse alterado a fotografia que ilustra essa postagem, colocam pessoas (camponeses) de um lado e indios de outro. Me perguntaram aqui (divulgo o portal para as pessoas tomarem conhecimento das nossas lutas) se os indios são contra o MST. Bem todos conhecemos esse movimento de trabalhadores, hoje atuando em mais de 20 estado deste “Brasil dos ricos”. É um movimento de pessoas como nós indios, que foram retirados seus direitos a terra. Camponeses que lutam pela terra, isso é o MST, nao sao nossos opositores, são nossos aliados estratégicos na luta de conquista do que é nosso, alias, do que é de todos, a Mãe Terra é genorosa e atende todos seus filhos.

    Que o sol brilhe forte em suas cabeças e nos seus coraçoes.

    Israel Sassa Tupinambá – São Paulo

  13. bom eu tanbem ainda acho que a melhos solucao para os plobemas qe esta,acontecendo na nossa aldeia é que todos n indios que entararem na nossa aldei terao que ter permisao do pajé para entra na ladeia. pois oq n pode e ficar a sim que n indios tomem conta das nossas terras pois si ja em sacrificio para que provarmos que a terra e nossa ainda vem outros querendo tomar nada disso somos gereiros é vamos lutar por nossos direitos…

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here