No mes de janeiro de 2008, através do Programa Cultura Viva, pelo convenio MAIS INDIOS ON-LINE, os Kariri-Xocó começaram a concretizar um sonho que ja vem de longe… GRAVAR UM CD de Toré e um DVD.

Logo apos o Banco do Nordeste Brasileiro se sumou a parceria para imprimir e lançar estes produtos e depois veio a Secretaria do Estado da Cultura (SECULT-AL) apoiar a iniciativa.

Veja:

O que é o Tore?

“Os Kariri-Xocó é um Povo Indígena de Cultura Musical, tendo no Toré sua representatividade maior. O Toré é um conjunto de cantos e danças indígenas que expressa os acontecimentos históricos, culturais, apresentando em forma de arte os fenômenos naturais do universo tribal. O canto conectado com a dança, harmonizado no espírito coletivo, praticado na energia nativa, derrama o suor no chão; os movimentos dos braços trazem a chuva refrescante do Inverno. O instrumento musical maracá é tocado de acordo com os batimentos cardíacos do coração, respeitando e seguindo o ritmo da vida. Quem traz o maracá na mão, está com o Planeta Terra em miniatura, simbolizada no coité. Girar este instrumento na mão é movimentar o mundo, trazendo o dia, a noite, faz mudar as estações – Verão, Outono, Primavera e Inverno. Os círculos dos movimentos da dança representam a circunferência da Terra, do sol e da lua, a aldeia, a maloca, o círculo da vida”.
Nhenety Kariri-Xocó.

Gravado ao vivo na aldeia Kariri-Xocó, em Porto Real do Colégio/AL (2008).

Participantes do Toré: Seregé, Soyré, Nhenety, Wiriçá, Geriçá, Taréiçá, Kayanã, Eruanã,Wrwray, Anoráya, Ynoraya, Iraçá, Kayane, Suirana e Wyrayane cantaram mais de 20 Torés…que depois, para poder lançar o cd foram selecionados 16 Torés….. Torés que falam de…

CAJUPI PIPINETÉ – Este Toré fala de uma espécie de cajueiro nativo de frutos pequenos, muito azedos e nutritivos.
Y OU LÊ LÊ – Este expressa nosso desejo de que o Toré não acabe.
LÊRÊ LARÁ – Gostamos de cantar com energia e com o sentimento sincero para com nossas tradições.
CANTANDO MEU TORÉ – Este expressa o amor e o cuidado que os indígenas têm pelo seu Toré.
MARUANDA – Era um índio Kariri-Xocó que viveu no século XVI, no tempo dos jesuítas. A Igreja proibia os cantos indígenas. Os índios cantavam o Toré de forma oculta, para não serem punidos pela Igreja, Maruanda sempre era o vigilante pela parte indígena. Um dia, ele dormiu debaixo de um pé de juazeiro e os jesuítas pegaram os indígenas cantando e os castigaram. Este Toré nos ensina a estarmos sempre atentos e vigilantes.
JURUMBÁ – Cantamos com força na voz, pisando na terra pela união; de mãos dadas buscando a harmonia que vem quando nos conectamos com a natureza.
HYÁ HÉ – Os mais velhos cantam primeiro porque foram eles que seguraram a tradição do Toré, depois vem os adultos, depois os jovens e os meninos – o futuro da tribo.
JUÁ ERÃ – É uma homenagem à árvore do Juazeiro. Ela é essencial para a manutenção das nascentes dos rios. Desde a invasão portuguesa até hoje estão se cortando muitas árvores e os rios secando. Esta canção é um lembrete ecológico.
DONDONZINHA – No Brasil colonial, muitas tribos fugiram do litoral para o sertão para escapar dos bandeirantes e senhores de engenho. Um dia chegou na tribo Kariri-Xocó uma indiazinha sobrevivente de um massacre, os índios perguntaram de onde ela vinha, ela disse que morava na beira do mar.
SEREIA DO MAR – Os índios Kariri-Xocó costumavam descer ao mar pelo Rio São Francisco, em tempo de seca e escassez de alimento, nessas andanças eles ouviam os cantos da “Mãe D’Água”, que os brancos chamavam de Sereia, assim os índios acharam bonito o nome da Sereia e cantaram.
URUBU SIRIRITÉ – É uma homenagem a essa ave escura que é o faxineiro do mundo.
PASSARINHO TÁ – Os pássaros cantam e dançam em cima das árvores. São eles os semeadores das florestas. Os pássaros comem os frutos e defecam as sementes das plantas por várias partes da mata, gerando novos vegetais. A fêmea chama o macho para dançar e juntos fazem a floresta.
REYA HE HEYA HÁ – Este Toré diz que todos são importantes no canto do Toré, da criança ao mais velho, da voz mais grave à mais aguda. É da união dos sons que se faz o Toré, é com participação coletiva.
A TRIBO KARIRI-XOCÓ – A religião do Ouricuri é muito importante para os Kariri-Xocó. No princípio da colonização foi muito combatida pela Igreja, mas resiste até hoje. Nós índios vamos para a floresta praticar nossa tradição.
PÉ DO JUREMA – O índio foi muito perseguido pela Igreja para deixar sua religião. Com muita pressão fizeram os indígenas conhecerem Jesus Cristo, mas debaixo do Pé de Jurema – árvore sagrada – eles cantam o Toré.
BOROY WYRÓ – Canto de despedida na língua Kariri.
VAMOS EMBORA – Canto de encerramento, de fechamento do Toré.
Nhenety Kariri-Xocó

o CD Kariri-Xocó Canta tem data prevista de lançamento para o dia 14 de abril de 2008.

Realização: ONG THYDEWAS
Coordenação Geral do Projeto: Sebastián Gerlic
Direção Cultural: Nhenety
Produção na aldeia: Ayra, Wiriçá e Nhenety
Técnico de Gravação: Nicolas Hallet
Assistente de Gravação e Finalização: Marcelo Rabelo
Auxiliares de captação: Kawran, Wryçá e Sebastián Gerlic
Mixagem: Ramos de Jesus
Masterizado por Luis Hoffer no Estúdio WR (Salvador/BA).
Projeto Gráfico: Anápuáka Pataxó
Fotos: Marcelo Rabelo
Revisão de texto: Derval Cardoso Gramacho

kariri-Xocó também esta concretizando outro sonho, ter suas imagens gravadas de forma profissional, prontas para veicular em todo o mundo.

Nos primeiros dias de março acabou a edição de: “TORÉ= Som Sagrado”

No filme documental, 12 indígenas Kariri-Xocó partilham suas visões sobre seu próprio ritual: o Toré.

No Município de Porto Real do Colégio do estado de Alagoas existe uma área indígena demarcada que alberga 2.500 Kariri-Xocó, índios que preservam o ritual do Toré. Os indígenas se reúnem e em círculos: cantam, dançam, curam sua matéria e seu espírito.

Como explica no filme Nhenety – Guardião da memória- “To significa som e Ré significa sagrado; no Toré toda a nossa comunidade esta presente, toda a beleza da nossa diversidade unida, o jeito brincalhão das crianças, a alegria da mulher, o braço forte do agricultor, as pinturas corporais, os cocares com as penas que nosso caçadores caçavam, as maracás feitas pelos nossos artistas… O Toré fala dos fenômenos naturais e também de nossa historia.” Ayra acrescenta: “Hoje estamos também dançando Toré com os não índios para eles sentir na pele que nos não somos mal, é uma forma de promovermos a paz”.

O documentário foi realizado em janeiro de 2008 com a direção de Sebastián Gerlic, Direção de Fotografia de Nicolas Hallet, Som Direto de Marcelo Rabelo e edição de Bruno Gonzalez; contando com o apoio da ONG THYDEWAS e o Banco do Nordeste Brasileiro. Tem duração de 13 minutos, depoimentos emocionantes e muito Toré.

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

37 COMENTÁRIOS

  1. Isso é ótimo. Também quero um CD, e posso ajudar a vender em João Pessoa. é so me avisar e combinarmos a maneira melhor e mais segura.
    Vamos em frente,

  2. sou professor na aldeia baheta em itaju do coloniatenho enterece em conhecer esse material que sera de grande riqueza para a cultura indigina sou um lutador pela a nossa cultura. nao sei como terei acesso mas gostaria de ter por seria muito bom para as aulas de cultura dos pataxo hahahae thoy_19@hotmail.com

  3. Olá, sou ator e diretor de teatro. Tenho interesse em adquirir o CD de Toré. Nesta sexta vou participar de uma oficina de Toré em São Paulo, com o cacique Kairrá.
    Estou iniciando uma pesquisa sobre rituais indígenas e treinamento do ator e gostaria muito de trocar impressões e manter contato.

    Abraços,
    Affonso Lobo.

  4. Olá eu sou professora do ensino fundamental I de uma escola em Salvador-Ba estou com um projeto sobre a cultura indígena e aprendendo muito com vcs. Me interessaria muito em saber quando e onde será lançado esse cd de Toré e qual a possibilibilidade de adquiri-lo.
    Obrigada
    Tatiana

  5. eu adoro índios mas estou presisando em minas gerais até 08 04 2008 principais hábitos alimentares,principais atividades econômicas,aspectos culturais que preservam,qual tipos de assistências recebem do governo,quais são as doenças comuns entre os índigenas,se as crianças indigenas vão a escola(ondeepor quanto tempo,o que as crianças indigenas aprendem na escola.

    por favor até dia 08 04 2008 !!!

  6. Sebastian, só hoje fiquei sabendo do encontro em Maceió, espero aquí em Salvador para adquirir o CD e o DVD. Tem notícias da Korã? se encontrar alguém da aldeia passe meu email quero falar com a Korã.
    Um gde abraço,
    Bete

  7. Parabéns pelo ótimo trabalho de vocês…
    ADOREI ESSA MATÉRIA
    gostaria de saber como faço para adquirir o CD e DVD
    Obrigada

  8. oi tudo bem?
    como vai?
    tudo bom?
    eu sou do Colégio Antônio Vieira vocêsforam lá né…!!!
    sou aluno de lá…!!!
    Beijos…!!!
    Lucas Guimarães Marques…!!!
    Tchau…!!!

  9. Repito a mesma pergunta de Juliana: como faço para adquirir esse cd de Toré
    Sou sergipana,e meu desejo é conhecer a tribo no meu estado
    Acho muito lindo o ritual do Toré
    quero muito sempre saber dos problemas dos Kariris,e lógico:” das boas novas”
    Que bom que um sonho foi realizado
    O primeiro de muitos outros…todos os desejos se realizarão
    Com muita luta e fé
    merecedores
    É preciso alcaçar mais e mais
    Mas veja que maravilhoso poder gravar um CD com o Toré!
    estou anciosa para ouvir
    É importante que esse trabalho seja bastante divulgado!
    CULTURA!
    CULTURA!
    CULTURA!A tv cultura tem que mostrar nosso trabalho!É muito importante essa informaçao
    muito obrigada
    beijos a todos Kariris
    Fé sempre!

  10. FICO MUITOS FELIZ COM O PROJETO DA GRAVAÇÃOD O CD COM O TORÉ, ISSO É UM PASSO MUITO IMPORTANTE NO AVANÇO NA DIVULGAÇÃO DA CULTURA INDÍGENA NORDESTINA, QUE ALIAS, É TÃO IMPORTANTE QUANTO AS CULTURAS DA REGIÃO AMAZÔNICA, MPOIS TODOS SÃO INDÍGENAS COM SUA HISTÓRIA E IDENTIDADE.
    GOSTARIA DE FAZER CONTATOS COM PATRICIOS XOCÓ E kARIRI-XOCÓ, POIS NÃO MORA EM ALDEIA, E MESMO SENDO DESCENDENTE, NUNCA CONHECI UMA ALDEIA XOCÓ, APESAR DE CONVIVER COM OS GUARANI/KAIOWÁ A 4 ANOS E SER FALANTE DA LINGUA.NÃO NEGO MINHA ORIGEM INDÍGENA DO NORDESTE E ME ORGULHO MUITO DISSO.

  11. Gostaria de obter o cd e também apoiar as manifestacoes culturais indígenas. Organizando eventos na Alemanha.
    PINDORAMA – Saarbrücken – Alemanha
    Ronaldo Mendonça.

  12. Oi! sou estudante de Pedagogia e achei maravilhosa esta iniciativa. Como faço para ter acesso a esse material? Tenho que apresentar um seminário sobre cultura indígena em 29 de maio 2008 e gostaria muito de ter esse recurso. Além de poder utilizá-lo em minhas atividades como docente. Aguardo resposta.

    Leilamaris.

  13. Achei o site muito interessante,a iniciativa do projeto foi ótima,pois o site possui muitas informações riquissimas.
    Estou concluindo o curso de Serviço Social,e gostaria de adquirir o CD e DVD como faço? PARABÉNS…

  14. Olá!Gosto muito da cultura indígena e especialmente dos Kariri-Xocó.
    Uma vez em um trabalho com Ayahuasca colocaram um CD com músicas do culto de Jurema dos Kariri-Xocó e foi uma das coisas MAIS LINDAS QUE EU JÁ OUVI.Muito bonito e artistico.Gostaria de saber como posso comprar o CD ou se tem as músicas na Internet.
    Um grande abraço!Com carinho, afeto e respeito!

  15. Parabéns!
    Fico muito feliz em vê-los divulgando seus rituais, mostrando para todos que possuem crenças de impressionante beleza e sabedoria.
    Gostaria de saber onde posso adquirir o CD do Toré ?
    Obrigada,
    Leila

  16. Sou apaixonada pelos índios cariri-xocós, gostaria de receber o CD e DVD como faço para adquirir.
    ‘CARIRI-XOCÓS,que deus vos ilumine em cada passo e universo infinito do vosso égo haja espaço para a imensidão do vosso ser”.
    Recebam o meu abraço e a minha admiração.

    ATT: France

  17. Olá,

    Adorei encontrar esse site, há muito precisavamos divulgar a cultura indigena. gostaria d saber como poso adquirir os dvd e cd? grata, aguardo retorno. bj

  18. Parabenizo aos parentes por esta iniciativa de divulgação
    da cultura indígena,principalmente pelos cantos sagrados´
    do Toré.Não importa qual a região e etnia somos todos
    parentes.Gostaria de adquirir o cd,como faço;.

  19. oi parentes parabens pelo trabalho de todos a pagina de vcs é muito importante para a divulgação que os parentes do nordeste estão fortalecidos em relação a cultura mostrando as suas danças aos caraibas estudantes e sociedade em geral.
    É isso nós povos indigenas devemos manter a nossa cultura, ao nosso favor temos a convenção 169 da OIT e mais recentemente o Brasil aprovou a Declaração da ONU sobre Povos Indigenas vamos fazer valer os nosso direitos SOMOS POVOS DIFERENTES E TEMOS QUE SER RESPEITADO!!!
    Conheço a Rosi Kariri que estuda Ciencias Sociais , mande o abraço a ela.
    miriant

  20. Gostaria de saber se é possível me informar os contatos de vocês para que eu possa pesquisar sobre vocês.
    – Endereço e telefone onde tem algum grupo de índios que praticam o toré.

  21. Oi, pessoal! Conheço algumas pessoas da família Kariri-Xocó, conheço também um pouco do trabalho deles e estou muito feliz pelo novo CD gravado. Isso é muito importante para a divulgação da cultura desse povo. Para colaborar, vou comprar também o DVD. Um abraço a todos!!!

  22. se faz necessario cada vez mais os povos indigenas reassumirem seu lugar na sociedade brasileira.
    estou muito feliz em saber que o pessoal está buscando seu lugar, estou com saudades dos amigos Pawanã,Kayony,Wdayrã, Suyane, Nari, Paruanã, mandem noticias.Abraços.

  23. Gostaria de saber se o CD e DVD ja foram produzidos e como faço para adquirir-los. Estarei no Brasil em janeiro/fevereiro e gostaria de poder participar de uma cerimonia com voces e divulgar essa cultura na Alemanha.
    Grato,
    ronaldo * caramuru

  24. gostaria de saber ,como faço para descobrir a tribo ,a qual minha avo,pertencia,ja que ela era india ,mais foi levada para morar,numa fazenda em sao miguel dos campos/alagoas,eu sou a unica que tenho os traços indigena e me orgulho muito disso,mais qdo me perguntam,sobre a tribo,fico sem resposta;infelizmente minha avo e minha mae ,ja faleceram e nao podem me ajudar!sera que vcs poderiam me ajudar,de qualquer forma ,agradeço mooca-sao paulo

  25. BFJERGBJK.JKSNBKDF KLD KLDFNVJKDFHNG KJDJKDF NJLD HIUODFNH JFDFH VDF BVHIDVJ.BJHF FGBFG
    BFGNH.HDJ.H.JGH.J.GH.JGHJ.GHJ6.GH.6J.GJSGNGKJDFJKGSBUISFBJKSDFBSDBJKDBJ. VÃO TOMA NO CU,SEUS VEADOS

  26. Preciso desvendar o mistério da ancestralidade familiar dos Casemiro, estabelecidos em Girau do Ponciano, Alagoas. Consta que meus avós maternos eram primos de 1ºgrau e relatavam a existência de ancestral indígena, retirada da aldeia ainda menina, vindo depois a se casar com um Casemiro. Como faleceram há muito tempo, nunca consegui informações sobre o nome dela, a que nação pertencia, quais eram as tradições, o tipo de alimentação, de dança, de canto, costumes religiosos, e tudo mais que se referisse a ela.Qualquer informação que ilumine a minha pesquisa será benvinda. AGUARDO NOTÍCIAS. Geni

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here