Na etnia Pankararu tem apenas um medico para atender ao municipio de jatoba,
Ficando muito dificil de atender todo o territorio indigena Pankararu.
Muitas pessoas estão se deslocando da sua localidade para a cidade a procura de médico.
Na maioria das vezes essas pessoas são crianças,idosos,diabeticos ,hipertensos etc.
A funasa esta mandando o recurso para contratar médicos, mas há uma grande dificuldade de encontrar profissionais que queiram trabalhar na area indigena.
Recebem apenas 5.000 mil reais sendo que em outros lugares pagam mais pelo seu trabalho.
Mas esse não é o único problema na area de saúde, na aldeia brejo dos padres há uma sala de ondotologia.
Com todos os equipamentos, mas não esta funcionando porque a rede de energia e impotente e insuficiente para aguentar todos os equipamentos, e falta anestegico.
A FUNASA já comunicou a CELPE para trocar o trasformador mais até agora nada foi feito.
“O que falta é fottalecer a rede de referencia hospitalar” diz Carmen Pankararu.

aydapank
suedpank@gmail.com

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

  1. Essa situação deveria estar solucionada a muito tempo, mas infelismente “não existe união de nossos parentes”, parece que a coisa só funciona na base de muita pressão (na base do cassete). É bom lembrar que existem funcionários que trabalham para a saúde de nosso povo, mas a aldeia com apenas um médico, é a mesma coisa que não ter quase nada. É necessário de mais médicos.

  2. Bom…. temos que informar que 1 médico para 6.500 índios é pouco mesmo.

    Se fossem indios cheios de Natureza envolta, com suas terras respeitadas, sua cultura respeitada, suas tradicioes valorizadas… Seus pajes, seus curados, suas plantas, sem poluiçao…. mas nao é essa a realidade Pankararu….Graças a sabedoria popular, ao conhecimento das plantas,a conservacao dos rituais que o povo esta vivendo, porque lamentavelmente nem tem aceso ao Rio Sao Francisco…e a cada dia tem menos agua e mais lixo….

    MAS POR QUE NAO HA MAIS MEDICOS?

    NAO HA MEDICOS INTERESSADOS?

    GANHAR “apenas” R$5.000 é pouco para quem?

    Cade os índios que estudaram Medicina em CUBA? Já estao trabalhando?

  3. Na verdade a questão dos medicos não quererem trabalhar nas aldeias Pankararu, não passa de questões politicas, onde o medico que tinha antes foi tirado pelo atual prefeito de Jatobá, porque ele pertencia ao partido politico opositor a prefeitura.
    Mas tambem a prefeitura de Jatobá, não só está envestindo na questão saude, no territorio Pankararu, não venveste tambem no unico hospital, que existe na cidade, pois os equipamentos de raio X já estão quebrados a mais de 4 anos. mas o prefeito é bom, nesse São João fez uma festa maravilhosa, com Bandas de Forró de primeira escala, cada uma custava no minimo R$40.000 (quarenta mil reais), e nessa festa ele não gastou menis que R$ 200.00 (duzentos mil reais.
    Pena que infelismente a festa acabou, mas as doenças não, e valeu Aida por lembrar a situação que se encontra o nosso povo com a falta de medico. Só que infelismente no mes de agosto o pessoal vão esquecer desse problema, por causa da festa da emancipação da cidade, porque o Prefeito Itamar, já esta pagando as parcelas da apresentação da Mega Banda de Forró ” Calcinha Preta”. Então é isso ai!!!
    FEsta é bom pra saude?
    Ou festa sem saude?
    Então vou recitar o grande filosofo João Grilo do Alto da Compadecida!!!
    Não sei, só sei que é assim!!!

  4. É uma lastima a situaçao da saúde nao só para o povo Pankararu mais também para a grande maioria dos povos indígenas do Brasil. Que bom que este ano esta formando um médico Pankararu em Cuba, espero que ele regularize o quanto antes o seu diploma aqui no Brasil quando ele chegar para que possa tentar reverter essa situaçao. Na minha aldeia a situaçao da saúde por parte da Funasa esta identica. Estou em processo de reconhecimento do meu diloma de médico conquistado em Cuba para poder atuar na minha aldeia.
    Um abraço a todos.
    Dr. Edvaldo pataxó

  5. Há +ou- 4 meses que estamos sem médico na aréa, e a Funasa não tá nem aí com a situação!
    Aqui a situação é muito seria, não se brinca com a vida de seres humanos,se passamos a noite na porta do Hospital em busca de uma ficha, para ter um atendimento medico, não temos nem o direito de receber o medicamento da Funasa, se o medico pedi um exame, Deus nos acudar, pois no minimo teremos que esperar uns 4 anos!
    O negocio é mais serio do que o que pensam, o descaso é geral! é como alguns parentes dizem aqui, que a FUNASA, está acabando de matar os indígenas!é cada um por si, e Deus por todos.
    Salve-se quem puder!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here