Quando é época de fazer pote nos fazemos com muito deficultade mas fazemos e também com muito amor porque foi os pais da gente que deixaram pra que não faltasse nada para os netos deles. Certo dia aminhas amigas foi tira barro cavaro um buraco bem fundo sem espera caiu a rrubancéra em cima delas. A que na aldeia tem muitas índias que sofre por causa disso. Vou conta com é o dia a dia de quem faz pote. Sai bem sedo para tira barro quando chega vai amaça com as propias mão bota a réia numa taba e vai fazendo os bolos de barro quando amaça o barro todo elas pega um caco bota cinza e fragamos o bote depois bota a boca no bote quando já tive bom de rapa nos rapamos o pote. Quando tiver umindo nos ela aliza o patê passa um dia no sol quando tiver cerco elas levam au forno para queima os indios vão tira lenha no aricuri e as índias vão pega palha de arroz pra a ruma no caminhão colocando os potes, panela, caldeirão, frigideiras, cuscuzeiro, cabaça e todas essas louças nos arumamos no caminhão. Mas não a capa a que não elas tem outra é tapa pela frente sai da aldeia 5:00 horas da manhãe deixa os indios com fome e vai trocar pelo farinha,feijão, arroz,macaxeira e muitas frutas parra os indios comer quando chegarem chegar a noite. Índias ficamos muito feliz de ver os filhos dela com barriga cheia de manhãe pelo a galinha e eles dançado toré au meu redo porque sabe que vai comer eu fico muito pesso a meu pai tupã que não falte nada para os meus indios.

Essa matéria foi feita pelo: THAENY
Índia da aldeia kariri-xocó no dia 26/10/2006

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Fazer pote é uma arte muito antiga, que é feita com o presente da Mãe Terra, dessa mesma Mãe que dá o alimento. Acordar cedo, cavar a terra, pegar o barro, amassar o barro com as próprias mãos, moldar, alisar, raspar, queimar o pote…arrumar e transportar para cidade e lá trocar por alimentos que a Mãe Terra também dá :farinha,feijão, arroz,macaxeira e muitas frutas. A Terra é a Mãe do Índio e além de tudo ainda dá o sentido da vida, do trabalho.Que Tupã os abençoe sempre com alegria, trabalho, saúde e alimento.

  2. Bom dia. Eu sou museóloga e trabalho no Museu de Folclore Edison Carneiro, no Rio de Janeiro. Temos no museu algumas peças dos Kariri-xocó adquiridas na década de 1980 e recebemos, ano passado, a doação de uma panela. Gostaríamos, se possível, de saber com que tipo de barro são feitas essas peças, o que dá a coloração vermelho-marrom e também um brilho dourado que tem numa delas. Essas informações irão complementar as que já temos em nossos arquivos. Desde já agradeço qualquer informação que puderem nos fornecer. Obrigada.

  3. Gostaria de agradecer a rápida resposta sobre a argila usada nos trabalhos de vocês. Esta informação certamente enriquecerá os arquivos da Instituição e possibilitará uma explicação mais completa durante as exposições. Muito obrigada!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here