A aldeia que eu moro é aldeia mata da cafurna que fica localizada na cidade de palmeira dos índios-AL nela mora umas 100 famílias.
A vida na aldeia é boa e tranqüila e não á confusões temos uma linda grande mata nela temos alguns animais pássaros, como sabiá, bem-te-vi, guriatan etc.
Na aldeia o melhor é ar que é muito puro , não é poluído pós não tem acesso carros só três índio que possui carro que maioria do tempo fica estacionado ou então na cidade assim não tem como poluir o ar.
Á vida na aldeia é tranqüila as pessoas passam maio patê do dia na roça ou fazendo artesanato.
Eu particularmente não troco a minha vida na aldeia por nenhum lugar do mundo.

Indiane lima dos santos da silva
18 anos

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. sou adebito a pratica da Ubanda Branca e trablho a 15 anos com uma entidade que deu o nome de Cacique Guaci através deste site encontrei o nome Guaci gostaria de saber a origem , a que tribo pertenceu pois apareceu na Xucurú-Kariri.
    Vocés poderiam me dar mais detalhes pois é uma grande procura da minha parte.

    Necessito de ajuda para um melhor visão minha dos povos indigenas .

    agradeço

    sds

    marcio araujo

  2. ola, sou fotografo proficional e gostaria de fazer lgumas fotos de indios em alagoas principalmente no tore, quando vcs estao vestidos a carter… qual e o melhor dia para isso???

  3. Oi Indiane Lima dos Santos da Silva,gostaria de me comunicar com você.Poder conhecer um pouco mais da sua vida na aldeia.Me escreva

  4. Sou filha da Cafurna, sou filha de Seu Florêncio que viveu quarenta anos na Cafurna. Ele e minha mãe eram descendentes de índios por isso amavam demais a Cafurna, porém uma sabotagem obrigou meu pai vendar nossa Cafurna:
    uns bandidos apareceram para assaltar meu pai em cima de pé de manga, falavam iam atirar no meu pai só para ver a queda dele do alto.Meu irmão pequeno correu para chamar meu irmão moço e este brigou com quatro bandidos dsarmou os quatro deu um tiro em um e tomou um tiro no peito que até hoje tem a bala alojadada próximo ao pulmão. Alguns dias depois um comprador apareceu e meu pai assustado vendeu a Terra por pouco dinheiro. Depois a terra acabou ficando com outros indios que não cuidam da Cafurna como meu pai cuidava. Meu pai antes de morrer disse que o que mais queria na vida era que a Cafurna ficasse para os filhos dele, quando fui procurar saber se havia possibilidade na Cafurna voltar a ser nossa um Indio me ameaçou. E, para não gerar violência para meus irmão fiquei queta, pelo menos até saber como agir.

  5. OI1 ME CHAMO TAMARA CHERY SOBREIRA KATU,GOSTARIA MUITO DE CONHECER MINHA FAMILIA´POIS MEUS PAIS ME DERÃO A OUTRA FAMILIA,Ñ OS PROCUREI ANTES PORQUE Ñ TINHA COMO E HOJE ESTOU TENTANDO POR TODOS OS MEIOS,O NOME DO MEU PAI É AWA ZERUZA KATU MAE E MÃE ROSANGELA MARIA SANTOS SOBREIRA.PORFAVOR ME AJUDEM É MEU SONHO ENCONTRALOS SERIA MEU PRESENTE DE ANIVERSÁRIO,SÓ SEI QUE MINHA MÃE SAIU DE CASA E NOS DEIXOU AI ENTÃO MEU PAI ME ENTREGOU A OUTRA FAMILIA, ELE NASCEU EM13/05/1935 SEU CPF: 332558304-00,NOME DA MÃE ; POTSENIO ZERUZA,OBRIGADA POR LER E SE PUDER ME AJUDAR AEREI MUITO GRATA.ASS:TAMARA CHERY SOBREIRA KATU.

  6. Oláa Indiane, encontrei esse site por acaso! Acho que irei conhecer a mata cafurna essa semana em uma rapida visita! Será q a gente se vê por lá?!

    Abraço!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here