A presença mais remota de índios em terras brasileiras situa-¬se em torno de 8.000 a.C, verificada pelas pesquisas antropológi¬cas e arqueológicas realizadas em Lagoa Santa no Estado de Mi¬nas Gerais Conceição Beltrão , arqueóloga, verificou que tal pre¬sença pode ser ainda mais antiga e recua esta data para 12.000 ou 14.000 a.C.

Ao que tudo indica, a América é um continente de povoamen¬to migratório, isto é, os contingentes humanos pré-colombianos tam¬bém vieram do Velho Mundo, através do Estreito de Behring (grupos asiáticos), da Antártica e Terra do Fogo (grupos australianos) e do Oceano Pacífico (grupos polinésios). Calcula-se que quando o des¬cobridor desembarcou nas costas brasileiras houvesse aqui aproxi¬madamente 2 a 2,5 milhões de indivíduos indígenas que, atrope¬lados pelas frentes de exploração e colonização, foram pouco a pou¬co sendo reduzidos ao número de 200.000, otimisticamente verifi¬cados hoje .
Os vestígios mais antigos dão conta de que as terras americanas foram povoadas há mais de 12 mil anos. Segundo os especialistas, os primeiros habitantes das terras brasileiras foram originários da Ásia. Os índios que Cabral encontrou fazem parte dessas populações. Alguns chamavam o Brasil de “Pindorama” – Terra das Palmeiras – e eram eles os senhores do lugar. Há estimativas de que, naquela época, os índios tinham uma população entre um e dez milhões de habitantes e falavam em torno de 1.300 idiomas, pertencentes, em maior parte, aos troncos lingüísticos tupi, macro-jê e aruak.
A designação “índios”, observam os estudiosos, é arbitrária e reflete a política colonialista de homogeneização para melhor dominação desses povos, que originalmente possuíam muitas diferenças entre si. Geralmente, “sociedade indígena” é aquela que possui perfil cultural “motivado pela conservação de costumes e hábitos que a vinculam a uma tradição pré-colombiana”. A visão sobre os índios atuais que os identifica com aqueles habitantes não contactados da era pré-colombiana só vem confundir e descaracterizar a visão dos especialistas de hoje em dia.
Devemos encarar as sociedades indígenas como povos que, já tendo tido contato com a sociedade brasileira , fizeram uma reinterpretação dessa cultura e adaptaram seus costumes a ela.

dinamam tuxá

Comentários:

Comentário de: anita wekanã [Visitante] Email
Muito boa sua matéria, parabens, Dinamam Tuxá.
08.07.09 @ 15:06
Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here