Todo ano somos lembrados pela sociedade não índia, no dia 19 de abril, mas eu quero lembrar a todos, que fora esse dia continua o nosso cotidiano, com nossas dificuldades, nossa historia, nossos avanços e nossa cultura. Vivemos sim em meios de muitos conflitos, conflitos territoriais, conflitos com a sociedade não indígenas que ainda nos descrimina, mas mesmo assim somos resistentes, e há 508 anos lutamos para preservar nossa cultura, preservar nossos povos, contra latifundiários, cangaceiros, coronéis, governo e a sociedade capitalista, que não medem esforços para adquirirem lucros em seus negócios financeiros.

Passamos a vida em uma luta sem fim, mas não desistimos nunca, pois se desistíssemos hoje eu não poderia estar escrevendo sobre nossa existência.
E também discordar de alguns livros didáticos e paradidáticos, que se refere a nós sempre no passado, como as tribos indígenas caçavam, pescavam, cantavam e dançavam, como se hoje agente não fizéssemos isso mais, e também que éramos preguiçosos, e preferimos morrer do que sermos escravos, mas isso não foi uma amostra de preguiça e sim de coragem. Pois todos nos indígenas entendemos, que nascemos livres e livres vamos morrer, e por isso que desde sempre buscamos nossa autonomia, e ao contrario que a sociedade não indígena pensa de nós, não somos meros bonecos folclóricos e selvagens, também somos seres inteligentes e pensantes.

E na busca de nossa autonomia, estamos se apropriando de novos conhecimentos, conhecimentos que não faz parte de nossas culturas, mas é de utilidade para nossos povos, estamos se apropriando das tecnologias e conteúdos didáticos nas diversas áreas do conhecimento, e com isso estamos nos graduando, pós graduando e nos doutorando. Mas não deixamos de ser quem somos, temos orgulho der sermos indígenas, e só queremos o respeito e divulgar a historia de nossa existência, para uma sociedade que desconhece a vivencia dos povos indígenas desse pais tão amplo e populoso.
Não queremos ocupar o espaço de ninguém, queremos conquistar o nosso espaço, e preservando sempre nossa cultura e nossa identidade étnica, e com isso teremos a convicção, que em gerações futuras não seremos apenas lembrados no dia 19 de Abril e sim seremos homenageados, como exemplos de organização e resistência.

Alexandre Pankararu
alex@indiosonline.org.br

Comentários via Facebook

3 COMENTÁRIOS

  1. Muito bem lembrando Alex pois não aparecemos apenas num dia
    estamos e estaremos sempre presentes apesar de algumas pessoas não quererem reconhecer isso.
    Abraço forte e força na luta!!!!

  2. Como es as coisas por aí? Aq tá td indio… e tu como esta?
    td indio!
    tds os dias é dia indio, branco e preto! não importa a cor, raça ou etnia… somos tds iguais perante os olhos de nosso pai tupã. Por isso lutamos para q esse país não lembre só de nós no 19 de abril e sim q estamos aq desde o inicio, resistindo a tds os tipos de massacres… fazemos por amor a nossa cultura tradiçional para q num fulturo proximo possamos viver em paz em nossos territorios tradiçionais!

    Parabéns Pankararu, suas palavras se encaixaram feito um coca em nossas cabeças!

    Awere!

  3. Indio tem direito a terra sim!
    Ela é de vocês sim!
    Afinal vocês têm direito por estarem antes dos brancos.
    Branco usa terra, mas tem que respeitar as terras indígenas. Continuem com a luta em favor de seus direitos, que a muito tempo tinha que ser reconhecido.

    Tupã proteja todos!
    Vera

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here