congresso

Passei o dia 19 de abril, refletindo sobre a questão, visitando redes sociais, blogs, até mesmo o da FUNAI, na esperança de conseguir ler algo extremamente importante e digno de uma comemoração, mas para nossa decepção, somente a homologação de uma parte ínfima dos territórios sagrados que clamam pela vida dos seus habitantes. Percebemos que é preciso acontecer mais ATL’s, unir mais guerreiros e guerreiras de diversas etnias para conseguirmos o respeito e a garantia dos nossos direitos e que sejam solucionadas todas as demandas existentes.

A resistência do governo, a pressão dos ruralistas é o impedimento para que esse Estado Opressor garanta definitivamente o direito de vivermos com dignidade, respeitando nosso direito originário, demarcação e homologação de todas TI’s, assinaturas de portarias declaratórias, estudos de identificação, etc.

Portanto, o Dia 19 de Abril, não é uma data comemorativa, e sim, símbolo de resistência indígena, neste dia é para reunirmos em roda de conversas nas aldeias para falarmos aos curumins sobre a importância de manter lutando pela garantia da identidade cultural, ir às ruas em manifestações, mostrando nossa cultura e nossos valores, e protestando contra as violações intermináveis dos nossos direitos, e também de reverenciar os antepassados e os encantados, alinhando-se a eles para buscar mais sabedoria a fim de fortalecer nosso espírito.

É 515 anos, de massacre, total desrespeito aos que já viviam aqui quando chegaram, não somos donos e nem nos sentimos como tal desse território, mas vale lembrar que chegamos primeiro, e cada um de nós, juntos e misturados, ou miscigenados, como dizem, temos história, raízes culturais e valorizamos nossa identidade, nossa herança maior é ter aprendido com os nossos anciões a importância de vivermos harmoniosamente com o todo e partilhar.

Os esbulhados aqui somos nós, por isso solicitamos que reconheçam o que foi feito e ainda continuam, não é de reparação que precisamos, mas, que respeitem a nossa história e devolvam a todos os povos que tiveram seus territórios roubados, na nossa cultura não é papel que garante a palavra, quem precisa dessa garantia, é quem possui cultura hipócrita e vertical, tenta de todas as formas nos inserirem nesse emaranhado e mirabolante ninho de cobras, mas resistimos há 515 anos, alguns sucumbem, a maioria continua firme. Ao assassinarem 01 indígena, nascerão 1.000, ou mais…

Povo Brasileiro, representado pelo Governo, devolvam o que nos pertence, o direito de viver com dignidade para que possamos garantir o futuro das próximas gerações e, os territórios que conseguimos manter diante da ganância que trouxeram com a invasão de 1500.

DEMARCAÇÃO DE TODOS OS TERRITÓRIOS INDÍGENAS!

Principalmente, os que estão em constante conflito, como os Guaranis Kaiowás, Tupinambá de Olivença, etc.

 

Yakuy Tupinambá – Etnia Tupinambá de Olivença.

 

 

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here