1º ENCONTRO DE JUVENTUDE INDÍGENA TUPINIQUIM E GUARANI DO ESPIRITO SANTO

TEMA: Juventude foraecida cidadania garantida.

Aconteceu no Estado do Espírito Santo, nos dias 04,05 e 06 de Dezembro de 2009 o 1º Encontro da Juventude Tupiniquim e Guarani, onde contou com a presença dos seguintes Povos: TUPINIQUIM E GUARANI-ESPÍRITO SANTO, PATAXÓ HÃHÃHÃE, PATAXÓ E TUPINAMBÁ-BAHIA, E PATAXÓ- MINAS GERAIS. No encontro foi debatido vários assuntos voltado para a juventude indígena, visando o bem estar de toda comunidade, e foi divido em quatro oficinas :
Oficina 01 – Terra – Produção e Sustentabilidade para a Juventude.
Oficina 02 – Juventude sexualidade e saúde
Oficina 03 – Juventude, Cultura e Mundo Moderno
Oficina 04 – Organização, Formação e Cidadania, superando a desigualdade na diversidade.
Nas quatro oficinas realizadas tinha representantes das quatro etnias que estavam presentes.

RESULTADOS DAS OFICINAS.

Oficina 01 – Terra – Produção e Sustentabilidade para a Juventude.
TERRA
– Buscar parceiros para promover união entre todos os povos indígenas, pela luta dos seus direitos e garania de preservação de seus território:
Tupinikim – Houve demarcação, mas falta homologação e está prevista para 12-12-2009;
– Tupinambá – A terra está publicada, mas não está demarcada, falta assinatura do Ministro da Justiça.
Pataxó Hã-Hã-Hãe – Falta julgamento para anulação de títulos.
Pataxó – Demarcação e regularização (homologação), sem redução do território.

Produção – auto sustentabilidade

O que precisamos:

– Apoio técnico para desenvolvimento nos trabalhos de agropecuária, agricultura e psicultura.
* Promover intercâmbio em projetos de sustentabilidade;
* Capacitação – formação de jovens para atuarem em suas comunidades;
* Melhoramentos das estradas para o escoamento da produção;
* Promover intercambio de ecoturismo entre as aldeias;
* Apoio governamentais para as Instituições indígenas;

Oficina 02 – Juventude sexualidade e saúde

– 1- Criação de Comissões de jovens indígenas:
– 2 – Promoção de Educação sexual nas aldeias com: (danças, teatros, Música, palestras, seminários, etc)
– 3 – Sensibilização e Conscientização dos líderes locais e governamentais;
– 4 – Criação do Centro de referencias Psicológicas; Parcerias com Secretárias de saúde; Criação de programas de incentivos a cultura, lazer e educação;
– 5 – maior aproximação dos Pais junto aos filhos; Integração comunidade, escola e saúde;
– 6 – Aquisição de automóveis e manutenção dos já existentes atendendo a cada especificidade das aldeias
– 7 – Conselho Local, Distrital e lideranças e Funai junto ao Ministério Público reivindicar e fiscalização através de documentos atitude e funções da Funasa;
– 8 – Valorização da cultura tradicional: dança, canto, pinturas e pajelança.

Oficina 03 – Juventude, Cultura e Mundo Moderno
– O que é Cultura?
* É a identidade de um povo;
* É um conjunto de saberes milenares de um povo tradicional;
* É a diversificação entre vários povos;
* É a prática daquilo que nos identifica como índio ou povo tradicional.

Em que o mundo moderno influencia nossa cultura?

– Pontos Positivos:
* Religião
* família
*Televisão
* Internet
* Práticas diária da nossa cultura
* Cursos para evolução dos indígenas

Pontos Negativos:

* Religião
* Televisão
* Internet
* Música
* uso de diversas culturas esquecendo a sua própria.

O que fazer para que a cultura seja vivida e respeitada? Como fazer isto? Quem fazer?

– Através dos jovens e comunidades
– Nas escolas;
– Buscar conhecimento das nossas raízes (ançioes)
– Incentivar a cultura dentro de casa (família)
– Pratica diariamente a cultura
– Fazer valer nossos direitos dentro das escolas, respeitado as diferenças e a cultura indígena.

Esta cultura está sendo vivida e respeitada?

Oficina 04 – Organização, Formação e Cidadania, superando a desigualdade na diversidade

– 1- Organização e Formação dos jovens seja feita pelos caciques e lideranças;
– 2 – Criar Departamentos da juventude dentro das Associações comunitárias indígenas para os jovens;
– 3- Curso de qualificação e formação profissional para os jovens;
– 4 – Que as Entidades Governamentais e não governamentais capacite e qualifique os jovens para os projetos técnicos;
– 5 – – 4 – Que as Entidades Governamentais e não governamentais capacite e qualifique os jovens para os projetos técnicos;
– 4 – Que as Entidades Governamentais e não governamentais capacite e qualifique os jovens para os projetos técnicos;
– 5 – Que as Entidades Governamentais e não governamentais incentive e apóie os cursos superior para os jovens
– 6 – Que APOINME insira uma política para a juventude.
– 7 – Que os governos possam implementar políticas publicas especificas para a juventude indígena nos âmbitos Nacional, Estadual e Municipal.

Durante a plenária os jovens presentes, alem de discutirem a assuntos relacionados as políticas publicas de cada aldeia, foi feito também, uma carta de repudio contra a matéria que a revista VEJA publicou contra o cacique BABAU, uma carta para à APOINME, pedindo seja garantido e ampliado o departamento jovem na mesma. E no final a teve a criação do documento final.
Segue em anexo todas as cartas, e documento final.

1º Seminário da Juventude Indígena Tupiniquim-Guarani

Á Coordenação Geral da APOINME.
Ao Srº Uilton Tuxá

Prezados Companheiros.

Realizou-se na Aldeia Pau Brasil-Espírito Santo, nos dias 04, 05 e 06 de dezembro de 2009. 1º Seminário da Juventude Indígena Tupiniquim-Guarani, com o tema “Juventude participativa cidadania garantida”. Onde se encontrava as seguintes etnias: Pataxó, Tupinambá de Olivença, povos da Bahia; Tupiniquim e Guarani do Espírito Santo; Pataxó de Minas Gerais. No seminário ocorreram várias propostas, onde o principal foco das discursões foi o fortalecimento, garantia e ampliação do departamento da juventude já existente na APOINME, contemplando as micros-regiões com os jovens que representam os tais setores.
Entendemos que melhorar o departamento da juventude, cresce mais a Instituição da APOINME, pois a mesma passa a estreitar laços com a base. Sugerimos para que esse fortalecimento seja bastante representativo, que se realize em 2010, um encontro dos jovens indígenas no âmbito de atuação da APOINME.
Certo de sermos compreendidos e atendidos neste nosso pedido, torcemos pelo êxito desta instituição e de todos nós povos indígenas. JUVENTUDE PARTICIPATIVA APOINME FORTALECIDA.
Sem mais para o momento saudações da Juventude indígena.

Aldeia Pau-Brasil-Aracruz ES, 06de Dezembro de 2009.

MOÇÃO DE REPÚDIO AS AÇÕE PRECONCEITUOSAS E DE PESEGUIÇÃO AO POVO TUPINAMBÁ DE OLIVENÇA E DE APOIO A SUA LUTA.

Nós jovens Pataxó, Tupinambá de Olivença e Pataxó Hã-Hã-Hãe da Bahia, Tupinikim e Guarani do Espírito Santo e Pataxó de Minas Gerais, parceiros e aliados, reunidos no 1º Encontro da Juventude Tupinikim-Guarani no Espírito Santo, nos dias 04,05 e 06 de Dezembro de 2009, na Aldeia Pau Brasil, no município de Aracruz.
Viemos através desta, repudiar as ações de discriminação e perseguição ao Povo Tupinambá de Olivença e solicitamos imediata providências contra a matéria publicada pela revista Época, onde de forma preconceituosa e difamatória difamou e agrediu o Povo Tupinambá, retratando nossas lideranças como bandido, chamando até mesmo de Lampião e nossas comunidades com bandos. Repudiamos também matérias publicadas por Jornais, Rádios e Emissoras da região sul da Bahia que divulgam noticias mentirosas e preconceituosas contra a comunidade Tupinambá, inclusive colocando a população local contra a comunidade indígena.
Aproveitamos para solicitar a imediata substituição do Delegado Cristiano Barbosa, da Policia Federal de Ilhéus que de forma tendenciosa e violenta tem conduzido ações junto ao Povo Tupinambá de Olivença, este pedido inclusive já foi varias vezes solicitado pela comunidade. Todas estas situações têm constrangido os jovens Tupinambá e vem impedindo que os jovens possam desenvolver seus projetos de vida.
Por fim, apoiamos a luta dos parentes Tupinambá de Olivença e entendemos que a sua luta é justa e que seu direito a terra tem que ser garantido e respeitado.

Aldeia Pau Brasil, Aracruz- Espírito Santo, 06 de dezembro de 2009.

DOCUMENTO FINAL

JUVENTUDE PARTICIPATIVA, CIDADANIA GARANTIDA.

Nós jovens indígenas Tupinikim e Guarani do estado do Espírito Santo, Pataxó Hã Hã Hãe, Tupinambá de Olivença, e Pataxó povos da Bahia, e Pataxó de MG, com a participação do CIMI e outros parceiros aliados, realizamos nos dias 04, 05 e 06 de dezembro de 2009, na aldeia indígena Pau Brasil, no município de Aracruz no Espírito Santo o 1º seminário da juventude indígena Tupinikim/Guarani, como o seguinte tema: “Juventude participativa, Cidadania Garantida”.
Durante o encontro em forma de oficias e trabalhos em grupos discutimos e aprofundamos os seguintes temas: “Terra, produção e sustentabilidade para a juventude”, “Juventude, sexualidade e saúde”, ‘‘Juventude, cultura e mundo moderno”, “Organização, formação e cidadania superando a desigualdade na diversidade”. pós o aprofundamento dos temas e discussões na plenária percebemos que a terra continua sendo para nós a grande prioridade da luta, e que nós jovens somos convocados a continuar a lutar pelas conquistas e garantia de nossos territórios. Esta luta tem significado a criminalização de nossas lideranças, a perseguição e o preconceito da Sociedade não indígena que tenta negar e retirar os nossos direitos. As oficinas apontaram para a necessidade de um maior investimento de nossas lideranças, dos nossos parceiros e aliados na formação e capacitação de nós jovens. É preciso também que nós tomemos consciência de nosso papel e posamos assumir com responsabilidade as tarefas que nos forem confiadas e assim ocuparmos os espaços de luta, trazendo a certeza de que estamos construindo a continuidade dos projetos de vida de nossas comunidades. Refletimos também que o mundo moderno (Internet, TV, Músicas,etc) nos apresentam uma série de possibilidades, mas também riscos e perigos e que a nossa cultura é o elemento que nos e ajudará e manterá as nossas comunidades na construção de um futuro melhor, portanto precisamos vivenciar e fortalecer ainda mais as nossas tradições e culturas, buscando o conhecimento nas nossas raízes (anciões). Percebemos também uma enorme deficiência na FUNASA causando sérios problemas as nossas comunidades como por exemplo: demora na marcação e entrega de exames, falta de medicamento, distribuição de remédios vencidos, a falta de transportes e equipes desqualificadas. Vimos a necessidade da criação de programas que invistam mais na questão da cultura, da educação e do lazer como forma de afastar os jovens do perigo do mundo moderno. Por fim no processo de organização e formação dos jovens vimos a necessidade da criação de núcleos, departamentos e espaços que valorizem e proporcionem a participação da juventude, tais como: nas associações comunitária e a APOINME .
Diante dessas profundas reflexões definimos por:
• solicitar das autoridades competentes a imediata homologação das terras Tupinikim e Guarani no Espírito Santo;
• Urgente retorno do julgamento da ação de nulidade de títulos do território dos Pataxó Hã Hã Hãe e a conseqüente devolução de suas terras;
• Apoio ao povo Pataxó no extremo-sul da Bahia que luta pela revisão e ampliação dos seus territórios;
• Denunciando o processo de criminalização contra as nossas lideranças e solicitamos que medidas sejam tomadas para evitar que situações como a publicação da revista Época (que de forma preconceituosa e racista, difamou e criminalizou o cacique Babau e o povo Tupinambá de Olivença), uma prática que tem se tornada comum na grande mídia do Brasil, não voltem a se repetir;
• Apoiamos a luta do povo Tupinambá de Olivença pela conquista e demarcação de suas terras, e que sejam tomadas providências que evitem a perseguição aos nossos parentes;
• Solicitamos agilidade na aprovação do estatuto dos povos indígenas;
• A criação imediata do Conselho Nacional de Políticas Indigenista
• O estabelecimento de políticas públicas específicas para a juventude indígena nos âmbitos nacional, estadual e municipal.

Entendemos que a nossa cidadania só será garantida na medida que a juventude for participativa. Acreditamos que um novo mundo é possível e queremos construí-lo com o nosso envolvimento e participação.

ALDEIA DE PAU BRASIL/ ARACRUZ- ES
06 DE DEZEMBRO DE 2009.

Por Itohã Pataxó Hãhãhãe ( Edmar B Souza )

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. Massa Itohã,O fortalecimento do protagonismo da juventude indigena no país é que sonhamos para para nosso futuro,nós temos que nos apropriar desta luta, com sentimento de amor por nosso povo,pois essa luta essa nossa… NÃO SOMOS AS FUTURAS LIDERANÇAS…. SE TEMOS COMPROMISSO COM NOSSO POVO, SOMOS AS LIDERANÇAS DO PASSADO, PRESENTE E FUTURO!
    Jaborandy

  2. gostei do seu trabalho,descupe pelo o q aconteceu no encontro da não part dos tupinikim,mas no ano q vem vai ser diferente

  3. olá!!!Que bom que esse encontro já tenha começado a surgir efeitos nessa juventude,pra mim foi bom demais e espero a proxima oportunidade para estar aí novamente…abraços a todos vçs……..Marciel ferreira (aldeia tibá)bahia…

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here